Bacalhau ganha charme em petiscos criativos

Nem mesmo os preços salgados impedem o consumidor de procurar o peixe

10/04/2009 07:00
Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press
A salada de bacalhau com feijão fradinho é servida no Bar do Baiano, de José Ferreira de Andrade (foto: Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press)
Apesar dos altos preços, o bacalhau goza de boa popularidade também nos bares. Afinal, muitos deles foram abertos por portugueses. Além do apreciado bolinho, fazem sucesso saladas, pastéis e uma série de petiscos feitos com o peixe. Para acompanhar a cerveja gelada, caem bem tanto pedidas tradicionais, como as punhetas de bacalhau (sim, é esse o nome!) servidas na Taberna Baltazar, quanto a curiosa “bacalhoada à palito” do Balaio de Gato, composta pelos legumes habituais e linguiça de bacalhau.

As saladas, por incrível que pareça, ocupam lugar de destaque nos bares. É uma das pedidas mais concorridas do Bar do Baiano, onde é feita com bacalhau desfiado, feijão-de-corda verde, azeitonas verdes e pretas, pimentões e azeite (R$ 10, para duas pessoas). “Uso bacalhau saithe do bom, que compro há 20 anos na Banca Santo Antônio, lá no Mercado Central. Aquele bacalhau grossão branco não vale nada, só tem preço. Parece isopor, não tem gosto”, afirma José Ferreira de Andrade, o Baiano.

Ele abriu o bar em 1967 com a mulher, Nair, que é a responsável pelo preparo da salada. Ela faz porções de duas a três vezes por semana, para dar conta da demanda – só não serve na segunda-feira. A receita, conta Baiano, foi sugerida pelo filho, que experimentou salada parecida em viagem pelo Chile há cerca de quatro anos. Ele sugeriu ao pai que substituísse as ervilhas da versão original – daí a ideia feijão-de-corda verde. “A salada pegou, mas pegou mesmo”, comemora Baiano.

No Taberna Baltazar, aberto em 1991 pela portuguesa Tereza Caetano Chavier, há duas saladas no cardápio, ambas servidas frias: de bacalhau desfiado (tipo saithe), feijão fradinho, ovo de codorna, tomate cereja e azeite de ervas (R$ 19, para duas pessoas); e de bacalhau em lascas (cod) com batata, ervilha, azeitona, cebola e tomate-cereja (R$ 61, para quatro pessoas). Outras opções de petisco com o peixe são as punhetas de bacalhau (do tipo cod, servido cru e desfiado ao azeite de ervas e páprica; R$ 55, para duas pessoas) e a porção de bolinho (R$ 18, 10 unidades).

Também de ascendência lusitana, o Bar do Lopes, reinaugurado no início do ano passado, é outro endereço onde é possível experimentar petiscos típicos (polvo à vinagrete, sardinha em escabeche, entre outros), como bolinho de bacalhau (R$ 2,50, unidade), preparado diariamente no próprio bar. Aos domingos, a casa oferece uma pedida bem portuguesa para almoço: arroz de bacalhau com brócolis (R$ 22, individual).

A PALITO

Entre os petiscos com bacalhau encontrados na cidade, poucos chamam mais a atenção do que a “bacalhoada a palito” do Balaio de Gato: porção de linguiça de bacalhau com batatinhas, pimentões e azeitonas (R$ 28,10). Como alguns clientes estavam pedindo o petisco na esperança de receber lascas de peixe no prato, recentemente as proprietárias da casa, Lu e Leka Alvim, decidiram rebatizá-lo de “linguiça de bacalhau à portuguesa”. Mas o petisco permanece o mesmo. E neste sábado, o convidado para assumir o fogão na hora do almoço é Gibi, que vai preparar prato surpresa com bacalhau.

ONDE IR

Balaio de Gato
Rua Piauí, 1.052, Funcionários, (31) 3213-9374. Aberto de terça a sexta, das 17h30 às 23h30; sábado, das 12h às 22h.

Bar do Baiano
Rua Iara, 912, Pompéia, (31) 3467-2945. Aberto de segunda a sexta, das 17h às 23h; sábado, domingo e feriado, das 9h às 18h.

Bar do Lopes
Rua Antônio Aleixo, 260, Lourdes, (31) 3337-7995. Aberto segunda, das 11h30 às 15h; terça a sábado, das 11h30 à 0h; domingo, das 11h30 às 18h.

Família Paulista
Rua Luther King, 242, loja 9, Cidade Nova, (31) 3484-4598. Aberto de segunda a quinta, das 18h às 23h; sexta, das 18h à 0h; sábado, das 12h às 23h. Serve pastel de bacalhau.
Taberna Baltazar
Rua Oriente, 571, Serra, (31) 3221-7361. Aberto de segunda a sexta, das 17h à 1h; sábado e feriado, das 12h à 1h; domingo, das 12h às 18h. Excepcionalmente, não abrirá hoje.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA