Cookie vira mania nos cafés e lanchonetes fast food

Bolacha com gotas de chocolate ganha Minas Gerais

por Patrícia Crespo 16/03/2014 19:31

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cookie vira mania nos cafés e lanchonetes fast food
Bolacha com gotas de chocolate ganha Minas Gerais (foto: Cookie vira mania nos cafés e lanchonetes fast food)
As quitandas mineiras são famosas de norte ao sul do país. Biscoitinhos de todas as espécies, broas e bolos variados fazem parte do patrimônio culinário das Gerais. Em mil novecentos e antigamente, sábado era dia de fazer quitanda. Faço parte da geração quitanda. Guardo na memória a lembrança da bolinha de massa dentro de um copinho com água esperando o tempo certo de assar o pão de batata. A mesa, com as produções do sábado, era posta lá pelas quatro da tarde e permanecia até o final do domingo, sempre reposta com alguma novidade saborosa. Parentes, amigos e vizinhos visitavam uns aos outros com frequência nos fins de semana e entre um papo e um cafezinho sempre cabia um biscoito e um bolinho.

O termo biscoito surgiu na França no século 17 para denominar um pão que era amassado e cozido de novo, transformando-se numa massa dura que se conservava por mais tempo. “Biscoito” é justamente a junção dos termos “bis” e “cuit”, que quer dizer “cozido duas vezes”. A popularidade e a diversidade de receitas de biscoitos, aumentaram rapidamente na Europa, onde eram servidos com o tradicional chá da tarde. Na Inglaterra, os biscoitos de tão populares, foram exportados para as colônias britânicas da época. Assim, as cidades importantes dos Estados Unidos foram consumindo, pouco a pouco, os "biscoitos para chá e café dos ingleses".

No país do Tio Sam, a novidade dos ingleses se espalhou e se regionalizou. O nome "biscuit" foi abandonado e o quitute americano foi rebatizado de "cookie", originário do termo "koekje", holandês, que quer dizer "bolo pequeno". Foi para agradar a seus hóspedes na década de 1930, que a americana Ruth Graves Wakefield, dona de uma pousada, a Toll House Inn, na cidade de Whitman, no estado de Massachusetts, criou, acidentalmente, uma receita que iria virar mania por todo o país. Dizem que um dia, preparando sua tradicional receita de biscoito, ela ficou sem o chocolate que habitualmente usava e resolveu picar uma barra de chocolate meio amargo e colocar os pedaços, acreditando que com o calor do forno eles derreteriam e espalhariam pela massa. Eles não derreteram e, em vez disso, os pedaços de chocolate dentro do biscoito deram um charme na preparação e originaram a receita mais famosa do país. A dona da pousada batizou sua criação como Toll House Crunch Cookies.

Receita boa é igual notícia ruim, todo mundo fica sabendo e logo foi publicada em jornais, divulgada em rádios e então começou a correr o mundo. Dizem por aí que os americanos consomem mais de 2 bilhões de cookies por ano. Milhares de estabelecimentos e indústrias se especializaram em fabricar e vender o biscoito da Ruth. Por aqui também já é mania a bolachona com gotas de chocolate. Cafés e lanchonetes cativam os clientes com o clássico biscoito americano, tradicionalmente crocante por fora e macio por dentro.

Nos dias de hoje, com a grande oferta de deliciosas gulodices disponíveis nas prateleiras de supermercados e padarias, o dia de fazer quitanda foi cortado do calendário e a comodidade do produto pronto é tentadora e prática. No entanto, nada melhor do que receber uma visita com um quitute preparado com as próprias mãos. A receita que repasso aos leitores aprendi durante meu curso de gastronomia e faz um sucesso danado toda vez que a preparo. Que tal botar a mão na massa?

*Formada em jornalismo pela
Puc Minas e em gastronomia
pela Estácio de Sá.

COOKIES

Ingredientes

100g de manteiga em temperatura ambiente (metade do tablete convencional), 100g de açúcar impalpáve l,80g de açúcar mascavo, 1 ovo em temperatura ambiente ligeiramente batido, 160g de farinha de trigo peneirada, 1 pitada de fermento em pó, 180g de chocolate meio amargo picado, gotas de chocolate para decorar

Modo de fazer

Misturar a manteiga com o açúcar impalpável e o açúcar mascavo até ficar tudo igual. Incorporar o ovo. Peneirar a farinha com o fermento. Amassar e agregar o chocolate picado. Forrar um tabuleiro com papel-manteiga e untar o papel com manteiga. Fazer bolinhas do mesmo tamanho. Tome como referência o tamanho de um bombom Sonho de Valsa. Colocar as gotas de chocolate espalhadas por toda a bolinha. Levar a assar em forno médio por no máximo 10 minutos. Eles vão sair bem moles do forno e depois de esfriar vão endurecer. Depois de frios, devem ser guardados em lata ou pote com boa vedação.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA