Região do Sion ganha três novas casas

08/05/2009 07:00
Pedro Motta/EM/D. A Press
No Alambique Butiquim Mineiro, a paella ganha versão regional (foto: Pedro Motta/EM/D. A Press)
A região compreendida pelos bairros Anchieta, Cruzeiro, Carmo e Sion, uma das efervescentes no abre-e-fecha de bares e restaurantes na cidade, ganhou recentemente três novas casas. A de maior impacto é o Alambique Butiquim Mineiro, aberta no cruzamento das ruas Pium-i e Passatempo pelos mesmos donos da Cachaçaria Alambique. A intenção é recuperar a proposta original da casa – petiscos mineiros e cachaça –, hoje ponto de encontro de quem gosta de música sertaneja. Bem perto dali, surgiu o Boi Preto, especializado em carnes na brasa, que provavelmente concorrerá com a Cia do Boi, de carnes na chapa. Por fim, o Anastacia Botequim ocupou o ponto do extinto Tatiara, que havia consolidado freguesia fiel ao longo dos últimos anos.

O Alambique Butiquim Mineiro foi instalado onde desde 2005 funcionou o restaurante Capodarte. O investimento na abertura do bar é de R$ 750 mil. À frente dele está a família Caetano, proprietária do Grupo Uniagro, que tem, entre outros negócios, a Cachaçaria Alambique e a Cachaça Germana. “Quando abrimos o Alambique, em 1989, não vendíamos nada que não fosse cachaça e drinques com a bebida. Aquele ambiente de fazenda acabou se tornando casa de shows sertanejos. Temos um mundo de clientes que pararam de ir lá por causa dessa mudança de proposta. Aqui, a ideia é tornar o local uma embaixada de mineiridade”, explica Dirlene Pinto, uma das proprietárias.

Quer outras opções? Confira o guia de bares e restaurantes

O ambiente chama a atenção, com paredes de taipa, fogão a lenha e mesas de madeira sustentadas por pés de antigas máquinas de costura. O teto é um capítulo à parte, forrado com assoalho de madeira, velhas telhas de barro e taquara. Do cardápio do primeiro Alambique vieram apenas o bambu amigo (mandioca frita, linguiça de lombo, carne-de-sol, torresmo e picanha; R$ 26), as doses de cachaça Germana (entre R$ 3,75 e R$ 16,50 dependendo da idade e composição da bebida) e os drinques feitos com a bebida. Porções de pernil, linguiça, chouriço, almôndega e carne de panela, entre outras, completam as opções de petiscos. O chope, da própria Germana, é lançamento.

Picanha argentina no espeto: uma das atrações do Boi Preto
O cardápio foi desenvolvido pelos chefs Felipe Miranda e Cássia Rodrigues, da escola de cozinha Trivial com Sabor, que distribuíram toques criativos pelos tira-gostos e pratos. A casa oferece diariamente quatro opções de refeição para duas pessoas (entre elas frango com quiabo, R$ 35; lombo com tropeiro, R$ 35) e uma de prato do dia (terça-feira tem picanha de sol e quinta, rabada). Aos sábados e domingos, serve paella mineira (R$ 50, para duas ou três pessoas), à base de frango caipira, carne-de-sol, linguiça, costelinha, chouriço, torresmo, pimenta biquinho, quiabo e ora-pro-nóbis. Só aos domingos, lombo assado com abacaxi, tutu, macarronada, arroz de forno e batatas douradas (R$ 45, para duas pessoas).

Chapa e espeto Aberto pelo administrador de empresas Marcelo Rodarte, o Boi Preto aposta no espeto sobre carvão para atrair a freguesia da região. A proximidade com a Cia do Boi não o intimida: “A concorrência é saudável e temos atração muito grande de público nessa região. Um dia a pessoa vai num lugar, depois vai em outro. Quem vem aqui não come a mesma coisa da Cia do Boi”. Entre os destaques, picanha argentina (R$ 25,90), joelho de porco com salada de repolho roxo e batatas assadas (R$ 28,80) e linguiça cuiabana (R$ 11), feita com carne de vitelo, rúcula, parmesão e pimenta.

Novato no ramo, o advogado Mauro Barbosa Gontijo abriu as portas do Anastacia Botequim há duas semanas. Depois de dois meses de reforma, deixou propositalmente algumas paredes do antigo Tatiara descascadas e com tijolos a mostra. No cardápio, iscas de filé ao molho madeira (R$ 21), maçã de peito com inhame (R$ 18) e almôndegas ao molho de cerveja preta (R$ 17). Caldos já começaram a ser servidos. Por enquanto, serve praticamente só cerveja (entre R$ 3,90 e R$ 4,60, 600ml), mas em breve a casa deverá contar com cartas de cachaça e vinho, além de chope.

ONDE IR

Alambique Butiquim Mineiro

Rua Pium-i, 726, Carmo-Sion. (31) 3227-0801. Aberto diariamente, das 11h à 1h.

Anastacia Botequim

Rua Vitório Marçola, 192, Anchieta. (31) 3225-3555. Aberto de domingo a sexta, das 17h às 2h; sábado, das 12h às 2h.

Boi Preto
Rua Montes Claros, 395, Sion. (31) 3223-4801. Aberto terça e quarta, das 18h à meia-noite; quinta e sexta, das 18h à 1h; sábado, das 11h30 à 1h; domingo e feriado; das 11h30 às 23h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA