Ingredientes típicos de Minas vão brilhar no circuito gastronômico Aproxima

Evento conta coma participação de mais de 70 estabelecimentos durante um mês em BH

por Eduardo Tristão Girão 12/06/2015 09:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Victor Schwaner/Divulgação
Risoto de beterraba com queijo de cabra e cafta do Restaurante Birosca S2 (foto: Victor Schwaner/Divulgação)
A valorização de ingredientes locais, tecla na qual muitos chefs têm batido nos últimos anos, é o mote do circuito Aproxima, desdobramento da feirinha homônima que, há um ano, vem rodando a capital com barracas de produtores de todo o estado, restaurantes e bares. Deste sábado a 12 de julho, o evento reunirá cerca de 70 estabelecimentos de BH, cada um apostando numa receita com produto típico, entre queijos, doces, carnes, verduras, grãos e castanhas.


“Deixamos todos livres para escolher. Na edição do ano que vem, queremos fechar o foco em alguns produtos ou, de repente, numa região só. A gente tem de mostrar que somos ricos, temos produtos e produtores maravilhosos”, afirma Eduardo Maya, organizador do circuito. Cerca de 100 produtores foram selecionados pela equipe do Aproxima e colocados à disposição dos participantes – restaurantes, pizzarias, hamburguerias, cafeterias, sorveterias e lojas de quitanda. Bares deverão entrar na próxima edição.

Algumas casas já trabalham com ingredientes desse perfil. É o caso do Restaurante Birosca S2, em Santa Tereza. “Adotei o queijo de cabra do Onivaldo há um ano. Ele é caro, raro e, muitas vezes, importado. Descobri algumas poucas fazendas no Brasil que o produzem. A dele é pequena e fica aqui em Itabirito”, conta a proprietária, Bruna Martins. O risoto de beterraba que leva esse queijo é servido com cafta (R$ 40, individual).

Há limitação de preços, definida em função do perfil de cada casa. Pratos individuais não passam de R$ 40, pizzas não custam mais de R$ 30, hambúrgueres por até R$ 25, sorvetes são vendidos por R$ 8 e itens de cafés e lojas de quitanda, R$ 15. Por esse motivo, há diversas oportunidades de comer em restaurantes cujos pratos normalmente custam bem mais do que R$ 40 – fazem parte do circuito as casas Taste-Vin, A Favorita, Vecchio Sogno, Trindade, Alma Chef, Villa Roberti, D’Artagnan, Ficus, Au Bon Vivant e Ah! Bon.

A participação de pizzarias reforçou a presença do queijo canastra no evento: das seis, quatro usam o ingrediente, a exemplo da Speciali, em Lourdes, que o coloca sobre massa feita com manjericão, coberta ainda com cogumelos e alho-poró. A casa selecionou um exemplar curado, fornecido por um dos produtores mais conhecidos da região: João Leite, de São Roque de Minas. Vale destacar os resultados incomuns obtidos com sorvetes (um deles é de abóbora) e hambúrgueres (como o feito com carne serenada).

FEIRA A edição deste sábado da feirinha Aproxima será no Via Shopping, no Barreiro, com 30 barracas, incluindo sete cervejarias locais, food truck de coxinha, Classe A (frutos do mar), Café Cine Brasil. Entre os 15 produtores, há gente que trabalha com café, cachaça e queijos da Canastra. O evento vai das 10h às 17h e tem entrada franca. A próxima edição será antecipada para 27 deste mês e será realizada com o Festival Literário Internacional de Belo Horizonte, no Parque Municipal.

CIRCUITO APROXIMA

Pratos com ingredientes de produtores mineiros em cerca de 70 estabelecimentos da cidade. De sábado a 12 de julho. Informações: www.projetoaproxima.com.br

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA