UAI

Felipe Neto celebra vitória na Justiça contra Nikolas Ferreira

Justiça do Rio de Janeiro determinou que o deputado eleito exclua vídeo com ataques ao youtuber

Reprodução/Instagram/Montagem Reprodução/Instagram/Montagem
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 06/10/2022 09:14
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

youtuber Felipe Neto usou os stories do perfil do Instagram para comemorar, nesta quarta-feira (05/10), uma decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) que determinou a retirada de uma publicação feita contra ele pelo deputado federal mais votado do Brasil e da história de Minas Gerais nas Eleições 2022, Nikolas Ferreira (PL-MG) em 7 de julho.

No vídeo, Nikolas fazia ataques ao influenciador digital para a venda de um curso intitulado "O Grande Cancelamento". O vereador de Belo Horizonte cobrava R$ 297,00 para "ensinar  a lidar com pessoas que cancelam na internet, como Felipe Neto". O curso poderia ser divididos em até 10 parcelas.

 

De acordo com as informações da coluna Lauro Jardim, do jornal O Globo, a juíza Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri, da 4ª Vara Cível da Barra da Tijuca, determinou multa diária de R$ 3 mil, caso o post não seja removido das redes sociais de Nikolas no prazo de 24 horas. Até a publicação desta matéria, o vídeo ainda não havia sido deletado. 

 

A magistrada argumenta que a mantenção da publicação "causa abalo a sua imagem" e que tal "culmina com dano irreparável". Ajuíza solicitou a tutela antecipada com urgência. Na ação,  influencer pediu que Nikolas Ferreira o indenize em R$ 50 mil por danos morais. Felipe alegou que o vídeo dos eventos organizados pelo parlamentar usam sua imagem "com notório intuito vexatório". No entanto, a quantia foi negada pela magistrada.

 

Comemorou nas redes sociais 

"Só para dar um notícia para vocês (rsss), o universo, às vezes... Sério, tem algo ai... Tá conspirando sempre em favor, fazendo tudo se encaixar, tudo ser perfeito. Impressionante, gente", celebrou Felipe Neto nas redes sociais.

 

"Eu falei para vocês que eu não ia mais dar palanque para o 'chupetinha de genocida'. Eu realmente não vou, não vou nem citar nome nem nada. Mas preciso abrir só um parêntese, porque acabou de sair a decisão do juiz", afirmou o digital influencer em referência a Nikolas.

 

"Mas, o 'chaveirinho da milícia' postou um vídeo me atacando com o objetivo de vender cursinho on-line. Me usou para vender cursinho on-line. Uso indevido de imagem e o juiz acabou de obrigá-lo a deletar o conteúdo. Agora ele vai responder para pagar pelo que fez", acrescentou.

 

Em nota, os advogados de defesa do apoiador do presidente da República e candidato à reeleição Jair Messias Bolsonaro (PL), informaram  que não foram citados da decisão que determinou a retirada dos vídeos postados nas redes sociais do deputado federal e informaram que vão recorrer da decisão do TJRJ. Defesa alega que não houve uso indevido de imagem e não procede o pedido de dano moral.

 

Vale destacar, que nos últimos dias, Felipe e Nikolas trocaram ofensas na web em discussão sobre o candidato à presidência Luis Inácio Lula da Silva (PT). O youtuber, que tem 44,5 milhões de seguidores na plataforma de vídeos do Google, rebateu um vídeo do político sob acusação de espalhar fake news. Além disso, Neto o apelidou de "chupetinha de genocida", "esse acessório do fascismo brasileiro" e "chaveirinho de mílicia".

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp