Butchery usa carne especial e receitas de Gael Paim, ex-Café de La Musique

"Sushi mineiro", um dos destaques da casa, mistura carnes bovina e suína moldadas como salsicha e enroladas com bacon

por Eduardo Tristão Girão 23/10/2015 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Vieira/EM/D.A Press
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
A sorte veio a favor do Butchery para que ele se tornasse uma casa de espetinhos diferente das demais em Belo Horizonte. A Beef Passion, uma das marcas mais conceituadas de carne bovina do Brasil (fornece para o chef Alex Atala), havia perdido clientes na mesma época em que o espaço era montado. Butchery, então, passou a comprar quase todo o lote de coxão mole de gado angus que encalhava.
 
 
Aí está o “segredo” do espetinho: a qualidade desse produto é maior que a de cortes ditos “nobres”, com maior “marmoreio” (teor de gordura intramuscular), o que dá mais sabor e maciez. A carne é recebida e mantida resfriada, porcionada e espetada para ser usada no mesmo dia. O tempero (apenas pimenta-do-reino e pouco sal) é adicionado apenas quando o pedido é feito.

Assados na brasa, os espetos (inclusive os de outras carnes) do Butchery são servidos numa tábua com farofa e dois molhos, tudo preparado no local. As receitas vieram do chef Gael Paim (ex-Café de La Musique e The Art from Mars), sócio de André Prates e Flávio Braga no empreendimento.

“Havíamos calculado vender 300kg de carne bovina por mês, mas estamos vendendo 200kg por semana”, conta Paim. Entre cerca de 20 tipos, são servidos dois mil espetos por noite. Todos custam R$ 6: de boi a pão de alho, passando por pedidas como torresmo de barriga, coração, salsicha, tilápia e queijo coalho. Uma estação de acompanhamentos, perto do balcão, permite ao freguês se servir à vontade de farofa de farinha de milho com maracujá e molho barbecue feito com goiabada e pimenta biquinho.

SUSHI

Criação da casa, o “sushi mineiro” mistura carnes bovina e suína moldadas como salsicha e enroladas com bacon. O cardápio lista pedidas mais caras, servidas sempre com uma farofa e dois molhos. É o caso da costelinha pururucada (R$ 20 a unidade), costeleta de cordeiro (R$ 20, 100g), bisteca suína (R$ 20 a unidade) e do corte do chef (R$ 20, 100g), que pode ser bife de chorizo, bife ancho ou prime rib. À parte, há porções de frango empanado e de camarões picantes (R$ 10 cada).

Com 100 lugares na calçada (entre mesas altas e baixas), a casa tem clima de balada. É grande a aglomeração de fregueses em pé. O público pode chegar a 400 pessoas. De terça-feira a sábado, tem DJ tocando. A exemplo da concorrência, a venda é feita por meio de fichas, mas isso não exclui o serviço de garçons – são 12, todos com passagens por casas noturnas da cidade.

BOCHECHA

No caso das bebidas, além das long necks tradicionais (R$ 6 cada), há chopes das marcas Cuesta (SP) e Magma (MG) por R$ 10 (cada), e uma cerveja produzida com exclusividade para o Burchery: a kölsch da mineira Jambreiro (R$ 8, 300ml). Há pequena oferta de vinhos em garrafa, taça e meia taça – a partir de R$ 46,
R$ 15 e R$ 5, respectivamente.

Os drinques, que custam R$ 15, foram quase todos desenvolvidos pelo mixologista Filipe Brasil. Destaca-se o que leva rum, ginger ale (espécie de refrigerante de gengibre, feito no local) e sucos de maçã e de limão.  

BUTCHERY
Rua Gonçalves Dias, 1.922, Lourdes. (31) 3566-4700. Aberto de terça a sexta-feira, das 18h às 23h; sábado, das 16h às 23h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA