Bar do Antônio expande os negócios e abre casa no Luxemburgo

Espaçosa, nova casa tem quatro ambientes e comporta mais de 200 pessoas

por Carlos Herculano Lopes 01/08/2014 08:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
André Hauck/Esp. EM/D. A Press
A tradicional carnoba - filé de carne, taioba e batata empanada com queijo e bacon - faz parte do cardápio da nova casa (foto: André Hauck/Esp. EM/D. A Press)
A bem-sucedida experiência no Bar do Antônio, o Pé de Cana – um dos locais mais conhecidos do Sion, onde estão desde 1983, após terem adquirido o estabelecimento das mãos do seu fundador, o maranhense Antônio de Abreu Ferreira, que abriu a casa no início dos anos de 1960 – animou os irmãos Márcio, Roberto e Marco Túlio Bontempo a expandir o negócio. E o fizeram com muito bom gosto: quem quiser conferir é só dar um pulo, sozinho ou bem acompanhado, na nova casa que os Bontempos abriram há pouco mais de um mês na Rua Guaicuí, no coração do Bairro Luxemburgo.


Com capacidade para atender (bem) cerca de 260 clientes, ou até um pouco mais, dependendo da demanda, a casa, que tem decoração leve e é bem arejada, oferece quatro ambientes: um na calçada, com várias mesas; outro na varanda, com boa visão para a rua; e um espaço interno, mais próprio para refeições. Tem ainda um parquinho para a criançada se divertir.

De acordo com Marco Túlio, de 51 anos, que atualmente cuida mais da parte administrativa das duas casas, enquanto os chefs Márcio e Roberto se encarregam de manter cada vez mais aprimorada a excelência da cozinha, a abertura do novo Bar do Antônio não deixará em segundo plano a casa do Sion, onde tudo começou.

“Pelo contrário, continuaremos a dar a mesma atenção aos nossos antigos clientes, da mesma forma que procuraremos nos adequar às necessidades do novo bar”, diz Marco.

Variedade Quem também veste a camisa da casa é o gerente Robson Mendes da Silva, de 30 anos. Mineiro de Cachoeira da Prata, que trabalha com os Bontempos há uma década (começou como garçom), ele se entusiasma ao falar dos pratos oferecidos: entre os executivos, o carro-chefe, continua a ser o medalhão de filé mignon, que fez fama no primeiro Pé de Cana. Vem com acompanhamento: bacon, gorgonzola, batata suflê e pétalas de agrião; ou com arroz, alface, tomate, cenoura, palmito, farofa, feijão e salada de batata. O prato é individual e sai a R$ 33,50.

Outro executivo apreciado é o prato com chorizo, servido com os mesmos itens do medalhão (também a R$ 33,50). Já o PF da casa custa R$ 14. Entre as opções de peixe, tem o filé de tilápia, que pode ser servido ao molho de mexerica ou com legumes (ambos a R$ 35). Sanduíches variados são servidos no bar, com preços variando entre R$ 13,50 e R$ 32.

Em todos os dias da semana são oferecidos pratos que variam de R$ 16 (mineirinho, servido na sexta-feira) a R$ 34 (feijoada completa, aos sábados). Se a pedida for tira-gosto, o gerente sugere o riquezas de Minas, que está “bombando”. A porção é preparada com coxinha da asa do frango, bolinho de linguiça com mandioca e linguiça com molho picante (R$ 35).

“O serenata no Pé de Cana também tem bastante saída na casa”, conta Robson. É preparado com carne de sereno com batata recheada com creme de requeijão do norte e molho de pimenta (R$ 35, a porção).

Quem quiser tomar uma da boa não terá dificuldades de escolha: no novo Bar do Antônio a cachaçaria reúne nada menos de 170 rótulos. Também no cardápio, cervejas, destilados e refrigerantes, além de sobremesas.

Bar do Antônio Pé de Cana
Rua Guaicuí, 615, Bairro Luxemburgo. Aberto de segunda a sábado, das 11h à 1h; domingo, das 11 às 19h. Capacidade: 260 lugares. Informações: (31) 3293-7267.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA