Festival de Berlim traz filmes com forte apelo sexual e carga política

Prêmios da 63ª edição do evento serão entregues no sábado, 16

por Diário de Pernambuco 12/02/2013 12:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

AFP PHOTO / GERARD JULIEN
Engajado, James Franco é um dos destaques do Festival de Berlim (foto: AFP PHOTO / GERARD JULIEN )
Passados três dias desde o início da mostra competitiva do 63º Festival de Berlim, alguns pequenos escândalos já despontaram — logo de cara, um grupo de ucranianas do Femen desfilou no tapete vermelho, em topless, contra a mutilação sexual de mulheres, enquanto In the name of (da polonesa Malyoska Szumowska), selecionado entre os longas, retratou o drama íntimo de um padre envolvido com homossexualidade e suicídio, em conservadora sociedade rural. E ainda há material pesado para reflexão nas sessões de parte dos 19 filmes escalados a competirem pelo Urso de Ouro.

Na noite desta segunda-feira, 11, o provocador James Franco (127 horas) testou a aura de ator hollywoodiano com a exibição de 'Interior'. Leather bar (na sessão Panorama). Ao lado do codiretor Travis Mathews, ele brinca, em tom metalinguístico, a partir de densas cenas de sexo, com os 40 minutos que tinham sido retirados da versão final do longa 'Parceiros da noite', polêmico filme de William Friedkin feito em 1980, no qual Al Pacino examinanava uma leva de crimes em gueto homossexual.

 

A veia alternativa de Franco, por sinal, se multiplicou em Berlim: no domingo, 10, ele esteve no elenco de 'Maladies' (assinado por Carter), na pele de um ator esquizofrênico que divide a casa com a personagem de Catherine Keener e de um tipo que se veste de mulher.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA