Tadeu Lubambo faz sucesso com pratos criativos em Pipa, no Rio Grande do Norte

Sofisticação com familiaridade faz de chef um nome especial dentro do cenário gastronômico atual

por Marianna Rios 15/07/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Pedro Motta/Esp. EM
(foto: Pedro Motta/Esp. EM)
Tadeu Lubambo é pernambucano, tem 66 anos, e descobriu Tibau do Sul, mais precisamente, Pipa, no Rio Grande do Norte, para fazer morada e trabalhar, ou melhor, ter prazer. Lubambo deixou o ofício de repórter-fotográfico, atividade que desempenhou durante mais de 20 anos em diversas partes do Brasil, para se tornar chef. E em seu restaurante, o Camamo, nome sem significado conhecido, simplesmente dado por uma criança, encontrou a verdadeira vocação. Espirituoso, gentil, bem-humorado, Tadeu Lubambo não se prende a memórias do passado, e resume assim como tudo começou: “Era arrimo de família. Saí de casa cedo e precisava trabalhar. Fiz de tudo um pouco na vida, até me tornar fotógrafo. Não antes de ter descoberto meus dotes culinários. Descobri que fazia sucesso na cozinha quando as namoradas aceitavam dormir na minha casa depois das comidinhas que preparava para elas”, conta achando graça. Passados cerca de 50 anos, ele, que é pai de duas meninas e está no 8º casamento, já não precisa mais “encantar garotas” com seu tempero. Mas continua impressionando, desta vez, uma horda de comensais exigentes que se deliciam com suas receitas exóticas as quais denomina “Gastronomia Exótica, de Fusion Contemporânea”. Um termo rebuscado para uma cozinha simples traduzida por máximo de sabor, criatividade e ingredientes inusitados.

Longe da figura de empresário – o que diz ter virado ao abrir a primeira casa, o Beijupirá, em Porto de Galinhas, no Recife, na década de 1990 –, o seu compromisso hoje é apenas ter e dar prazer chef Lubambo chegou a comandar a casa, com 140 lugares, por 16 anos. “Ganhei muito dinheiro. Mas detestava tudo aquilo. Meu negócio sempre foi criar”, confessa. Vendeu tudo e foi embora para Pipa. Lá, há 11 anos, concebeu seu restaurante na casa onde vive com a família – e onde serve somente menu confiance , para no máximo seis pessoas por noite – e só mediante reserva. Assim , pequenino, e sem nenhuma pretensão ou esforço, como diz, foi longe. O Camamo foi eleito o melhor restaurante do Nordeste. Sem contar as inúmeras vezes consecutivas em que recebeu duas estrelas pelo Guia 4 Rodas, além de ser considerado em 2010, 2011 e 2012 um dos cinco melhores restaurantes do Brasil .

Menu autoral
Que ninguém pense que vai encontrar no Camamo filé ou galinha. Tudo lá é diferente mesmo. Bebidas podem vir da Califórnia ou da África do Sul e os drinques ganham toque especial como a caipirosca de banana com gengibre, limão e pimenta. Também tem sabores exóticos, como a de flor de cactus, batinga e marguerita de murici. No menu Confiance, mais surpresas: o cliente poderá degustar salada com dois tipos de alface, roquefort, pera, castanha-de-caju, agrião picante, balsâmico, mel de engenho, pimenta rosa; creme de manga gelada com camarões; ostras gratinadas com gorgonzola, manjericão e Contreau; camarões com fios de alho-poró, mel de caju picante, arroz com gengibre, castanha e passas de caju; blinis de lagosta, coco e cinco especiarias; tartar de jacaré com crocante de batata- doce; sopa de espinafre com crocante de cenoura; sorvete de Wassabi; ostras levemente gratinadas com vinho branco, manjericão e parmesão; espuma de maracujá; lagostim com patê de foie, manga grelhada e farofa thai; compota de goiaba com queijo parmesão e sorvete de pistache e por aí vai. “Crio com o que acho fresco no dia”, afirma o chef.


É o próprio Tadeu quem recebe a clientela. Bom de papo, adora contar as aventuras – e os casamentos – que já viveu. Pela casa estão espalhadas fotos de viagens pelo mundo e de seus trabalhos jornalísticos e publicitários. Como repórter fotográfico, chegou a passar alguns meses vivendo entre os índios ianomâmis. Experiências que não parecem ter deixado muita saudade. Ele conta que as três câmaras que tem estão quebradas. E, pelo jeito, vão continuar assim. Enfim, vale avisar que o restaurante não é para fracos. Se você tem uma lista enorme de itens que não come, melhor deixar para lá. Já se gosta de aventura, se joga! A receita do chef está aqui e não nos deixa mentir.

Pedro Motta/Esp. EM
Tadeu Lubambo não se prende a memórias do passado. Vive hoje exatamente da forma que planejou: com total liberdade (foto: Pedro Motta/Esp. EM)
Ceviche de camarão
(porção individual)

l Ingredientes
Para o ceviche: 4 camarões graúdos limpos, sem casca e sem cabeças; suco de limão quanto baste; sal a gosto; 1 pitada de cominho em pó; 1 tomate cortado em cubos pequenos; laranja; maçã; 3 colheres (sopa) de azeite; salsinha; sálvia; tomilho ; alecrim ; cebola sem acidez

Para a cebola sem acidez: 1 cebola em tiras finas; suco de 1 limão; 1 colher de açúcar; água fria

l Modo de fazer
Descasque os camarões e deixe os rabos. Coloque-os em uma vasilha com um pouco de cominho e o suco de limão.Reserve na geladeira. Misture os tomates, a cebola sem acidez, a pimenta, a salsinha, a laranja e a maçã. Coloque o camarão no prato, junto como tomate picado. Regue com o azeite e sirva.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA