Temperos e cortes especiais de carnes são especialidades do Arantes, nova casa de Lourdes

Felipe Lobo comanda o restaurante recém inaugurado

por Eduardo Tristão Girão 07/06/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fotos: Paula Huven/Esp. EM/D. A Press
Costelinha ao barbecue (foto: Fotos: Paula Huven/Esp. EM/D. A Press)
Era para ser um bar de espetinhos no Buritis, mas virou uma casa de carnes nobres em Lourdes. O jovem carioca Felipe Lobo, um dos sócios do recém-inaugurado Arantes, confessa que estava decidido por um galpão enorme no primeiro bairro, mas não conseguiu concluir a negociação. O plano mudou: tendo como vizinhos a pizzaria Marília, o peruano Wari e o português A Tasca na movimentada Rua Marília de Dirceu, apostou em cortes nacionais da valorizada raça bovina Angus assados em parrilla. É misto de bar e restaurante.

Leia mais sobre gastronomia no blog do Girão

Felipe abandonou três cursos universitários, sendo o de gastronomia o último. Também é proprietário do restaurante oriental Takê, ao lado do primo Alexandre Liu, que se juntou a ele, Laura Chan e Rodrigo Mendes no Arantes. Apesar de ter nascido no Rio de Janeiro, Felipe pertence a família que tem tradição no ramo da restauração em BH, tendo comandado o extinto Monjolo (na Floresta) e o chinês Dragon Palace (atual Jin Lon) e hoje à frente de casas como Chop Stick San e Ni Hao – seu avô foi o fundador do trailer Renato Burger.

Churrasqueiro amador, ele mesmo definiu o cardápio, contando com a “consultoria” involuntária de Geraldo Horta, proprietário da loja La Macelleria, de quem sempre comprou carnes para assar nos fins de semana e que, agora, tornou-se seu fornecedor na nova casa. Antes de abri-la visitou restaurantes na Argentina para aprender mais e, na volta, contratou parrillero com experiência em casas do gênero na cidade. O profissional, no entanto, deixou o posto e foi substituído por dois churrasqueiros que vieram da Fogo de Chão.

O tempero é feito com sal fino, louro em pó e pimentas do reino preta e branca, aplicado aos cortes de boi e cordeiro; frango e porco levam, ainda, limão. Apesar de descritas com os preços equivalentes a 100g, as carnes são servidas em tamanhos predefinidos: a picanha (R$ 13, 100g), por exemplo, chega à mesa em dois bifes que totalizam cerca de 300g; já o prime rib, corte da costela bovina, consiste numa peça única de aproximadamente 600g. Qualquer carne é acompanhada por farofa, vinagrete e molho chimichurri.

Completam as pedidas da parrilla cortes bovinos como bife ancho (R$ 12), t-bone (R$ 11) e fraldinha (R$ 10), além de picanha suína (R$ 7) e costeleta de cordeiro (R$ 16) – preços referentes a 100g. Arrozes e batatas dominam as guarnições em receitas como a de aligot (purê de batata com queijo gruyère) e arroz à piemontesa (feito com queijo tipo grana padano; R$ 14). Petiscos, saladas, pratos individuais, sobremesas e hambúrgueres feitos na casa (com mistura de maçã de peito e acém) fecham o cardápio. Há feijoada aos sábados (R$ 59, para duas pessoas).

PARA BEBER A seção de bebidas lista dois chopes (Stella Artois e Heineken; R$ 6, cada) e 13 variedades de cerveja em long neck, entre importadas e nacionais, com preços entre R$ 6 e R$ 12. Vinhos formam carta de cerca de 40 rótulos (entre R$ 46 e R$ 330, garrafa; quase todos da importadora Mistral), sendo que a ênfase está nos argentinos e chilenos. Onze frutas servem de base para as caipis de saquê ou vodca (R$ 12 ou R$ 16, respectivamente). Às terças e quartas, é servida dose dupla de chope. A partir de semana que vem, a casa abrirá para almoço executivo, de segunda a sexta-feira.

Arantes
Rua Marília de Dirceu, 177, Lourdes, (31) 3337-3764. Aberto de segunda a quinta, das 18h à 0h; sexta, das 18h às 2h; sábado, das 12h às 2h; domingo, das 12h às 19h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA