UAI

Monark tem canal no YouTube desativado; influenciador culpa STF

Apresentador recebeu a notícia ao vivo, enquanto entrevistava Arthur do Val, o Mamãe Falei, que defendeu a medida

Reprodução/YouTube Reprodução/YouTube
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 09/11/2022 09:30
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

O canal do influenciador digital Bruno Monteiro Aiub, mais conhecido como Monark, no YouTube foi retirado do ar em todo o território do Brasil por decisão judicial. Ao tentar acessar o endereço, o usuário é informado de que o canal não está mais disponível. No Twitter, Monark diz ter sido censurado.

Leia Mais

Em entrevista com o ex-deputado estadual Arthur do Val, o Mamãe Falei, Monark é avisado da suspensão do seu canal da plataforma de vídeos por uma pessoa que não aparece no vídeo informa que não é possível mais acessá-lo na noite desta terça-feira (08/11). Na busca pelo antigo perfil, aparece a mensagem: "Este canal não está disponível em seu país".

 

"Isso é por causa que eu divulguei a live do argentino lá, provavelmente", destaca o influencer. O deputado cassado concorda e diz que é crime. "A live do argentino é basicamente um atentado contra a nossa democracia, ele está mentindo sobre o nosso processo eleitoral, você não pode fazer isso (compartilhar a live) quando você tem pessoas nas ruas quebrando e querendo matar (por isso)", diz Mamãe Falei.

 

O ex-parlamentar se refere às manifestações antidemocráticas por parte dos apoiadores do presidente Jair Messias  Bolsonaro (PL) em rodovias federais desde a vitória do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno das eleições.

 

Monark respondeu que os meios de comunicação teriam o direito de compartilhar notícias e opinar livremente e é rebatido por Mamãe Falei que repete que este argentino tinha o intuito de fazer com que os brasileiros se rebelassem contra as nossas instituições, o que seria um crime. "Ele fez apenas uma denúncia de fraude", afirma o digital influencer. "Mentirosa", dispara o ex-deputado.

 

Na sequência, Arthur do Val deixa ciente que acredita ser justo o bloqueio da live do argentino Fernando Cerimedo, do canal La Derecha Diário, mas não a suspensão da conta de Monark.

 

Confira, abaixo, o vídeo: 

Na noite de terça-feira (08/11) o youtuber foi a rede do passarinho para denunciar o caso e culpou o Supremo Tribunal Federal (STF) pela medida, chamando o ministro Alexandre de Moraes de ditador. "Fui censurado pelo STF... Não vivemos em uma democracia. Me acompanhe no Rumble/monark! Quantos dias até a policia vir na minha casa? Alexandre de Moraes age como um ditador", escreveu Monark. Segundo o apresentador, a censura ocorreu após ele publicar a mensagem: "apenas ditadores mandam calar quem critica".

 

Moraes já vinha sendo alvo de críticas de Monark nas redes nos últimos dias. "Boa tarde cidadãos do Xandãoquistão!", ironizou em uma publicação. "Estamos vivendo uma ditadura do judiciário. Situação é grave. Foda-se Direita ou Esquerda, se você é brasileiro, lute, não deixem tomarem sua liberdade", disparou em outro.

 

Horas depois Monark voltou a utilizar a rede social para republicar uma mensagem que recebeu do suporte jurídico da plataforma do YouTube informando sobre a restrição. "Não foi o YouTube que censurou meu canal, foi o judiciário, isso se chama censura estatal, não tem outro nome. É censura sim e é errado. Se você ta defendendo isso só porque não gosta de mim, você simplesmente está entregando a sua liberdade e seus direitos motivado pelo ódio", comentou Monark.

 

Vale destacar que Monark transmite seu podcast no Rumble, que não promove ações contra fake news. Ele já se envolveu em polêmicas ao falar sobre um possível partido nazista e consumidores de pornografia infantil, por exemplo. 

 

Na manhã desta quarta-feira (09/11), os termos "Mamãe Falei" e "Monark" são os assuntos mais comentados do Twitter.

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp