''Sempre que corro tenho bolhas nos pés, o que está acontecendo?''

Esse tipo de queixa é muito frequente entre praticantes de corrida; algumas feridas podem até impedir treinamento

Pixabay
Bolhas nos pés são um tormento na vida de corredores (foto: Pixabay)

"Sempre que corro tenho bolhas nos pés, o que está acontecendo?"
Essa queixa é muito frequente em corredores e atormenta a saúde dos pés de muitos deles, propiciando o aparecimento de feridas mais profundas, diminuindo o rendimento e até mesmo impossibilitando o treinamento.

Por que as bolhas aparecem?
As bolhas aparecem devido a um descolamento da pele motivado por atrito entre o calçado e o . Esse atrito exacerbado pode ocorrer por diversos motivos como uma deformidade no pé do corredor (pé muito plano ou muito cavo), mudança do calçado (troca por tênis muito rígido ou muito macio), mudança do terreno de treinamento (migração para o TrailRunning, por e exemplo), pelas características individuais da pele (muito ressecada ou muito fina) ou pela intensidade demasiada do treinamento ou competição (afinal, nenhum pé é de ferro!!).

Esses fatores podem atuar individualmente ou em associação para propiciar o aparecimento das bolhas.

As bolhas podem aparecer em qualquer lugar?
O local de aparecimento das bolhas depende do local de maior atrito. Isso depende do formato do pé, do tipo de pisada e do tipo de calçado. Os pés mais cavos, por exemplo, tendem a formar mais bolhas na parte mais externa, enquanto os pés mais planos tendem a formar bolhas na parte mais interna dos pés.

O que fazer quando as bolhas aparecerem?
As bolhas possuem diversos graus e gravidades, podendo ser mais ou menos profundas, o que exige tratamentos distintos. De um modo geral, se a bolha estiver intacta e não houver acúmulo de líquido dentro dela, a mesma não deve ser retirada. Isso se deve ao fato de a parte mais superficial da pele funcionar como um curativo biológico, protegendo a pele sobrejacente de infecção e aprofundamento da ferida. Bolhas com coleção de sangue ou seroma devem ser Idealmente drenadas (retirar o líquido), para que não haja possibilidade de proliferação de bactérias e para que seja possível descarregar peso (andar), mesmo com a bolha em curso. Novamente a pele mais superficial não deve ser retirada. Bolhas maiores ou mais profundas podem necessitar de acompanhamento médico para tratamento sob risco de agravamento do quadro.

Como prevenir? 
A prevenção se baseia nos cuidados diários com os pés, na escolha de calçados e no respeito aos padrões de treinamento. Em relação aos cuidados, os corredores devem cuidar da hidratação da pele e do volume das calosidades, atentado-se também para o aparecimento de frieiras entre os dedos diariamente após o banho. Os calçados escolhidos para correr devem propiciar conforto, essa é a palavra chave. O mesmo não pode ter áreas de atrito interna e podem seguir o padrão de pisada (supinada, neutra, pronada) para aliviar possíveis áreas de sobrecarga. Por fim, muito cuidado ao exigir muito dos seus pés. Treinos muito intensos, ou que progridem muito rápido, além dos limites planejados são prejudiciais.

Vamos cuidar dos nossos pés, são eles os responsáveis por nos fazer correr ainda mais longe!

Se você tem dúvidas sobre esse assunto ou quer mandar sugestão de tema para a coluna, envie email para tiago.baumfeld@gmail.com