Tradicional no prato do brasileiro, arroz pode surpreender em receitas elaboradas

Chef Sinval Espírito Santo dá a dica para fazer o arroz bem soltinho

por Celina Aquino 04/10/2015 10:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução
Negro - De consistência firme, requer mais tempo de cozimento. Por ser um tipo de grão exótico, combina muito bem com frutos do mar e outras carnes com sabor mais marcante (foto: Reprodução)

Pode até faltar carne. Mas arroz é um ingrediente que nunca desaparece da mesa do brasileiro. No dia a dia, a preferência nacional ainda é pelo branco, tecnicamente chamado de agulhinha, ou, no máximo, para os mais saudáveis, o integral. Para preparar pratos mais diferentes, vale explorar uma infinidade de tipos de grãos, que resultam em sabores por vezes exóticos.

“O arroz pode acompanhar qualquer alimento, embora cada vez mais encontramos pratos à base de arroz que são uma refeição única, como risoto, arroz de forno e salada de arroz, que só se via na cozinha europeia”, comenta o professor do curso de gastronomia do Centro Universitário Una, Sinval Espírito Santo. O chef fica surpreso de ver que até o bolinho de arroz, receita que as donas de casa preparavam com a sobra do dia anterior, voltou a ser servido como petisco em muitos bares.

Sinval trabalhou por anos em Lombardi, região produtora de arroz no Norte da Itália, de onde vem o risoto. Nesse caso, o grão deve ficar al dente e o prato bem cremoso. Já para quem prefere o arroz soltinho, Sinval ensina seu truque. “Gosto de fazer do jeito da minha avó. Torro o grão com óleo e a primeira água entra fervendo. Deixo a panela tampada e, quanto água seca, desligo o fogo. Cinco minutos antes de servir, coloco a segunda água. Desse jeito não tem erro”, revela.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA