Vencedora do 1º Festival Pães e Quitandas tenta repetir o feito com a coroa real de milho

Padaria Pedro Padeiro lançou massa folhada recheada com mingau de milho verde

15/09/2013 12:21

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Marcos Vieira/EM/D.A Press
Jane Zarif, da Padaria Pedro Padeiro, apresenta a coroa de milho (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
A campeã do 1º Festival Pães e Quitandas de Minas tenta repetir a façanha e conquistar o público novamente com suas guloseimas. Para concorrer na segunda edição do festival, a Padaria Pedro Padeiro criou a coroa real de milho, uma massa folhada recheada com mingau de milho verde. Essa e outras quitandas, elaboradas exclusivamente para o festival, poderão ser apreciadas até 4 de outubro nas padarias que participam do festival, durante um mês de degustação.

 

As cinco melhores quitandas serão apresentadas na Feira Super Minas, realizada na Expominas até final de outubro. As pessoas votam em diferentes quesitos relacionados ao sabor, textura da quitanda, ao atendimento, organização e limpeza da loja. Para avaliar a coroa real de milho e outras delícias basta preencher as cédulas disponíveis nas padarias.


Participam do festival 50 empresas de panificação e confeitaria de Belo Horizonte, Betim, Contagem, Sabará e Nova Lima. As empresas começaram a se preparar para o festival em maio, com a elaboração das receitas. Durante o processo, também receberam orientação sobre como melhorar os produtos e o atendimento. Neste primeiro momento, os produtos serão escolhidos pelo júri popular. Na segunda etapa, as cinco quitandas mais populares serão avaliadas por um júri técnico na Feira Super Minas, maior evento de supermercados e empresas de panificação. Nesta etapa, os jurados irão escolher a quitanda campeã levando em conta a textura, aroma, sabor e apresentação.


O festival é uma iniciativa do Sindicato e Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão) junto com o Instituto Tecnológico de Panificação e Confeitaria (ITPC) e parceria com o Sebrae. Trata-se de oportunidade para as empresas se capacitarem não só para o atendimento diário, como também para eventos como a Copa do Mundo. “O objetivo é divulgar a cultura e os produtos de Minas e desenvolver o setor de panificação A gente se preocupa muito em atender bem o cliente, por isso a importância de capacitar as empresas para receber bem esse público”, afirma Simone Collet, coordenadora do projeto Pães e Quitandas de Minas. Em Belo Horizonte, há cerca de 1,2 mil padarias.


A receita da coroa real foi criada por Jane Magalhães Zarife, uma das proprietárias da Pedro Padeiro. “O mingau de milho verde é muito tradicional na culinária mineira. Lá em casa fazemos muito”, revela. O paladar é surpreendido com mistura equilibrada entre o doce do mingau e o sal e a crocância da massa folhada. A cada edição, o festival indica dois ingredientes que devem ser usados na criação dos produtos. Na primeira edição foram o polvilho e o queijo e, neste ano, os padeiros criaram usando milho e leite. “Pensamos em criar uma quitanda mineira com um toque de sofisticação”, afirma Jane. Com esse propósito, a massa folhada casou-se perfeitamente com o mingau de milho verde cremoso e com um toque de canela em pó na finalização. No ano passado, a Pedro Padeiro ficou em primeiro lugar com a quiche de queijo.


No ramo de panificação, a Pedro Padeiro está entre as mais tradicionais da capital. Localizada no Bsairro Santa Tereza, na Região Leste, a padaria completa 20 anos. Foi fundada por Irani Magalhães, de 80. “O nome dele é Irani, mas ele atende por Pedro Padeiro”, diz. Jane conta que o nome Pedro foi escolhido por ser sonoro e também para prestar homenagem ao sogro de Irani. A família de ascendência italiana é uma das mais antigas no ramo da panificação e tem também uma padaria no Bairro Santo Antônio, Região Centro-Sul, que está concorrendo com outra quitanda. “A gente acompanha as novas tendências, sem perder a tradição e o sabor de nossos produtos.”


A Pedro Padeiro procura resgatar a relevância do pão de sal. “Ele anda um pouco esquecido”, avalia. O mix de produto inclui broinha de fubá de canjica, pão e biscoito de queijo, roscas de castanha e de chocolate, pães italianos, como ciabatta, e linha de folhados. Com o aparecimento das padarias gourmets, a Pedro Padeiro investe na tradição com a oferta de café da manhã. Lá se come desde um pão com manteiga a quiches mais elaborados. “A quiche de queijo é uma quitanda sofisticada que hoje faz parte do nosso mix de produtos. Queremos que a coroa real de milho se torne também mais um produto nobre na mesa do mineiro.”

 

 

Coroa real de milho
(Rendimento 70 unidades)

>>Massa Folhada

-Ingredientes
500g de farinha de trigo, 200ml de leite, 150g de milho verde, 3 ovos, 100g de açúcar, 10g de sal, 200g de margarina folhada, 20g de
fermento granulado

-Modo de fazer
Na batedeira. adicionar farinha de trigo, açúcar, sal, os ovos, milho ralado, leite e bater ao ponto de massa folhada, mais elástica. Acrescentar o fermento granulado e bater mais um pouco. Folhar a massa, fazendo camadas bem finas com margarina folhada. Modelar em forminhas de alumínio, formato de coroa, com o forno pré-aquecido à temperatura de 200 graus. Assar por 15 a 20 minutos. Esperar
esfriar e desenformar.

>>Mingau de milho verde

-Ingredientes
1 litro de leite, 5 espigas de milho verde, 2 latas de leite condensado, 100g de açúcar refinado, 20g de margarina, canela a gosto

-Modo de fazer
No liquidificador, bater o milho e o leite e passar na peneira. Levar ao fogo médio duas latas de leite condensado, o milho batido com leite e açúcar, a margarina até
dar o ponto do mingau e levar à geladeira para esfriar até dar o
ponto de creme.

-Como montar: Rechear as forminhas já assadas com o mingau de milho verde e salpicar a canela.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA