Casas culturais criam novos points de balada em Belo Horizonte

Instalado em antigas residências, circuito alternativo oferece música, gastronomia, happy hour e coworking no Bonfim, Santa Efigênia, Concórdia, Floresta e Barro Preto

por Ana Clara Brant 12/04/2019 09:20
Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press
Na Concórdia, casa da vovó deu origem ao Quintal da Jabú, point da balad (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
A casa da vovó e, principalmente, o quintal com a velha jabuticabeira se transformaram em point de ferveção em Belo Horizonte. Com o simpático nome Quintal da Jabú (referência ao pé de jabuticaba), o espaço com capacidade para receber 300 pessoas, localizado numa tranquila rua da Concórdia, acaba de completar dois anos.

“A casa era da avó do Lucas (Narciso), um de nossos sócios. Quando ela faleceu, o imóvel ficou sem função e começamos a fazer churrascos com os amigos por lá. Quando percebemos, já estávamos organizando eventos um pouco maiores. Tudo começou despretensiosamente”, explica Leonardo Moreira, que comanda o Quintal da Jabú ao lado de Lucas Narciso, Felipe Aguilar e Alexandre Narciso.

O estabelecimento acabou se tornando uma casa de samba, mas, vez por outra, abriga outros gêneros musicais. A agenda não se limita a festas e shows. Há bazar, além de feiras de artesanato e de vinil. “A gente começou fazendo algo para os mais chegados, mas tomou uma proporção tão grande que muita gente de BH e de fora já veio aqui. O público é diverso, é um lugar gostoso, tranquilo, com preço justo”, conta Leonardo Moreira.

Espaços multifuncionais, colaborativos ou multiuso, que misturam de tudo um pouco, têm pipocado em BH. No Bonfim, o charmoso casarão dos anos 1950 onde a estilista Paulina Ribeiro de Oliveira morava e trabalhava virou Casa Rosa. “Pelas próprias características do imóvel, muita gente pedia para fazer eventos aqui. Agora estamos nos profissionalizando. O lugar é perfeito para happy hour, lançamentos ou comemorações. Além de integrados à natureza, estamos no alto. Dá pra conferir o pôr do sol e a lua cheia. É uma vista privilegiada”, comenta Paulina.

Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press
Casa Rosa anima as noites no Bairro Bonfim (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)


ROSA A Casa Rosa, que pode receber até 200 pessoas, já abrigou festas, exposições, shows e palestras. “Acho interessante o deslocamento das pessoas na cidade, sobretudo as mais jovens. Elas deixam de ir a lugares tradicionais, principalmente na Região Centro-sul, para descobrir a própria cidade, explorando outros cantos alternativos e até underground. Nossa proposta conquistou porque é diferente, completamente fora do circuito” acredita Paulina.

Pensando em oferecer algo diferente, Alysson Brener e Isadora Moema idealizaram o Espaço Do Ar, que abriu as portas em outubro, no Santa Lúcia. O casarão pós-modernista de 1983, projeto do arquiteto Éolo Maia, foi residência particular durante 30 anos. “Decidimos fazer uma ocupação mais criativa para que fosse um espaço de múltiplas experiências. Você vai a um bar, a um restaurante, e já sabe mais ou menos o que encontrar. Aqui é sempre uma surpresa”, diz Alysson.

Mesclando gastronomia, música, design e arte, o espaço é fusão de restaurante/bar, palco para concertos intimistas, área para feiras e workshops e reuniões. Obras de arte foram espalhadas pela casa, há sessões de cinema na área da piscina e o mirante oferece bela vista da cidade.

Diariamente, algo acontece por lá: projetos musicais como a Quarta de jazz, lançamento de discos, shows nos fins de semana, confrarias de vinho, serviço de almoço e café da manhã, além da tradicional feijoada aos domingos.

VETERANA Em 2003, quando ela surgiu, as atividades se limitavam a treinos de capoeira e sessões de acupuntura. Mas o projeto cresceu e virou associação cultural. A Casinha é uma pequena edificação com capacidade para receber 120 pessoas. “Ela sempre primou pela diversidade de atividades. A capoeira continua durante a semana. Nos fins de semana, temos festas”, diz o produtor cultural Daniel Iglesias, um dos sócios-fundadores.

A Casinha também promove eventos em sua rua, no Barro Preto. Porém, a programação principal se concentra lá dentro, com muito samba. A agenda inclui também forró, rock e pop.
Bruno Figueiredo/divulgação
A Casinha, no Barro Preto, recebe shows para lá de animados (foto: Bruno Figueiredo/divulgação)


Oca urbana

No sábado (13), será inaugurada a Oca Livre, casa colaborativa no Santa Efigênia idealizada pela arquiteta Débora Dornelas, o engenheiro Pedro Gondim e o publicitário Uri Cunha. Terá ambiente para reuniões, loja com mercadorias de produtores locais, gastronomia, eventos, cursos e happy hour. A abertura será com show da cantora e compositora Nath Rodrigues, discotecagem da DJ Sandra Leão e flash tattoo a cargo de Mônica Maria e Sérgio Viana, além de chope artesanal, drinques, pratos e petiscos.

Durante a semana, a Oca oferecerá café da manhã, almoço, café da tarde e happy hour. Há espaço para coworking. No fim de semana, ela abre as portas para shows e eventos culturais.

A casa colaborativa Híbrido, na Floresta, abriu as portas em março. O casarão antigo na Rua Aquiles Lobo oferece cursos, oficinas, palestras, festas, mesas-redondas, eventos culturais e feiras. No primeiro andar ficam loja multimarcas, cozinha/copa ocupada por um café e salão com capacidade para 40 pessoas. No segundo andar estão as salas para sublocação, que já abrigam um estúdio de tatuagem e um salão de beleza, além do bar de apoio a eventos.


PROGRAME-SE

A CASINHA
Rua Juiz de Fora, 114, Barro Preto, (31) 3293-2798. Nesta sexta (12), às 21h, shows de Young Lights e Shiron The Iron. Sábado (13), show de Kaballions. Ingressos a partir de R$ 15

CASA HÍBRIDO
Rua Aquiles Lobo, 79, Floresta, (31) 3786-5006 e (31) 99814-2334. De segunda a sábado, das 14h às 22h. O horário varia de acordo com a demanda de eventos

CASA ROSA
Rua José Ildeu Gramiscelli, 301, Bonfim, (31) 99921-4944. Eventos de quinta-feira a sábado

ESPAÇO DO AR
Rua Amoroso Costa, 32, Santa Lúcia, (31) 97183-8712. Terça, das 12h às 18h; quarta e quinta, das 12h à meia-noite; sexta e sábado, das 12h à 1h; domingo, das 12h às 22h. Nesta sexta (12), às 20h30, show de Teach Me Tiger. R$ 15 (antecipado) e R$ 20 (portaria). Sábado (13), às 20h30, show da cantora, compositora e atriz Maíra Baldaia. R$ 15 (antecipado) e R$ 20 (portaria)

OCA LIVRE
Rua Tenente Anastácio de Moura, 657, Santa Efigênia, (31) 2528-2760. Inauguração no sábado (13), das 16h às 22h. R$ 10 (lote promocional) e R$ 15. Vendas no site Sympla

QUINTAL DA JABÚ
Rua Itamaracá, 296, Concórdia, (31) 98718-6478. Domingo (14), show de Marcelo Roxo e banda, das 14h às 22h. A partir de R$ 10. Vendas no site Sympla

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE GASTRONOMIA