Gastronomia e cursos gratuitos tomam conta de Tiradentes

No último fim de semana do Festival de Cultura e Gastronomia, o cheiro da boa comida toma conta de diversas regiões da cidade

por Eduardo Tristão Girão 28/08/2010 10:08
Beto Magalhaes/EM/D.A Press
A chef americana Reine Sammut que pela primeira vez do festival em Tiradentes (foto: Beto Magalhaes/EM/D.A Press)

O último fim de semana do Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes começa neste sábado com um cardápio variado para quem aprecia os prazeres da boa mesa. São cursos (todos gratuitos ), apresentações de música e teatro, degustações e bares nos largos das Forras e da Rodoviária. Os ingressos para os festins deste sábado já estão esgotados, mas há uma extensa lista de restaurantes que integram o evento, com opções diversas e para todos os bolsos. O tema desta 13ª edição são as mulheres.

Uma das estrelas dos festins de nessa sexta-feira à noite, a francesa Reine Sammut (restaurante La Fernière, em Lourmarin, na França) veio pela primeira vez ao país. “Estou encantada com a simpatia dos brasileiros”, elogia. Ela mora numa região – Provença – em que o uso de ervas é um traço marcante da culinária e justamente por isso se interessou pelas que conheceu no Mercado Central, em Belo Horizonte, onde também provou pratos típicos mineiros. Lá, não encontrou feijões brancos do jeito que queria, mas adorou o brasileiríssimo feijão de corda.

Confira galeria de fotos!

Também de longe – Los Angeles (Estados Unidos) – veio o casal Lilian e David Miller. Mineira de Poços de Caldas, ela retorna a Minas Gerais com o marido, norte-americano. Apesar de já ter vindo ao estado em diversas ocasiões, esta é a primeira vez que vêm a Tiradentes. “Queríamos sentir o festival. Estamos gostando da atmosfera, do leiaute do evento, das lojinhas e desse clima histórico”, conta. Ambos adoram gastronomia e David, que é o cozinheiro da família, gosta da comida mineira e garante fazer algumas receitas brasileiras em casa.

Qualidade

Idealizada este ano por Eduardo Avelar (Sabores de Minas), Eduardo Maya (Comida di Buteco) e Ralph Justino (um dos organizadores do festival), a oscip Conspiração Gastronômica, que tem como objetivo valorizar produtos artesanais mineiros, marca presença no festival com estande no Largo da Rodoviária. Lá foram reunidos doces de produtores da região dos Campos das Vertentes, cachaça de São João Del-Rei e curados, embutidos e pães do belo-horizontino Carlos Chiari.

“Isso é o reconhecimento do cuidado que temos com nossa produção. Vejo similaridade com o sistema europeu de denominação de origem controlada de alimentos”, diz Chiari. Atualmente, a oscip está implantando sistema de reconhecimento dos melhores produtos artesanais de Minas Gerais por meio de selo de qualidade. Ele acredita que a iniciativa pode ajudar a projetar nacional e internacionalmente a cultura alimentar mineira.

Atividades

O sábado começa com sequência de cursos gratuitos no Largo da Rodoviária: Como degustar um café de qualidade (barista Isabella Raposeiras; 10h30), Herança cultural (chef Bel Coelho, do restaurante paulistano Dui; 11h30) e A cozinha impressionista do Sul da França (chef Reine Sammut, do festim de ontem; 13h). Em seguida, às 13h, a chef Nelsa Trombino, do restaurante belo-horizontino Xapuri, vai preparar farofa de jiló com carne seca em pleno Largo das Forras. A partir das 14h15, os cursos continuam no Largo da Rodoviária com assuntos que vão de água mineral a finger food.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA