Mais do que mascotes fiéis, cachorros dão provas de coragem pelos donos

Conheça histórias de cães que enfrentaram bandidos, rivais ferozes e alertaram sobre situações emergenciais

por Gabriella Furquim 23/11/2013 14:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Eles soltam pelo, podem ter pulga e carrapato, comem os sapatos, destroem as plantas, fazem xixi fora do lugar. Mas, em momentos de perigo, os cães podem ser verdadeiros anjos da guarda. No Distrito Federal, diversos casos emocionantes confirmam a máxima de que eles podem mesmo ser os nossos melhores amigos. Há pouco mais de uma semana, a cadela Brisa, da raça labrador, alertou a família do pequeno Samuel Mangeroti, 4 anos, que ele havia caído na piscina. No início deste ano, um vira-lata morador das ruas de Ceilândia enfrentou um pit bull que invadiu a casa de Francisca Lima e avançou nas crianças que brincavam no quintal. O animal ficou muito machucado, mas acabou adotado pela família e ganhou carinho e tratamento. Em 2012, o também vira-lata Rec salvou a dona, Isabel de Oliveira, 43, de um estupro dentro da própria casa. O bicho intimidou o criminoso, que acabou preso.

Arquivo Pessoal
Histórias como a da labrador Brisa, que evitou a morte de Samuel por afogamento, mostram a inteligência e a bravura dos cães, verdadeiros anjos da guarda de seus donos (foto: Arquivo Pessoal)
A brincalhona Brisa virou estrela desde que salvou a vida do garoto de 4 anos, que não sabia nadar e caiu na piscina de um casa no Setor de Mansões de Sobradinho. “Ela ganhou um certificado de salvamento do Corpo de Bombeiros, tratamento VIP no pet shop e até uma bola nova”, conta a dona, a botânica Patrícia Monah Cunha Gomes, 27 anos. De acordo com a família, foi a fixação da cadela com o brinquedo que evitou uma tragédia. “O Samuel estava lá fora brincando com ela. Ele disse que jogou a bola na água e ela pegou. Depois, foi se aproximar, escorregou e caiu. Acho que a Brisa foi até a cozinha procurando alguém para jogar a bola de novo. Foi assim que percebemos que ele poderia estar dentro da piscina”, conta Patrícia, que é tia do menino.

A família encontrou a criança sem pulso. “Foi um desespero muito grande. Eu liguei para os bombeiros e a médica nos orientou a fazer massagem cardíaca, respiração boca a boca até a chegada do socorro”, contou a tia. Samuel seguiu de helicóptero para o Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). Ele teve alta três dias depois. “O primeiro pedido dele foi por aulas de natação”, revela. Samuel voltou logo depois para Belo Horizonte, cidade onde mora. A família veio a Brasília no feriado para participar de um casamento. Dona da Brisa, Patrícia está orgulhosa. “Eu a comprei logo que casei. Durante 17 anos, tive uma cadela chamada Brisa, que foi muito importante para mim. Decidi batizar a labradora com o mesmo nome, sabia que também seria especial.”

Valente
Janine Moraes/CB/D.A Press
A labradora Brisa ganhou diploma do Corpo de Bombeiros e tratamento VIP no pet shop: orgulho da família (foto: Janine Moraes/CB/D.A Press)
A rotina do vira-lata Rec mudou depois de ele salvar a dona de uma tentativa de estupro, no Núcleo Rural Zumbi dos Palmares, em São Sebastião. “Agora, ele come só carne de primeira. Tem dia que eu fico no ovo frito, e ele no bife. Mas é merecido. Rec salvou a minha vida. Eu renasci”, conta a dona de casa Isabel Ferreira de Oliveira. O cão também ganhou uma roupa especial, de salva-vidas. “Mas ele só usa quando vamos passear”, explica Isabel.

Rec, que já era conhecido na vizinhança por ser bravo, está ainda mais atento. “Ele é nervoso mesmo. Mas se não fosse assim, não sei o que teria sido de mim aquele dia. Agora, ele não sai da porta da cozinha, que foi por onde o bandido entrou”, conta. A dona de casa diz que ainda não se recuperou do susto. “Sinto medo. Lembro-me do moço me ameaçando e me empurrando para o quarto, falando que ia me matar. Mas sei que posso contar com o Rec.”

Rec contou com ajuda da também vira-lata Lessie para espantar o criminoso. Há pouco mais de um mês, nasceram oito filhotes da dupla. “São cachorrinhos mais do que especiais. Filhos de um herói com uma heroína. Vou doá-los, mas ainda não tive coragem de me desfazer deles. Só vou entregá-los para quem eu tiver certeza absoluta de que vai cuidar bem deles, como eu cuido dos pais”, explicou Isabel.

Janine Moraes/CB/D.A Press
Após salvar garotinha que mora em Belo Horizonte, cadelinha brasiliense se tornou estrela (foto: Janine Moraes/CB/D.A Press)
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA