Hora do vinho - Champagne, Espumante, Prosecco

07/04/2013 18:21

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Por Paulo Camelo

Paulo  adegaria imports

 

Shirley Pacelli/EM/D.A.Press
(foto: Shirley Pacelli/EM/D.A.Press)
Qual a diferença entre um espumante e um champagne? Toda. Todo champagne é um vinho espumante, mas nem todo vinho espumante é um champagne. Eles guardam semelhanças entre si no processo de fabricação, mas podem ser elaborados pelos mais diferentes métodos, os principais são o champenoise e o charmat.


Basicamente, um espumante é um vinho submetido duas vezes à fermentação. A primeira serve para transformar o suco de uva em vinho. Este vinho, antes da segunda fermentação, é chamado “vinho-base de espumante”. O vinho-base é elaborado especialmente para se tornar espumante e possui características diferentes de um vinho comum.


A segunda fermentação pode ser feita em garrafa ou em tanques de aço inoxidável. Para essa segunda fermentação adiciona-se uma mistura de leveduras e açúcar ao vinho-base. As leveduras, que são um tipo de bactéria, vão consumir o açúcar, produzindo álcool e gás carbônico, como qualquer fermentação alcoólica. Porém, esse gás carbônico produzido fica retido na garrafa ou no tanque de inox, e então... voilá! Temos as borbolhas (perlage em francês), que é a marca registrada dos espumantes.


Apenas os espumantes feitos na região de Champagne, na França, podem levar esse nome. É uma denominação de origem. Mesmo na França, todos os espumantes que não são feitos na região de Champagne são chamados de vins mousseux ou crèmants. Mas como o vinho espumante da Champagne é muito conhecido em todo o mundo, as pessoas acabaram por chamar todos os espumantes de champagne, até por uma questão de marketing. Hoje em dia, no entanto, não é permitido utilizar o nome champagne sem a permissão das autoridades da região.


Vamos a outro assunto que gera muita polêmica. O que é um Prosecco? O nome acabou tornando-se sinônimo de espumante, erroneamente. A primeira coisa que devemos saber: Prosecco é um tipo de uva. E somente os espumantes da região do Vêneto, na Itália podem ser chamados por esse nome. Portanto, nunca peça um Prosecco se você não estiver se referindo realmente a um verdadeiro Prosecco! É gafe enológica...


Infelizmente, no Brasil, esse nome se popularizou a ponto de algumas pessoas acharem que um Prosecco é sinônimo de espumante de qualidade. Cuidado! Muitos dos espumantes brasileiros são melhores do que a maioria dos Proseccos vendidos no mercado nacional, pois com essa moda, muitos produtores italianos exportaram exemplares de qualidade ruim, que não eram consumidos em mercado algum.


Existem bons Proseccos? Claro que sim, mas não são tão acessíveis como imaginamos. Portanto, não se esqueça: um espumante é um espumante. Um champagne é um champagne e um prosecco é um prosecco.
A propósito, a loja da Paulo Adegaria (www.adegaria.com.br ) possui exclusivos vins mousseux e crèmants do Vale do Loire, além várias opções de champagnes e proseccos. Vale a pena conferir.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA