Sete pedidas compõem o cardápio de bar By frangos

por Eduardo Tristão Girão 19/02/2010 07:00
 Pedro Motta/Esp. EM./D.A Press.
Infarto frito, torresmo de frango, e fritura fina, coxinha de asa frita servida com molho de mel e mostarda (foto: Pedro Motta/Esp. EM./D.A Press.)

O frango é ingrediente principal de pratos clássicos da culinária mineira e goza de grande popularidade quando assado na chamada “televisão de cachorro.” Apesar do enorme consumo no país, nem sempre é lembrado como algo nobre. Em restaurantes, muitas vezes, resume-se à “opção para quem não come carne vermelha.” Nos bares, por vezes, dá origem a petiscos de pouco brilho.

Contrariando tudo isso, o mais novo bar de Belo Horizonte aposta todas as fichas no cardápio enxuto, de apenas sete pedidas, todas com frango. E nada mais. Os proprietários são três analistas de sistemas com idade abaixo de 30 anos: Marcelo Fernandes Pimenta, Bruno Henrique de Oliveira e Lúcio Corrêa Santana. Amigos, habituaram-se a visitar juntos todos os tipos de lugares. “Desde copo sujo do Centro até choperias como Albano’s, Pinguim e Krug Bier”, conta Marcelo. Foram cinco meses de discussão até decidirem não trabalhar com espetinho, batata frita e outras trivialidades.

“Já morei na Inglaterra e aqui sinto falta de um lugar como o KFC, que só vende frango e naqueles baldes que a gente vê com os norte-americanos em filmes. Lá há outras redes do gênero. A carne vermelha é muito cara e o frango, muito barato. Dificilmente, encontra-se alguém que não coma frango”, afirma. Mesmo sem a menor experiência prévia, Marcelo assumiu a cozinha da pequena casa, aberta onde antes funcionava outro bar, num pequeno centro comercial do Bairro Nova Suíça.

São dele as receitas do bolinho de frango recheado com requeijão (R$ 21) e do frango mergulhador (R$ 12). “A maioria dos bolinhos tem massa de coxinha com recheio. O nosso não. A massa é de frango. Já o frango mergulhador consiste em molhar chips de batata no molho de frango e ‘secá-las’ no queijo parmesão ralado”, explica. Outra opção, as buffalo wings são baseadas em receita original da rede norte-americana Friday’s: asinhas fritas e passadas em molho picante (R$ 18).

O petisco que mais chama a atenção no cardápio (o mais vendido) é o infarto frito, descrito como “o legítimo torresmo de frango.” Trata-se de nada mais, nada menos que porção de pele de frango frita (R$ 9). “A gente tira os excessos de gordura, deixando a pele mais crocante e sequinha. Não vamos enganar ninguém dizendo que o colesterol é zero, mas fica bem sequinho. Parece um torresmo, é bem fininha”, explica Marcelo, que se inspirou em petisco similar do Restaurante Maria das Tranças.

Completam a seção de tira-gostos a fritura fina (coxinha de asa frita servida com molho de mel e mostarda; R$ 18), asinha recheada com bacon (R$ 21) e tábua com cubos de peito de peru e de chester, ovo de codorna e palmito (R$ 21) – a única pedida da casa que não é frita. Todas as porções servem duas pessoas. Não há intenção de aumentar o cardápio, mas em breve a freguesia encontrará duas sugestões temporárias.

Quer mais opções? Confira o Guia de Bares e Restaurantes do Divirta-se

COMPETIÇÃO

Tendo em vista a simplicidade do bar, surpreende a presença do chope stout Guinness (R$ 12/ 568ml; R$ 9/ 320ml), fazendo dele um dos poucos (se não o segundo) pontos a venderem a nobre bebida irlandesa em Belo Horizonte. Menos inesperado é o chope pilsen Krug Bier (R$ 3/ 300ml), produzido em Nova Lima e presente em dezenas de casas da cidade. Uma terceira chopeira ficará à disposição de chopes importados (Newcastle e Old Speckled Hen, entre outros) e produzidos por amigos, como o Kud Bier.

“Apesar de ter chopes bacanas, isso aqui é um boteco. Quem quiser vir de chinelo de dedo e bermuda, pode. Não é lugar fino, é para tomar chope sem frescura”, avisa Marcelo. Do lado de dentro, quadro negro exibe os nomes dos fregueses que mais consumiram chope Guinness na casa. Quem primeiro beber 100 unidades ganhará prêmio especial; os melhores colocados seguintes terão benefícios no consumo da bebida. A saber: o líder da competição já tomou 20, seguido por atletas na marca dos 15. “Os donos não podem concorrer”, informa Marcelo Pimenta.

BY FRANGOS
Avenida Barão Homem de Melo, 55, Nova Suíca. (31) 9722-0555. Aberto quinta e sexta-feira, das 18h à 0h; sábado, das 14h às 22h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA