Festival Sabor e Arte agita restaurantes de BH

30/01/2009 07:00
Pedro David/Esp. EM
A moderna moqueca de peixe do chef Leandro Pimenta, do The Art from Mars (foto: Pedro David/Esp. EM )
Poucas vezes um evento reuniu tantos restaurantes de peso em Belo Horizonte. Até dia 8 do mês que vem, 10 casas da cidade oferecerão menus criados especialmente para a primeira edição do festival BH Sabor e Arte, organizado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Minas Gerais para espantar o marasmo que costuma marcar o calendário no período pré-carnavalesco. O mote, que relaciona comida e arte, remete à pergunta de difícil resposta – se culinária é uma forma de arte –, mas foi o suficiente para que a maioria dos chefs deixasse a imaginação à solta.

O preço de cada menu varia entre R$ 62 e R$ 140 – seis deles custam até R$ 95, como os do Patuscada e Dádiva. Todos servem uma pessoa e as bebidas devem ser pedidas à parte. Em alguns restaurantes, como o A Favorita e o Splendido, ele é composto simplesmente por entrada, prato principal e sobremesa; em outros, caso do Aurora, trata-se de uma degustação dividida em 10 etapas, incluindo couvert, entradas, pratos, sorbet para “limpar” o paladar no meio do caminho e sobremesa. “Arte é tudo aquilo que exprime personalidade. Tento fazer isso, mas não sei se consigo. Prefiro exprimir o que eu acho, os meus sentimentos, do que fazer o que as pessoas querem”, filosofa Mauro Bernardes, chef do Aurora.

O cardápio especial que preparou para a ocasião é uma espécie de panorâmica do seu trabalho nos últimos dois anos. “Estou guardando as novidades para março, quando trarei idéias novas para o restaurante”, revela. Entre o que mostrará, tartar de atum ao azeite de carvão com minissalada frisée e molho de iogurte com pepino e especiarias; e filé de peixe com zabaione de abacaxi e baunilha, servido com pilaf de arroz assado e alho-poró crocante. O restaurante Feliz também caprichou no tamanho com seu menu de nove etapas: os cogumelos, uma das especialidades do chef Zoroastro Passos, estão em entrada que reúne shiiatke, shimeji, paris e porcini.

De fato, o festival é boa oportunidade não apenas para conferir menus exclusivos, mas também conhecer em perspectiva o trabalho de cada chef. Em alguns casos, como do The Art from Mars, o cardápio apresentado não condiz com a proposta da casa, mas com o estilo pessoal do chef. Leandro Pimenta, que assumiu a cozinha do restaurante em outubro passado, elaborou pratos de inspiração brasileira e contemporânea, e não asiática. A moqueca, por exemplo, chega a mesa desconstruída em camadas: tomates e pimentões assados, peixe cozido à vácuo com azeite de dendê, gelatina de coco com pimenta; “jardim” de brotos e flores por cima e, ao lado, espuma de coentro. “Me inspirei em Niemeyer, Burle Marx e Portinari”, explica.

Camarão empanado na tapioca ao molho de seriguela, aposta do Hermengarda
MINAS E BRASIL

Já no Hermengarda, o menu é reflexo da militância do chef Guilherme Melo na seara da cozinha brasileira criativa. Ele criou receitas como a do camarão empanado na farinha de tapioca ao molho de seriguela e a do arroz de polvo com queijo coalho, dendê e coentro com banana grelhada. Para entrada, três espetinhos: beterraba, linguiça semidefumada e mexerica; abóbora, carne-de-sol e abacaxi; e batata baroa, filé de capivara e carambola, cada um regado com um molho diferente. O restaurante D’Istinto também apostou nos ingredientes nacionais (mineiros, no caso) e os mesclou a preparações italianas. O capeletti com queijo Minas e taioba em leve caldo de feijão é um dos pratos da casa.

Curioso é o cardápio do Vecchio Sogno, muito semelhante ao que o chef Ivo Faria preparou no réveillon, mas R$ 110 mais barato – custa R$ 88 com um prato a menos e sem a garrafa de espumante. Voltam à cena carpaccio de lagostim com creme de caviar e molho de lima; atum grelhado ao molho de abacaxi e sagu de beterraba; filé (antes era cordeiro) em crosta de foie gras com legumes marroquinos; e cilindro de chocolate com cream cheese, dacquoise de amêndoas e cerejas amarena. A massa em forma de borboleta também foi reeditada, mas com fonduta, alho-poró e ragu de cordeiro.

BH SABOR E ARTE
Menus especiais servidos em 10 restaurantes da cidade até dia 8 do mês que vem. Cada menu custa entre R$ 62 e R$ 140 (por pessoa e sem bebidas). Informações: (31) 3282-5533 e www.bhesperaporvoce.com.br

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA