Não tenha dúvidas

Com apenas um prato no cardápio, o L'Entrecôte segue tendência com personalidade

por Eduardo Tristão Girão 23/09/2011 07:00
Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press
Casa de Tomaz Gomide serve corte bovino com molho especial e batatas fritas no almoço e no jantar (foto: Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press)

Tendência antiga na Europa que chegou há pouco tempo no Brasil, os restaurantes que servem apenas entrecôte (corte do contrafilé bovino) com molho e batata frita começaram a febre nacional por São Paulo. Há cerca de dois anos, foram abertos num curto espaço de tempo duas casas com essa mesma proposta por lá, o Entrecôte de Ma Tante (hoje L’Entrecôte d’Olivier) e o L’Entrecôte de Paris. Uma salada antes, uma sobremesa depois e mais nada. Ou quase isso, no caso do L’Entrecôte, aberto esta semana em Lourdes.

Ocupando o imóvel do extinto restaurante Borgevita (que será reaberto em outro endereço), a nova casa segue sob comando do empresário Tomaz Gomide. A cozinha foi reformulada e a decoração foi modificada, incluindo novos quadros e pequenas luminárias em cada mesa. Com a extinção do bufê nos fundos, a capacidade do local foi ampliada para cerca de 75 lugares. Toalhas de papel cobrem as mesas e sobre elas fica uma pequena folha na qual os garçons anotam o ponto da carne preferido pelo freguês.

“Esse modelo de negócio me deixa intrigado há muito tempo. Acho espetacular, ainda mais por ser dono de quatro restaurantes atualmente. É uma formato que resolve boa parte dos problemas, a começar pelos fornecedores. É carne e batata, basicamente. Tentei movimentar o Borgevita à noite, mas não emplacou. Talvez pelo preconceito por ter bufê durante o dia. Vou perder clientes que vinham almoçar aqui antes, mas essa não é uma comida junkie”, avalia Tomaz.

Por R$ 27,50 no almoço ou R$ 35 no jantar, o freguês recebe salada (alfaces variadas, rúcula, radicchio, tomate cereja e nozes com molho de iogurte e mostarda) e entrecôte com molho e batata frita. A diferença de preço se deve ao tamanho da carne: durante o dia ela tem 160g; à noite, 240g. O couvert (R$ 5, individual) é composto por pão (da Casa Bonomi) e manteiga francesa (Président). A casa tem uma única entrada, um prato com quatro tipos de queijo do dia (R$ 24). Potinho com mostarda dijon francesa fica sobre a mesa do início ao fim.

Leque
A carne é comprada do frigorífico paulistano Wessel e preparada em chapa. “Grelhá-la no charbroiler é mais demorado e, além disso, não tenho necessidade de deixar marcas na carne, já que vem com molho por cima”, explica Tomaz. Temperada apenas com sal e mix de pimentas moídas na hora, ela é fatiada depois de sair da chapa e disposta em leque no prato. Então, é coberta com molho que leva, entre outros ingredientes, caldo de carne, mostarda dijon, fígado de galinha e ervas. Nada de creme de leite, garante ele.

A casa oferece como sobremesa, musses variadas (entre R$ 12 e R$ 16, cada). A de chocolate amargo é feita no local, enquanto as demais (maracujá, banana com coco, limão e framboesa com espumante) são fornecidas pela Pâtisserie 18 (antiga Solange Lopes Pâtisserie, com mesmos produtos e funcionários; comprada por Massimo Battaglini, Clóvis Viana e Cláudia Yarochewsky). Picolés da Diletto (R$ 7, cada) completam as opções. A carta de vinhos (Mistral e Premium) conta com 30 rótulos.

L’Entrecôte
Rua Marília de Dirceu, 116A, Lourdes. (31) 3275-0250. Aberto segunda, das 12h às 15h; terça a sexta, das 12h às 15h e das 19h à meia-noite; sábado, das 12h à meia-noite; domingo e feriado, das 12h às 17h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA