Mojito, drinque cubano, faz sucesso na cidade

Bar Graças a Deus tem promoção com a bebida na noite latina

10/04/2009 07:00
Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press
Bartender do Graças a Deus, Diego Kruz conta que a casa vende até 80 doses de mojito nas quartas-feiras (foto: Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press)
Responda rápido: o que Ernest Hemingway e James Bond têm em comum? O gosto por bebidas clássicas. O escritor norte-americano, morto há quase meio século, ainda hoje é o principal garoto-propaganda do daiquiri e do mojito, drinques cubanos que têm o rum como base. Já o agente secreto britânico sempre viu seu nome ligado ao dry martini. Bem, até o início desta década. Em 007 – Um novo dia para morrer, Bond rendeu-se ao gosto de Hemingway. No filme de 2003, o personagem, na pele de Pierce Brosnan, abandonou o velho hábito, aparecendo em cena oferecendo um mojito a Jinx, interpretada por Halle Berry.

Os clássicos nunca saem de moda, é bem verdade. Mas não há como negar que o mojito vem sendo redescoberto. Seja por “culpa” do calor, que não foi embora mesmo com o fim do verão, fato é que todo bar que se preze traz o drinque com rum e hortelã. Bartender do Graças a Deus, Diego Kruz, acredita que agora as pessoas estão aprendendo a beber o mojito corretamente. “Você vai sempre encontrar o drinque com receita diferente. Tem gente que faz com água com gás ou com Sprite”, afirma. O correto, de acordo com ele (e com a International Bartenders Association – IBA) é fazer o drinque com Club Soda. “Existem coquetéis que são padronizados pela IBA, então têm que ser perfeitos. Ou seja, se você beber em Belo Horizonte ou Nova York, será exatamente o mesmo. O mojito está nesse caso. Já o Sex on the beach não. Como ele não está na lista da IBA, pode ser feito de diferentes maneiras.”

Purismo ou não, fato é que ninguém tira do mojito também o título de drinque mais refrescante entre os clássicos. Boa parte disso deve-se à presença do hortelã. Diego conta que existem várias lendas de como o mojito foi criado. “Uma delas diz que ele nasceu nos navios. A hortelã era usada para curar as pessoas que ficavam mareadas em alto-mar.” A história que Hemingway contava por Havana na época em que viveu em Cuba era de que o mojito tinha sido criado pelo inglês Francis Drake, um aventureiro que adorava os aromas da hortelã.

O bartender afirma que é possível fazer inúmeras variações do mojito. Pode-se mudar a fruta (colocar manga, morango ou abacaxi, por exemplo); a bebida (ele tem feito com vodka Absolut Vanilla); e até o acompanhamento (em vez do Club Soda, Iced tea). “Mas são variações”, explica Diego. Ou seja, o cliente sabe que o que está bebendo não é o mojito tal qual ele foi criado. O que Diego não concorda é que mudem os ingredientes e apresentem o drinque como se ele fosse o original. “Pela lógica, se você muda um ingrediente tem que mudar também o nome. Mas isso é uma tendência mundial de pegar os clássicos, que são antigos, e fazer algo diferente com eles.”

Para muita gente, o que importa é se a bebida é boa. Se o rum é de qualidade, melhor ainda. Muitos bares oferecem opções do mojito com rum nacional e o Havana, o original cubano. “Não tem comparação, ele é muito mais suave. Há outros ainda melhores”, conta Diego. Nas quartas-feiras, o Graças a Deus chega a vender 80 mojitos. Isso porque há a promoção da noite latina. O homem que comprar um drinque ganha outro para dar para alguma garota. Mas isso só vale para o mojito.

RECEITA DE MOJITO

Ingredientes

• Cinco folhas grandes de hortelã
• Uma colher de bar (pouco menor do que a de chá) de açúcar
• 0,75 ml de suco de limão
• 50 ml de rum
• gelo
• Club Soda

Modo de preparo

Mexer a hortelã, açúcar, suco de limão e o rum. Depois colocar gelo até o topo do copo e completar com Club Soda

ONDE BEBER

Balaio de Gato
Rua Piauí, 1.052, Funcionários, (31) 3213-9374. Funcionamento: Terça a sexta, 18h às 23h; sábado, 12h às 22h. Mojito: R$ 12,50 (rum nacional) e R$ 14,20 (rum havana)

Estabelecimento
Rua Monte Alegre, 160, Serra, (31) 3223-2124. Funcionamento: Terça a sexta, das 18h à 1h; sábado, das 13h à 1h. Mojito: R$ 12.

Graças a Deus

Rua Padre Odorico, 68, São Pedro, (31) 3282-6318. Funcionamento: Terça a sexta, a partir das 19h; sábado e domingo, a partir das 16h. Mojito: R$ 12,50.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA