Queijos diferenciados, quitutes e doces formam a linha de frente da Roça Capital

Nova loja de iguarias no Mercado Central chama a atenção pelo visual atualizado

por Eduardo Tristão Girão 01/05/2015 11:19

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fotos: Jair Amaral/EM/D.A PRESS
(foto: Fotos: Jair Amaral/EM/D.A PRESS )
A Roça Capital não é só uma nova loja no Mercado Central. Ela chama a atenção pelo visual atualizado, por ter música de fundo e, claro, pelos produtos que expõe em suas prateleiras, praticamente todos mineiros. A especialidade são os queijos de leite cru curados, mas há também grande variedade de doces típicos, bem como cervejas especiais (algumas produzidas aqui), quitandas feitas no próprio local (bolos e pão de queijo) e pães de fermentação natural da Grano.


Definitivamente, não é o padrão dominante ali. A começar pelos queijos. Apesar de ser uma das referências de Belo Horizonte no tema, o mercado é um lugar onde comprar um bom exemplar não é tarefa das mais simples. Não é só pela profusão de lojas, mas também pelo despreparo (ou desrespeito) de quem vende. Fregueses recebem informações confusas ou erradas, correm o risco de levar gato por lebre e, não raro, se deparam com bizarrices como “Canastra de Araxá” (Canastra é uma região, Araxá fica em outra).

Leia mais sobre gastronomia no Blog do Girão

Por isso chama a atenção a seleção feita pelo proprietário Guilherme Pereira, que, apesar de não ter experiência no ramo (é dono da loja de artesanato Haveli, em frente), trouxe queijos icônicos, como o canastra do produtor Onésio (atualmente, um dos melhores) e os resinados de Serra do Salitre (de João José Melo, no Alto Paranaíba), além de peças de João Leite (Canastra), Guilherme Ferreira (Canastra) e Taco (Serro). Os preços começam de R$ 17,90 (quilo), sendo que boa parte dos queijos é vendida sem fracionar (a partir de R$ 48 a peça).

Uma funcionária que trabalhou na Loja do Itamar (uma das melhores do ramo no Mercado Central) agora cuida dos queijos da nova casa. As prateleiras são limpas diariamente e as peças, lavadas com água e bucha vegetal a cada dois dias. Há sempre um queijo em promoção por R$ 39 (peça): atualmente, é o canastra da fazenda Capim Canastra. Ocasionalmente, produtores vão até a loja para promover degustações de seus queijos e conversar com fregueses.

Mocotó Inicialmente, o negócio seria uma queijaria, conta Flávia Brito, irmã de Guilherme, que também trabalha ali. “A administração do mercado nos desencorajou, disse que a concorrência é grande, com gente que está no ramo há muitos anos”, lembra. Sem desistir totalmente da ideia inicial, a família incrementou a oferta de produtos, sobretudo com doces. Estão lá itens consagrados, como o doce de leite Viçosa (R$ 19,90, 800g) e outros menos populares, mas não por isso desinteressantes, como os concorrentes Boreal e Senador (R$ 16,90, cada; 800g).

Também chamam a atenção a geleia de mocotó Ladaroça (feita em fogão a lenha, em Doresópolis; R$ 15,90, 600g) e os doces da marca Dacris, de Viçosa, feitos com menor quantidade de açúcar e frutas orgânicas (pêra e manga; R$ 19,90 e R$ 23,90, respectivamente, pote de 370g). Doces em pasta são vários, o que inclui, por exemplo, doce de leite com coco, doce de leite talhado, ambrosia, doce de queijo em calda e cocada de marcas como Christy, Zélia, Vovô Olavo, Reserva de Minas e São Lourenço. Há opções diet.


Roça Capital
Avenida Augusto de Lima, 744, loja 268, Centro. (31) 3789-8669. Aberto de segunda a sábado, das 8h às 18h; domingo e feriado, das 8h às 13h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA