Del Mare troca de endereço e mantém proposta de oferecer preços acessíveis

Novo desafio da casa, agora no Lourdes, é evitar a conta 'salgada' para o cliente

por Eduardo Tristão Girão 24/07/2015 09:02

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
MARCOS VIEIRA/EM/D.A.PRESS
Ambiente do Del Mare, que saiu do Gutierrez e se instalou em Lourdes, no endereço que já foi da Spazio d%u2019Olivo e do Bangkok (foto: MARCOS VIEIRA/EM/D.A.PRESS)
Quando foi aberto no Gutierrez, em 2013, o Del Mare tinha como objetivo servir pratos com peixes e frutos do mar sem “assaltar” o freguês. O chef Washington Ronda desfez a sociedade com Deborah Auharek no fim do ano passado e, em março, transferiu o restaurante para Lourdes, bairro mais caro de Belo Horizonte. Os preços tiveram de ser revistos, mas ele garante que ainda é possível atrair o público da cidade para comer camarão, polvo, lula, mexilhão e badejo.


“Não é porque estou em Lourdes que vou jogar o preço lá em cima. A conta ainda fecha”, afirma. O ponto escolhido por ele está em sua terceira encarnação gastronômica – antes, abrigou a loja de azeites Spazio d’Olivo e o tailandês Bangkok. Ronda não fez reforma ali, mas trocou os móveis. A pequena cozinha continua no segundo andar, isolada por vidraça e com uma única mesa em frente. A agradável varanda ainda não está aberta ao público, mas deverá ser aproveitada em breve. No total, são 64 lugares.

Sem lagosta, vieira ou ostra, o chef aposta em pratos com camarão (que compra da Argentina), polvo, lula, mexilhão, siri, badejo, salmão e tilápia. De fato, há pratos de peixes e frutos do mar mais caros na cidade, mas isso não significa que o cardápio local tenha pechinchas. Não existe milagre. Massas e risotos ficam em torno de R$ 70 (individuais), incluindo pedidas como fettuccine com molho de tomate, camarões e alcachofras; o arroz negro com refogado de frutos do mar e açafrão; e o risoto de camarões com aspargos tostados.

Há quatro pratos para compartilhar (servem duas pessoas): moqueca baiana (com badejo e camarões; guarnecida com arroz e farofa; R$ 140), polvo à lagareiro (com páprica picante, batatas ao murro, brócolis e cebola; R$ 175), paella de frutos do mar (R$ 175) e bobó de camarão (com arroz e farofa; R$ 160). Para abrir o apetite, há casquinha de siri (R$ 14 a unidade) e porções de bolinho de bacalhau (R$ 31, oito unidades) e lula à dorê (R$ 32). Três pratos com carne e um vegetariano completam as pedidas.

MARCOS VIEIRA/EM/D.A.PRESS
Fettuccine com molho de tomate, camarões e alcachofras é uma das opções do cardápio com preço em torno de R$ 70 (foto: MARCOS VIEIRA/EM/D.A.PRESS)
PECÃ
Ronda, que nasceu no Rio de Janeiro, formou-se no Senac carioca e no Italian Culinary Institute for Foreigners (Itália), tendo passado pelas cozinhas Cipriani (RJ), Quattrino (SP) e, em BH, a do extinto Dádiva. Ele também trabalhou com confeitaria na cozinha do Copacabana Palace (com o francês Dominique Guerin) e produz todas as sobremesas do cardápio, como a torta quente de noz pecã com sorvete de chocolate branco (R$ 18), o petit gâteau com sorvete de baunilha (R$ 18) e a tarte tatin (torta quente de maçã; R$ 16).

De terça a sexta, o almoço executivo lista cerca de oito pratos (em torno de R$ 30 cada um), alguns deles à base de peixes e frutos do mar, todos com entrada incluída. Cervejas custam R$ 8 (long neck) e a carta de vinhos, com rótulos das importadoras Premium e Casa do Porto, lista cerca de 20 opções entre R$ 56 e R$ 122 (garrafa; a maioria não passa dos R$ 80).

Del Mare

Rua Fernandes Tourinho, 1.057, Lourdes. (31) 3656-1729. Aberto terça, das 11h30 às 15h; quarta e quinta, das 11h30 às 15h e das 19h às 23h; sexta, das 11h30 às 15h e das 19h à 0h; sábado, das 12h às 16h e das 19h à 0h; domingo, das 12h às 16h30.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA