Luísa Sonza critica governo em desabafo: 'Mortes que poderiam ser evitadas'

Cantora diz que não para de pensar na morte de Paulo Gustavo, vítima da COVID-19

Reprodução/Instagram
Luísa Sonza (foto: Reprodução/Instagram)
Comovida com a morte de Paulo Gustavo, vítima da COVID-19 aos 42 anos, a cantora Luísa Sonza criticou o governo federal em um desabafo nas redes sociais. "Ver o Brasil nesse estado é desesperador. Como seguir vendo tanta gente morrendo nesse país por causa do descaso de um governo genocida?", iniciou.

“Sério, eu tô com tanta raiva. Tanta tristeza. Não consigo parar de pensar no Paulo, e em todas as vidas que perdemos por um vírus que tem vacina. Todas essas mortes poderiam ter sido evitadas se tivéssemos um governo minimamente decente”, escreve.

Luísa também escreve que é “triste ver um país tão incrível como o Brasil [...] nas mãos de um governo como esse”. “Torço e espero do fundo do meu coração que venham dias melhores pra esse país que amo tanto”, completa.

A cantora conclui afirmando que sentir ódio não leva a nada, mas completa: "Nesse momento eu preciso desabafar sobre uma coisa que é: Bolsonaro, eu te odeio”. “O ódio é o mal do mundo. Quanto menos a gente sentir, melhor, mas nesse momento eu estou com muito ódio desse governo” .

Luísa Sonza recentemente assumiu ser bissexual com o videoclipe Tentação, com Carol Biazin.  "Para quem queria saber, sim, sou", escreveu no Twitter.

Neste sábado, o apresentador Luciano Huck também criticou a gestão federal da COVID-19 ao falar sobre a perda de Paulo Gustavo. “Foi uma partida injusta porque poderia ser evitada”, disse ele.
Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: