Antônia Fontenelle desabafa sobre inquérito por xenofobia: 'É covardia'

A famosa ainda afirmou que quando está errada pede desculpas, mas que estão tentando fazer política com seu nome

Divulgação
Antônia Fontenelle (foto: Divulgação)

A Polícia Civil do estado da Paraíba abriu um inquérito para investigar as falas xenofóbicas de Antônia Fontenelle ao criticar DJ Ivis, acusado de agredir a ex-mulher na frente da filha, de 9 meses. A youtuber havia escrito: "Esses Paraíbas fazem um pouquinho de sucesso e acham que podem tudo", através das redes sociais. 

 

O delegado do caso, Pedro Ivo, declarou ao UOL: "Expressões como 'paraibada', como 'esse Paraíba', são expressões que aparentemente caracterizam crime previsto no artigo 20 da Lei 7716 de 1989, a chamada Lei do Racismo, que prevê penas para condutas criminosas de intolerância em geral". 

 

Juliette também havia criticado Antônia, dizendo que essas expressões são xenofóbicas e que estas atitudes não serão mais suportadas: "Não é força de expressão, é xenofobia. Não existe 'ser Paraíba' e 'fazer paraibada'. Existe ser PARAIBANA/O, o que sou com muito orgulho. Tire seu preconceito do caminho, que vamos passar com a nossa cultura e não vamos tolerar atitudes machistas e xenofóbicas de lugar algum".  

 

 

Nesta última quinta-feira (15/07), Fontenelle recorreu ao Youtube para desabafar sobre o inquérito, afirmando estar sendo vítima de injustiça, acusando Juliette como responsável por toda a comoção ao redor do caso. 

"Eu não vou citar o nome do delegado aqui porque presente a gente só dá no Natal e no aniversário e hoje não é nenhum dos dois. Esse delegado da Polícia Civil de João Pessoa instaurou um inquérito policial para apurar um possível crime de racismo praticado por mim. Eu não cometi crime nenhum. Isso tá mais que óbvio. É uma covardia o que estão fazendo comigo desde que eu usei a palavra 'paraíba' para o DJ Ivis, agressor de mulher. Isso graças à campeã do'BBB'"

Antônia Fontenelle

 

A famosa ainda afirma que quando está errada pede desculpas, mas que estão tentando fazer política com seu nome, além de exaltar suas raízes nordestinas. 

"Quando estou errada, eu vou lá e faço [pedir desculpas]. Mas não venham tentar fazer política com o meu nome que eu não vou permitir. Pra me apontar o dedo vai ter que ter currículo ilibado. Não sabe o que é? Dá um Google. Vocês não estão falando de uma loirinha nutella, não. Tá falando com uma nordestina raiz. Não vou pedir perdão de um crime que não cometi. Não esperem isso de mim"

Antônia Fontenelle

 

Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: