Superstição à parte, lentilha traz sabor e charme à ceia de réveillon

Mesmo se você não acredita em superstições, se delicie com lentilhas na ceia de réveillon

por Patrícia Crespo 29/12/2013 11:12

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Leandro Couri/EM/D.A Press
Agregar lentilhas ao cardápio da ceia de réveillon é sucesso garantido (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Um dos primeiros vegetais cultivados pelo homem, a lentilha já foi muito desprezada, apesar do seu valor nutricional. Na Grécia antiga, os novos ricos diziam não gostar da leguminosa, considerada comida de pobre. O curioso é que, atualmente, é associada à riqueza, talvez porque seus grãos achatados lembrem moedas. Reza a tradição que comer lentilhas na passagem de ano é um investimento de retorno certo para o bolso.

No Oriente Médio e na África do Norte, é alimento presente em todas as mesa, durante o ano todo. Elemento importante na dieta dos povos dessas regiões, mereceu, inclusive, citação na Bíblia: no livro do Gênesis, do Antigo Testamento, Esaú vende o seu direito de progenitura ao esperto irmão Jacó por um prato de lentilhas.

São conhecidas dezenas de variedades da “moedinha”. A lentilha continental é a mais comum, inclusive no Brasil. De forma achatada e cor amarronzada, mantém a forma quando cozida. A lentilha amarela ou dahl é muito usada na cozinha indiana, enquanto a laranja, também conhecida como vermelha partida, é menor, de cozimento rápido e muito usada para engrossar molhos e sopas. Há, ainda, dois tipos de lentilha negra: a beluga é bem pequenininha e a de maior teor proteico. É muito usada em saladas e para enfeitar canapés, pois, como diz o nome, tem aparência semelhante à do cobiçado caviar. A lentilha negra indiana é maior e tem o formato de um feijão.

Já a lentilha de Puy, ou verde, é a variedade gourmet. Originária da região francesa de mesmo nome, ela se desenvolveu no solo vulcânico característico do local e é famosa pelo toque picante de sabor e pela capacidade de manter a forma depois de cozida. Hoje é cultivada também na Itália e nos Estados Unidos.

As lentilhas frescas não são usadas na cozinha, somente as secas e os brotos do vegetal, que, consumidos crus, acrescentam valor nutricional e frescor às saladas. Os grãos desidratados e cozidos são usados em receitas variadas: rendem boas saladas e excelentes cremes e purês, além de dar “sustança” a cozidos e sopas. Na cozinha árabe, é ingrediente de vários clássicos. No Brasil, o mais conhecido é o arroz misturado com lentilhas e coberto por cebolas fritas.

Verdadeira ou não a crença de que comê-la no ano-novo traz prosperidade e abundância, seguir a tradição não faz mal a ninguém. Pelo contrário: agregar lentilhas ao cardápio da ceia de réveillon é sucesso garantido, como bem sabe minha amiga Denise Viana, que me ensinou a receita que hoje passo a vocês.

Salada de lentilhas e cerejas

Ingredientes


1/2kg de lentilhas cozidas al dente; 2 cebolas em tiras; 50g de manteiga; 2 dentes de alho picados; 300g de cerejas frescas, descaroçadas e picadas em quartos; 1 colher de sobremesa de açúcar refinado e salsinha picada, azeite, sal e pimenta-do-reino a gosto.

Modo de fazer

Fritar a cebola na manteiga, polvilhando o açúcar e mexendo até que fique bem escura (caramelizada). Reservar. Pôr um fio de azeite na panela, dourar o alho um pouco e refogar as lentilhas, temperando com sal e pimenta-do-reino. Desligar o fogo, acrescentar a salsinha e as cerejas. Acertar o tempero, regar com azeite, distribuir em taças e decorar com as cebolas caramelizadas reservadas.  

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA