BBB18: Patrícia é eliminada no sétimo paredão, com 94,26% dos votos

Enviada para a berlinda por Gleici, funcionária pública cearense disputou a permanência na casa com Caruso e seu aliado Diego

por Redação EM Cultura 13/03/2018 23:35

Paulo Belote/Divulgação
Patrícia foi indicada ao paredão por Gleici (foto: Paulo Belote/Divulgação)

A funcionária pública Patrícia, de 32 anos, foi eliminada do BBB18 nesta terça-feira (13), com 94,26% dos votos. Ela disputou o sétimo paredão desta edição do reality com o publicitário paulista Caruso (2,44%), de 35, e o escritor paraense radicado em São Paulo, Diego (3,30%), de 31. O alto índice de rejeição representa um recorde em paredões triplos e quase atingiu a porcentagem máxima já registrada pelo programa, que foi de 95%. Gleici comemorou muito a eliminação da noite.

 

Nascida em Icó, no interior do Ceará, Patrícia mora atualmente em Fortaleza. Definiu-se para a produção do programa como "determinada, autêntica, polêmica, engraçada e mandona. No vídeo de apresentação dos participantes selecionados para o BBB18, ela disse: "Se eu contar minha vida amorosa pro carroceiro, o burro vai chorar".

No início do programa, Patrícia se tornou muito querida, dentro e fora da casa. A sister, que também é cantora de forró, empolgou a galera ao lançar o seu hit: a dança do caranguejo. Todos os confinados do programa se reuniram na área externa da casa, ensaiaram e simularam a gravação de um clipe. O público, por sua vez, também adorou.

Logo de cara, Patrícia se aproximou de Ana Paula, a 'bruxinha', e formou uma das primeiras alianças do programa. Pouco tempo depois, as duas contaram com Diego no seu time e eles resolveram "jogar". Desde então, o modo 'divertido' da sister foi substituído pelo lado 'estrategista'.

BRUXINHA  trio passou a combinar votos com a objetivo de se proteger do paredão. Juntos, arquitetaram a ida da cientista política mineira Mara para a primeira berlinda, na qual ela acabou sendo eliminada.

Dali em diante, a estratégia de combinação de votos se tornou regra para o grupo - o que começou a ser mal visto pelo público. Até então,  acreditava-se que Patrícia pudesse estar fazendo o papél de fantoche nas mãos de Ana Paula e, após a saída da "bruxinha", ela iria melhorar sua postura.

No entanto, as coisas foram de mal a pior. Patrícia apareceu no jogo e também se mostrou manipuladora. Após ganhar a liderança, o 'poder' subiu à sua cabeça e a sister destilou veneno amplamente, ao falar sobre outros brothers pelas costas.

KAYSAR A gota d'água para a rejeição de Patrícia pela maioria do público do programa foi seu envolvimento com o sírio Kaysar - um dos favoritos ao prêmio de R$ 1,5 milhão. Patrícia partiu para cima do brother quando teve a oportunidade, mesmo com uma reação hesitante e muitas vezes fugidia do brother.

 

Em algumas situações, internautas fãs do sírio chegaram a acusá-la de assédio ao brother e pedir providências à produção, argumentando que haveria intervenção caso os papéis fossem trocados _um homem insistindo num relacionamento com uma mulher com a veemência que Patrícia estava fazendo.

LEI DO RETORNO Além de seduzir e se declarar para o brother, ela também o convenceu a votar em Gleici, com a justificativa de protegê-la. Patrícia cobrou a mesma atitude de Jéssica, dizendo que também a protegeria no decorrer do jogo. Com isso, a sister teve em suas mãos a chance de definir integralmente o paredão durante sua semana de liderança: Paula X Gleici X Mahmoud. Na ocasião, além do voto ser aberto, os brothers foram informados que dois dos emparedados deixariam o programa.

O que Patrícia não imaginava é que haveria uma 'falsa eliminação',  com a menos votada votada na berlinda, a estudante de psicologia acreana Gleici, sendo colocada num quarto isolado com acesso às câmeras para acompanhar a rotina da casa. Com o privilégio, Gleici pode assistir a  momentos que a fizeram definir Patrícia como 'falsa', como quando ela criticou o patriarca da família Lima em suas costas.

Paulo Belote/Divulgação
Aliados no jogo, Diego e Patrícia se abraçam (foto: Paulo Belote/Divulgação)
Gleici voltou para a casa na última sexta-feira e indicou Patrícia ao paredão. Revoltada, Patrícia iniciou na sequência uma discussão aos berros com Gleici. No domingo, o paredão terminou de ser formado com Caruso sendo indicado pelas líderes Paula e Jéssica, e Diego sendo o mais votado pela casa.

As torcidas contrárias a Patrícia se uniram com o objetivo de eliminar a sister com alto índice de rejeição. O recorde de rejeição do BBB é 95% (em paredão duplo, de 2005). Nesta temporada, o recorde de rejeição em paredões triplos já havia sido quebrado duas vezes, primeiro por Ana Paula (89,85%) e depois por Nayara (92,69%).

 

No Twitter, a torcida contrária a Patrícia não só fez campanha, como comemorou antecipadamente o "tombo" da sister. 

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SERIES-E-TV