María Pagés apresenta 'Óyeme con los ojos' em BH no Sesc Palladium

Inspirado em um poema do século 17, espetáculo de flamenco traduz a história de uma mulher angustiada com sentimentos amorosos

por Pedro Galvão 17/05/2018 09:58
David Ruano/Divulgação
A montagem de Óyeme con los ojos contou com a colaboração do poeta marroquino El Arbi El Harti no roteiro, além de outros escritores e poetas. (foto: David Ruano/Divulgação)

Coreógrafa e dançarina de flamenco, a espanhola María Pagés está no Brasil com o espetáculo Óyeme con los ojos (Ouça-me com os olhos), que ela apresenta em BH nesta quinta-feira (17), no Sesc Palladium. No encontro com o público belo-horizontino, ela pretende compartilhar também suas reflexões e inquietações a respeito da própria trajetória na dança.

Para esse que é seu primeiro espetáculo solo em mais de 30 anos de uma premiada carreira, María Pagés se inspirou em um poema do século 17 que a ajuda a definir “o momento particular” que atravessa “como mulher e coreógrafa profissional, depois de muitos anos de experiência”.

Escrito pela freira e poeta mexicana Juana Inés de la Cruz, Sentimientos del ausente trata da história de uma mulher angustiada com seus sentimentos amorosos e a vocação pela dança. “É a história de uma mulher que viveu uma época muito anterior à nossa, mas é uma reivindicação e um compromisso da vida como mulher, de alguém que decidiu ser religiosa, e a dança era a maneira de se expressar livremente. É um tema que continua atual. Tenho esse compromisso de expressar o que isso significa para todas as mulheres e também o momento que estou vivendo particularmente”, diz a artista de 55 anos.

A montagem de Óyeme con los ojos contou com a colaboração do poeta marroquino El Arbi El Harti no roteiro, além de outros escritores e poetas. “Precisei recorrer a outros autores que tivessem a espiritualidade como um instrumento para transcender. Então temos referências de outras origens – árabes, orientais e laicas”, diz a bailarina, natural de Sevilha. A execução musical ao vivo é feita por quatro instrumentistas, uma cantora e um cantor, no característico ritmo do flamenco.

PRESENTE Os músicos são as únicas companhias de María Pagés em cena. Acostumada a dividir o palco e ainda dirigir 20 ou 30 profissionais por espetáculo, vendo-se sozinha em cena pela primeira vez, ela diz: “É diferente. Dirigir uma companhia é um grande esforço, mas agora é um mundo dentro de nosso mundo. É especial, porque se refere à minha pessoa. Os solos permitem que a gente se concentre apenas em si mesma, diferentemente de quando há várias pessoas no palco. É um presente que ganho, necessário no momento de maturidade da minha vida. Tenho mais de 50 anos, e é preciso aproveitar da minha sabedoria e de todos esses anos de trajetória, saber como administrar o corpo e desfrutar de tudo que aprendi”, diz a coreógrafa, premiada mais de 10 vezes por seu trabalho na Espanha e também em festivais internacionais de dança em países como Itália e Chile. Em 2012, ela ganhou o prêmio do público no Festival de Jeréz, por Utopía, obra que montou inspirada na obra do arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer.

Ainda sobre o fato de se apresentar sozinha, ela diz que “o flamenco tem uma origem individualista”. Para Pagés, ainda que seja uma arte tradicional, o flamenco também leva em sua essência a possibilidade de se reinventar com o tempo. “A tecnologia nos permite conhecer mais coisas, e o flamenco é uma arte popular que convive com tradição e evolução. Ele nasce no Sul da Espanha da reunião de muitas culturas. Ali estavam os mouros, cristãos, judeus, africanos e, depois, o diálogo com a América. Então ele segue revolucionando; não fica impassível diante das coisas”, argumenta.

Óyeme con los ojos vem a BH como parte da Temporada Pólobh, depois de passar por Saõ Paulo e Rio. Antes da apresentação do espetáculo, haverá um encontro com a coreógrafa, às 15h, também no Sesc Palladium. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas por telefone.

Óyeme con los ojos

Espetáculo solo da bailarina de flamenco Maria Pagés. Nesta quinta-feira (17), às 20h30, no Sesc Palladium (Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro). Ingressos: R$ 50 (lote promocional) e R$ 120 (Lote 1). Mais informações: (31) 3270-8100.

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']