Dois ingredientes são a base dos 45 petiscos do Comida di Buteco, a mandioca e a linguiça

Festival gastronômico começa nesta sexta-feira e vai até 12 de maio

por Eduardo Tristão Girão 12/04/2013 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

HUGO CORDEIRO/NITRO
'A mandioca é a rainha do Brasil e a linguiça é o elemento exótico adaptado, que foi trazido para cá pelos portugueses", Eduardo Maya, organizador do festival (foto: HUGO CORDEIRO/NITRO)
Começa nesta sexta-feira a 14ª edição do Comida di Buteco, que tem como tema linguiça e/ou mandioca. Tendo em vista os motes anteriores do concurso, como jiló, verduras e ingredientes do Norte de Minas, pode parecer aposta no caminho mais fácil, mas é nessa aparente banalidade que está o risco de decepcionar – pela falta ou pelo excesso de criatividade na criação dos petiscos. De hoje a 12 de maio, público e jurados terão oportunidade de experimentar e votar nos seus preferidos, servidos em 45 bares de BH.

Veja fotos dos pratos dos bares concorrentes!


“Essa coisa de parecer fácil foi a primeira percepção e pegou muita gente. Só depois de começarem a criar as receitas é que os donos dos bares viram que o buraco é mais embaixo. Não é só fritar e servir”, diz Eduardo Maya, um dos organizadores do Comida di Buteco. Pela primeira vez, o evento será realizado simultaneamente e com o mesmo tema na capital mineira e nas outras 15 cidades participantes, abrangendo quase todas as regiões do país.


A propósito, este é o motivo pelo qual os dois ingredientes foram escolhidos para nortear as criações dos bares este ano. Maya explica: “Viajo pelo Brasil inteiro e não só pelas cidades que fazem parte do Comida di Buteco. Como é a primeira vez que faremos uma edição unificada, pensei em algo que esteja na mesa de todos os brasileiros. A mandioca é a rainha do Brasil e a linguiça é o elemento exótico adaptado, que foi trazido para cá pelos portugueses”.


A linguiça pode ser feita com qualquer carne e a mandioca, preparada de qualquer jeito. “Cada região brasileira está trabalhando de forma bem típica e os subprodutos da mandioca, como a tapioca, os polvilhos e a tiquira, espécie de cachaça, também estão sendo trabalhados. Isso é muito bacana. Nossa missão é valorizar a cozinha de raiz”, defende Eduardo Maya. No caso de BH, há curiosidades como a falsa polenta frita (de mandioca, claro) e a linguiça recheada com carne de sol e queijo coalho.

Conforto O aumento de quatro bares participantes em relação à edição passada é justificado por Maya em nome de mais conforto para o público. “Quando percebemos que os bares estão ficando cheios demais, a gente aumenta um pouquinho”, afirma. Vale lembrar que o primeiro Comida di Buteco contava com apenas 10 bares. Para este ano, a organização do evento espera 4 milhões de visitas em todos os bares participantes pelo país, sendo 1 milhão somente em Belo Horizonte.

 

Para a próxima edição, adianta Maya, Porto Alegre (RS) e Curitiba (PR) deverão fazer parte do circuito, o que tornará o Comida di Buteco presente em todas as regiões brasileiras. A intenção para o ano que vem, continua ele, é realizar uma grande festa Saideira em BH, reunindo os bares campeões de cada cidade e, na sequência, elegendo o campeão nacional do concurso. Na capital mineira, a festa será dia 18, com shows de Skank e Mart’Nália.

Comida di Buteco
Concurso de petiscos com linguiça e/ou mandioca. Desta sexta-feira a 12 de maio, em 45 bares da cidade. Cada petisco custa entre R$ 20,90 e R$ 22,90. Informações e lista de bares e petiscos no site www.comidadibuteco.com.br. A festa Saideira será em 18 de maio, a partir das 12h, no Largo da Saideira, Avenida Cristiano Machado, 3.450, União, com shows de Skank e Mart’nália. Ingressos: R$ 120 (inteira – segundo lote) e R$ 60 (meia-entrada – segundo lote), à venda nos bares participantes e no site www.ingressorapido.com.br.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA