BH ganha o Duke'n'Duke, um autêntico pub

Casa pequena serve cervejas especiais e importadas

por Eduardo Tristão Girão 29/10/2010 07:00
Pedro Motta/Esp. EM/D. A Press.
Hambúrguer Montgomery's e cerveja Guinness, combinação perfeita (foto: Pedro Motta/Esp. EM/D. A Press.)
Certos conceitos gastronômicos são de difícil reprodução fora de seus países de origem. No caso do Brasil, a palavra bistrô talvez seja o melhor exemplo, já que por aqui quase sempre se refere a restaurante pequeno e refinado (pretensioso, em alguns casos), e não pequeno e simples, como na noção clássica vinda da França. Quando o assunto é pub em Belo Horizonte, não faltam casas que anexam a palavra da língua inglesa em seus nomes, ainda que pouco ou nada sejam parecidas com os típicos estabelecimentos do Reino Unido e Irlanda. É exatamente por isso que chama a atenção a recente abertura do Duke’n’Duke, talvez o mais próximo de um autêntico pub na cidade.

Com capacidade para, no máximo, 40 pessoas, a casa foi instalada num pequeno imóvel onde antes funcionou por curta temporada um restaurante japonês. Depois de quatro meses de reforma, o ambiente ganhou piso quadriculado preto e branco, banco inteiriço estofado, paredes verdes, luminárias baixas e fotos de ícones do jazz, blues e soul, que “assinam” a trilha sonora. No comando estão os sócios Saulo Souza, Leonardo Soares, Frederico Garzon, Ana Paula Camargos e Ronaldo Rates, sendo este último, também conhecido como chef Alemão, o responsável pela cozinha.

No pequeno balcão é possível perceber qual é a aposta da casa: cervejas especiais e importadas. Algumas delas são tiradas direto do barril, como a stout irlandesa Guinness (R$ 12, 360ml), a de trigo alemã Erdinger (R$ 9,90, 300ml) e a pilsen holandesa Heineken (R$ 7,90, 410ml). Entre elas, destaque para a pale ale que leva o nome da casa (R$ 8,90, 410ml), feita em Nova Lima pelo cervejeiro Felipe Viegas, fundador da Taberna do Vale, espaço que reúne interessados em degustar cerveja e aprender a fazer a bebida em casa. A receita foi desenvolvida com exclusividade por ele.

Todos os barris são mantidos refrigerados, o que ajuda a prolongar a “vida” da cerveja e, consequentemente, conservar suas características originais. A extração do barril é feita com nitrogênio, o que, acredita Leonardo, também influi positivamente no serviço da bebida: “Tomar uma cerveja menos gasosa é mais saboroso e menos empazinante”. A seleção de cervejas é completada por rótulos em garrafa (volumes variados), que privilegiam inglesas e irlandesas, com preços que vão de R$ 9,90 (a alemã Warsteiner) a R$ 219,90 (a belga Deus). Há, ainda, sete drinques com cerveja.

EXPERIÊNCIA


Os sócios não são novatos na área. À exceção de Ronaldo, acumularam experiência em suas outras casas, o bar Graças a Deus (um dos primeiros em oferta de cerveja na cidade) e a boate Demodée. “Há oito anos montamos o Graças a Deus como o bar que gostaríamos de frequentar. Em 2008 veio a Demodée, o lugar onde gostaríamos de ir dançar. A nova casa é o lugar que gostaríamos de ir comer e ouvir música top”, conta Saulo.

O cardápio tem como especialidades sanduíches e carnes. O hambúrguer é feito no próprio local e exclusivamente com picanha (carne e gordura), temperado com sal e pimenta-do-reino somente no momento em que é grelhado. Todos são servidos com batatas fritas totalmente preparadas na casa, incluindo tempero a base de sal grosso e pimenta calabresa. O mesmo vale para o molho barbecue, cuja receita é do chef Ronaldo e leva uísque flambado. Cada hambúrguer custa entre R$ 19,90 e R$ 26,90. Entradas, saladas, um tipo de massa e sobremesas completam o cardápio.

Quer mais opções? Confira o Guia de Bares e Restaurantes do Divirta-se

Duke’n’Duke
Rua Alagoas, 1.470, Savassi, (31) 3264-9857. Aberto de segunda a quinta-feira, das 11h30 às 15h e das 18h à 0h; sexta-feira, das 11h30 às 15h e das 18h à 2h; sábado, das 18h às 2h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA