Maurizio Gallo serve a típica comida italiana

10/10/2008 07:00
Pedro David/Especial para o EM
O chef romano Maurizio Gallo começou cozinhando para os amigos e vendendo molhos artesanais (foto: Pedro David/Especial para o EM)
Há uma distância enorme entre o que se come em casa e o que é servido num restaurante de luxo. As diferenças não se restringem a proposta culinária, pois englobam fatores técnicos e econômicos, sem falar na qualidade dos ingredientes empregados no preparo. Entre esses extremos, existe um sem número de estabelecimentos cuja proposta é difícil de ser classificada. Exemplo mais recente disso em Belo Horizonte é a loja-restaurante que o italiano Maurizio Gallo abriu no São Pedro, onde pequenas mesas dividem espaço com freezers de pratos congelados e prateleiras com produtos de apelo gourmet.

Para quem sobe a Avenida Nossa Senhora do Carmo sem prestar muita atenção, a casa não é mais do que um vulto. Trata-se de uma pequena loja com portas de vidro e placa razoavelmente discreta. Do lado de dentro, cinco mesas de madeira atendem quem quer comer no local. Ao redor, armários de madeira e prateleiras fazem da casa uma espécie de empório, com azeites, vinagres, vinhos, massas, tomate pelado, grissini, arroz italiano, embutidos artesanais e molhos feitos pelo próprio Maurizio – tudo à venda.

“Não sou um restaurateur a la carte. Sempre fiz comida para eventos e comida caseira. Não quero competir com ninguém, apenas servir comida italiana caseira”, sintetiza o italiano, que nasceu em Roma. Casado com uma belo-horizontina que conheceu no país natal, ele está na cidade desde 2005. Se formou em contabilidade, mas não trabalhou na área. Sempre gostou de cozinhar. “Meu pai é um bom cozinheiro e me ensinou algumas receitas, como carne com orégano, spezzatino e risoto com cogumelos porcini”, lembra.

Nos primeiros meses em que morou na capital mineira, cozinhava os pratos que mais gostava para amigos da mulher, sem cobrar nada. Sua fama como cozinheiro começou a crescer e, com o tempo, família e amigos passaram a aconselhá-lo a usar seu talento para ganhar dinheiro. Passou, então, a vender molhos e, há um ano, vender pratos congelados para padarias e clientes particulares. Hoje, incorporou ao seu currículo jantares sob encomenda.

Entre suas especialidades estão os molhos pesto, calabrês e de tomate seco com nozes. O primeiro leva azeite, parmesão (curado na casa do proprietário), castanha de caju, alho, manjericão e sal. Já o calabrês, é feito com pimentão vermelho (ou amarelo), ricota defumada com pimenta, parmesão, alho, azeite e sal. Entre as massas, a mais pedida chama-se spartelli: enroladinhos de presunto, muçarela, massa cabelo de anjo, castanha de caju, molho de tomate com manjericão e parmesão. As massas (lasanha, ravióli, canneloni, rondelli, entre outras) são feitas no local.

PRATO DO DIA

Durante a semana, a casa oferece menu executivo por R$ 12 (individual), incluindo uma massa, uma carne, arroz e salada, além de café com canela. Nos fins de semana, o cardápio é mais incrementado. Amanhã, por exemplo, o menu individual (R$ 25) será composto por spartelli, fusilli ao pesto e lagarto recheado ao vinho tinto. Nesse domingo, por R$ 30, cada pessoa, berinjela recheada (com carnes bovina e suína, ao molho de tomate), risoto de cogumelos porcini e contrafilé ao molho bechamel com champignon.

Entre as sobremesas disponíveis, estão o clássico tiramisù e musses de coco e maracujá (R$ 5, cada). Os vinhos têm preço de balcão e consumo na casa idênticos – rótulos italianos fazem parte da carta. Para consumir o vinho da casa na temperatura ideal, basta ligar para Maurizio antes de chegar. Ele coloca na geladeira para você.

MAURIZIO GALLO
Avenida Nossa Senhora do Carmo, 860, Sion. (31) 2555-5432. Aberto de segunda a sexta, das 9h às 19h; sábado, das 9h às 16h; domingo, das 9h às 16h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA