Nova edição do Festival Botecar homenageia a Estrada Real

Agosto Butiquim e Armazém Medeiros adiantam os pratos que concorrem ao prêmio. Festival começa na próxima quarta-feira (11)

por Walter Felix 06/04/2018 10:30

Violeta Andrada/Divulgação
Vareio de viajante será a atração do Agosto Butiquim. (foto: Violeta Andrada/Divulgação)

Na próxima quarta-feira (11), o Festival Botecar inicia sua quinta edição, mobilizando 38 estabelecimentos da capital mineira. O projeto propôs a chefs e cozinheiros criar pratos inspirados na Estrada Real, a maior rota turística do país.

No século 18, ouro, diamantes e pedras preciosas eram transportados por caminhos que cruzavam Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Fazendas foram se espalhando pela Estrada Real com o propósito de alimentar tanto os viajantes quanto a população de núcleos urbanos instalados no litoral e no interior do Brasil colônia.

Em 2017, o Agosto Butiquim, comandado pelos primos Joana Castro e Lucas Brandão, venceu o Botecar com o Vazio carnudo prato meio cheio de tudo, que acabou se tornando o carro-chefe da casa. A pedida reúne fraldinha assada, pétalas de cebola roxa, chips de mandioca com gergelim, abobrinha em conserva e molho de cerveja preta (R$ 34,90).

Para a edição deste ano, a chef Joana preparou o Vareio de viajante – torresmo de joelho defumado, tapioquinha de queijo e ora-pro-nóbis acompanhados de molho de limão-capeta (R$ 34,90). Essa pedida pode ser compartilhada por três pessoas.

“A ideia é reunir ingredientes típicos do interior mineiro cortado pela Estrada Real, como mandioca e ora-pro-nóbis. O joelho de porco é defumado porque era assim que os tropeiros conservavam alimentos consumidos ao longo da viagem”, explica Joana Castro. O nome do prato também faz alusão ao momento de descanso do viajante para se alimentar.

 

Divulgação
Armazém Medeiros preparou o prato Tem barão e tem baroa. (foto: Divulgação)


FAZENDAS Proprietário do Armazém Medeiros, Marcílio Diniz Cruz vai oferecer uma iguaria que remete às grandes fazendas da Estrada Real, comandadas pela aristocracia rural e dedicadas à produção de laticínios e à criação de gado.

O prato Tem barão e tem baroa reúne filé-mignon empanado (“o corte mais nobre de carne bovina”, ressalta Marcílio), molho de tomate e é gratinado com muçarela e queijo canastra. O purê é feito com batata-baroa. Disponível a partir do dia 11, prato serve três pessoas e custa R$ 34,90.

As tradições mineiras e a produção agrícola da Zona da Mata inspiraram essa iguaria. “Temos feito a receita e alguns amigos a experimentaram. Todos gostaram bastante”, adianta Marcílio.

Em 2017, o Armazém Medeiros ficou em segundo lugar no Botecar, que adotou como tema os quintais de Minas. Marcílio conquistou a medalha de prata com o Coração mineiro – maçã de peito acompanhada de batatas recheadas e cebola em pétalas (R$ 34,90) –, incluído no cardápio fixo do bar

EM ABRIL
Criado em 2014, o festival mobiliza bares em um concurso que valoriza as raízes da cultura de boteco. As criações do Botecar 2018 poderão ser experimentadas de 11 a 30 de abril. Os preços dos pratos variam de R$ 26,90 a R$ 36,90. Confira a relação dos participantes em www.botecar.com.br.

AGOSTO BUTIQUIM
Rua Esmeralda, 298, Prado. (31) 3337-6825. Abre de terça a sábado, das 18h à meia-noite.

ARMAZÉM MEDEIROS
Rua Rio de Janeiro, 2.221, Lourdes. (31) 3275-2665. Abre de segunda a sexta-feira, das 17h às 23h30; sábado, das 11h à meia-noite; domingo e feriado, das 12h às 17h30.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA