Receitas caseiras são o forte da 1/2 Chávena, recém-aberta no Anchieta

Negócio de família conta com mãe e filha dividindo os trabalhos da casa com receitas tradicionais

por Eduardo Tristão Girão 05/06/2015 08:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fotos: Jair Amaral/ EM/ D.A Press
Clarissa e Gabriela Borja apostam no gosto do mineiro por produtos caseiros (foto: Fotos: Jair Amaral/ EM/ D.A Press)
São apenas duas mesas lá fora e outras duas lá dentro, além de duas banquetas junto ao balcão. Apesar de pequenina, a loja 1/2 Chávena, recém-aberta no Anchieta, é mais um exemplo da multiplicação de casas dedicadas a quitandas a que Belo Horizonte assiste de poucos anos para cá. Atrás do balcão está a designer Gabriela Borja, que partiu do talento culinário da mãe, Clarissa, para definir as receitas que abastecem as prateleiras. Há também tortas, biscoitos, café e chás para saborear ali ou levar para casa.


“Minha mãe fazia bolos desde que eu era pequena, sempre para os aniversários dos três filhos. Às vezes, levávamos para a escola, e as mães dos colegas começaram a pedir. Chegamos a alugar uma casa para ampliar a produção, mas a ideia acabou não indo adiante”, conta Gabriela. Quando ela trabalhava na loja de produtos artesanais De-Lá, a proprietária quis implantar uma linha de produtos mais perecíveis, incluindo bolos. Isso incentivou Clarissa, convidada pela filha a retomar a produção dos velhos tempos.

Atualmente, os bolos são entregues na De-Lá às quintas-feiras, enquanto marcam presença diária na 1/2 Chávena. São oferecidos de quatro a cinco sabores por dia, totalizando apenas 30 unidades. Os mais vendidos são os de maçã com canela, de limão e de cenoura com brigadeiro. Os outros sabores são fubá, ameixa-preta, damasco, gotas de chocolate com nozes, maracujá, castanhas e, por causa da época, mexerica. A unidade de 400g sai por R$ 8 a R$ 24, dependendo do sabor. Cada fatia custa R$ 4.

FORNO Tortas, por enquanto, são duas: de coco gelado e de três chocolates (ao leite, amargo e branco), ambas vendidas a R$ 10 (fatia). A maioria das receitas foi transmitida por uma tia de Clarissa, Tença, que é de Belo Horizonte. No momento, Gabriela testa versões integrais dos bolos de maçã com canela, de cacau e de banana. Basicamente, eles levam farinha de trigo, açúcar refinado e óleo (ou manteiga, em função da receita). Todos são assados em forno elétrico. Ou melhor, quase todos.

“Bolo de maçã e de banana fica melhor no forno a gás, não sei por quê. É difícil fazer bolo, ele não fica sempre igual. Se está frio, quente ou chovendo, tudo influencia. A receita é uma referência, mas na hora é que se veem as alterações necessárias. Isso não influi tanto no sabor, mas na aparência”, conta Gabriela. Com uma ajudante na cozinha, ela também prepara biscoito amanteigado (com suspiro de limão por cima) e de nata, a R$ 10 e R$ 6 (pacote), respectivamente.

GRADIL Para beber, há café coado (R$ 3,50; da Academia do Café) e chá (R$ 3; quente ou gelado), servidos em xícaras de diferentes modelos e trazidas da casa da família. Aliás, têm a mesma origem o gradil que decora a parede dos fundos e o móvel de madeira e pedra que serve de balcão (antes, ele abrigava o aparelho de som e discos de vinil).

Em breve, a loja oferecerá café da manhã. Encomendas de bolos são aceitas com 24 horas de antecedência.

1/2 CHÁVENA
Rua Montes Claros, 655, Anchieta. (31) 2514-0224. Aberto de segunda a sexta, das 9h às 19h30; sábado, das 9h às 16h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA