BBB18: conheça os brothers e sisters que irão disputar R$ 1,5 milhão

Globo divulga nesta quinta (18) os 16 selecionados para participar da edição 2018 do reality, que começa na segunda-feira (22) e terá 88 capítulos

por Estado de Minas 18/01/2018 14:50
A Globo divulga ao longo da tarde desta quinta (18), nos intervalos de sua programação, os participantes do BBB18, que começa na próxima segunda-feira (22) e será a maior da história do reality, com um total de 88 capítulos. Confira os nomes já divulgados:


Ana Paula, de 23 anos, atriz e estudante de jornalismo foi a primeira participante a ser divulgada pela Globo. Ela nasceu em São Paulo, mas vive em São José, em Santa Catarina, desde os 11 meses. Ana Paula diz ser uma "bruxa", acredita em ETs e conta que toda a família já foi abduzida, menos ela.

“Tenho os dois lados: o sério e o brincalhão. Comigo não tem meio termo. Não sei o que existe entre o 8 e o 80”.  Diz que tem “todas as superstições do mundo” e que gosta de ajudar a todos, característica que acha pode ajudá-la na casa. “Sou brincalhona e adoro fazer piadas. E acho que isso pode me ajudar no jogo”.
 
Vivian invadiu o quarto de hotel da primeira participante divulgada. "Oi mãe!", foi a primeira fala da sister para as câmeras, que contou que estava fazendo palavra cruzada até o momento. Ela ainda disse que está muito feliz com a oportunidade de entrar no BBB e que a sua estratégia no jogo é levar alegria para a casa. 

Sobre fazer amizades e alianças no reality, Ana Paula não tem grandes expectativas: "Acredito em amizade, mas todo mundo está lá para jogar, então sempre vou ter um pé atrás. Aliança só pelo jogo, quem vai ganhar é um só". "Todos os santos estão comigo e espero que dê tudo certo", disse ela, que enfatiza ser uma "bruxa". 
 
O arquiteto Breno, de Goiânia, tem 29 anos e também está no BBB18. Ele, que diz ser o centro das atenções, gosta de ter a vida viagiada, é apegado à família. Breno afirmou ainda que não se apega a tristezas e que vai 'pegar' dentro da casa. "O importante é pegar. Ficar três meses sem fazer nada?", disse em vídeo divulgado pela emissora. 
 
O arquiteto disse ser competitivo e está confiante que se dará bem na casa. “Sou maluco por competição e quero viver essa experiência de maneira completa: me divertir, pegar gente e ganhar dinheiro, pois organizar a minha vida financeira, e da minha família, também é um objetivo importante”. 

Descontraído e animado, ele contou que arrumou várias coisas para fazer durante o confinamento no hotel: "Exercícios físicos, ver a paisagem, escutar música, dobrar e desdobrar roupas. Parece que não, mas você arruma coisa para fazer", brincou ao receber Vivian no quarto.

Breno disse que quer chegar na casa cumprimentando e conversando com os outros brothers: "Adoro fazer amizades". Sobre o jogo em si, disse que não tem medos: "Prefiro arrepender do que eu fiz, do que deixar de fazer". Sua estratégia é simples: "Ser eu mesmo". 
 
Caruso de 34 anos é publicitário e também está no BBB18. Nascido em São Paulo, ele diz que pretende desconstruir o conceito "a primeira impressão é a que fica". Careca, barbudo e tatuado, ele afirma: "As pessoas me olham e têm medo de mim até me conhecerem e verem que sou do bem”, fala. 

O novo brother, que se considera mimado, diz que sempre foi namorador e que gosta de ter uma parceira fixa, com quem tenha afinidade. "Não gosto de ficar um dia com uma e outro dia com outra", completa. Afirma que é do tipo que abre a porta do carro para as mulheres e que acha possível se apaixonar por alguém da casa durante o confinamento. “Sim, existe esta possibilidade. Me apaixono fácil”.
 
Caruso está solteiro e conta que já ficou com uma cantora e modelo famosas. Ele pratica futebol americano e é professor de muay thai.  “Comigo não tem tempo ruim, sou pau para toda obra. Mas minha sinceridade às vezes afasta as pessoas”. 
 
Ele recebeu Vivian no quarto com um ar misterioso e disse que tem aproveitado a descomprensão no hotel para curtir o momento sozinho. Mas ao chegar na casa já quer estrear a piscina: "De roupa e tudo", enfatizou. 

Sobre sua estretégia no reality, Caruso quer ser "resiliente o tempo todo e agir com seus princípios", além de pretender jogar sozinho, sem alianças. No entanto, tem receio de ser mal interpretado e a repercussão disso fora da casa.  
 
Diego de 31 anos é escritor e foi o quarto participante revelado. Formado em filosofia e doutor em psicologia, ele é vidrado pelo mundo geek. Inclusive, sua maior preocupação quando soube que entraria no reality foi o videogame: "Jogo todos os dias".  

É paraense e está em uma união estável há seis meses. Inclusive, pediu a namorada em casamento vestido como um personagem da novela Caminho das Índias. Se intitula curioso, romântico, melancólico e dado a paixões platônicas. Não gosta de falar palavrões, mas sim de dialogar. “Quero expor a minha visão do mundo para as pessoas e acho que o programa pode ser uma aventura excitante”.
 
Confinado no hotel, ele disse que é complicado: "A gente vai se desligando do mundo um pouco". Ele tem várias expectativas para o programa, mas tem receio de ser mal recebido pelos colegas de confinamento. 

No jogo, ele também aposta nele mesmo: "Ser eu mesmo, ser verdadeiro, sem medo da verdade. O que tiver que ser, vai ser". Diego disse que as alianças dentro da casa vão depender do jogo, mas não pretende ficar sozinho na casa: "Vou me aproximar de quem eu me der bem e afastar de quem seja nocivo". 


Gleici, 21 anos, estudante de psicologia é do Acre e foi a quinta participante divulgada. De origem humilde, ela é a primeira da família a concluir o ensino médio e entrar para a faculdade e vai se esforçar para não ser a mocinha da casa.  “As pessoas falam que tenho um jeitinho meigo, mas, quando quero alguma coisa, vou atrás e luto muito. Para defender uma ideia, uso todos os argumentos, ninguém me vence. Eu sempre quero ganhar em uma discussão”, assume.

A estudante disse também que vai lutar para ganhar o prêmio e que defende a sua opnião. "Isso acaba gerando conflito", reconhece. É ativista de Direitos Humanos e militante da Juventude Negra, e defende muito o feminismo por tudo que viu a mãe passar. Se considera polêmica, pois sempre tenta fazer valer a sua opinião e faz questão de defender seu ponto de vista. Mas, ao mesmo tempo, diz ter um lado meigo e doce. “Tudo o que passei na vida não me permite baixar a cabeça. Me considero uma vencedora e entrei no BBB porque quero representar histórias como a minha”.
 
Entusiasmada, ela contou que ficou "pulando de um lado pro outro" e dançando no quarto para passar o tempo. A jovem acredita que vai gritar muito quando entrar na casa e tem medo de alguém a tirar do sério. Gleici não tem estratégias para o jogo: "O jogo vai ser a partir do momento em que eu conhecer os demais participantes". No entanto, quer ser ela mesma e fazer alianças durante o programa. 
 
 
Geminiana e biomédicaJaqueline tem 23 anos e também está no BBB18. Se diz boa mãe, baladeira e 'lacradora' e não precisa de álcool para descer até o chão. “Gosto de causar, chegar abafando e chamando a atenção”, diz. 

A loira mora em Rolim de Moura, cidade do interior de Rondônia, é fã de Anitta, gosta de música sertaneja e já fez check-in numa festa na casa de Neymar, em Santos.  “Foi bem divertido. Tinha uma banda e eu pedi para cantar. Perturbei o Neymar até conseguir subir no palco”, conta ela, que sonha em ser uma cantora sertaneja. 
 
Ganhou vários concursos de beleza e aposentou após engravidar. Ela também viralizou por coroar a candidata errada na final do Miss Rondônia Mundo, em 2016. Além disso, a loira revelou que já ficou com um jogador de futebol e com um boxeador famoso. 
 
Jaqueline disse que a primeira coisa a fazer quando chegar na casa será: "Agradecer". No jogo, quer conhecer todo mundo e dar o melhor de si. Ainda afirma que vai tentar se segurar para não bater de frente com ninguém e não ter problemas.  
 
 
Jéssica, de 26 anos, é personal trainer, mora em Florianópolis e é a sétima participante do BBB18. Ela já foi casada e aponta o ciúme exagerado do ex como o estopim para o fim de seu casamento. A nossa rotina era muito boa, mas ele era ciumento. Eu gosto de chegar (em um lugar) e conversar. Não podia ter amizade com homem. Passei a não querer mais sair. Aí não era mais eu”, conta. 

A personal conta que já foi traída duas vezes. “Um era mulherengo e nem fiquei muito surpresa (com a traição). Já o outro me mandava flores todo mês e era te amo pra cá e pra lá. Eu nem gostava muito dele. Acho que foi por isso. Eu sempre falo: quem não dá assistência, abre concorrência", completa. 

Solteira, diz que se apaixona e desapaixona rapidamente, que gosta da arte da conquista e que é antenada quando o assunto é paquera. “Quando estou em algum lugar, sei quem está me olhando. Mas, ao mesmo tempo, sou muito racional”. Já foi convidada para um camarote do Ronaldinho Gaúcho quando estava em uma boate de Barcelona. 
 
Jéssica está bastante ansiosa para entrar na casa e conta que está agradecendo todos os dias pela oportunidade: "Muita gratidão". Dentro da casa, ela não quer pecar no excesso: "Ficar quieta demais ou falar demais". No jogo, foi aconselhada pela mãe a ser ela mesma. Além disso, pretende conversar com todo mundo e evitar os famosos "grupinhos". 
 
 
Kaysar nasceu em Alepo, na Síria. Viu a guerra de perto e mudou de continente: veio para o Brasil e atualmente mora em Curitiba, no Paraná. “Não sei de onde tirei essa ideia, o destino me colocou no melhor lugar do mundo. O que o Brasil fez comigo mudou minha vida inteira”.

Trabalhando como garçon, treinador de papagaios e animador de festas infantis nas horas vagas, ele conta que a vontade de entrar no BBB era tanta, que espalhou pela casa dezenas de cartazes onde afirmava: “Amo o Brasil”; “Já estou no BBB18. Já ganhei. Já tenho 1,5 milhão de reais na minha conta. Eu tenho fé”; “Esse ano vai ser o melhor ano do mundo, eu tenho fé”; “Falta pouco, pai, mãe e irmã. A gente vai se encontrar de novo, tenho fé”.  

O encontro com a família é um dos objetivos que fizeram Kaysar se inscrever no reality. “Eles estão lá, debaixo das bombas, debaixo da guerra. Eu evito falar sobre esse assunto. Perdi muitos amigos, perdi uma namorada, meu tio, minha avó... Perdi muita coisa. Eu saí em 2011 e disse que ia voltar, mas não consegui. Dei a minha palavra e não cumpri. Mas não fui eu que não quis, foi o destino”, conta. 
 
Além de falar cinco idiomas - árabe, português, russo, francês e inglês -, ele se define como mulherengo e adora sair para dançar funk nas baladas. 
 
Kaysar recebeu Vivian no quarto do hotel com muita animação e disse que está "louco de felicidade para entrar na casa". Ele ainda parece não se importar com o confinamento: "Está ótimo para mim".  A primeira coisa que pretende fazer na casa é "gritar demais". Sua única preocupação de entrar no programa é saber sobre os pais. A estratégia no jogo é "ser feliz" como é naturalmente e que "vai ver como vai ser quando chegar lá". 
 
(foto: )
 
O cearense Lucas de 27 anos é o nono participante do BB18 divulgado pela Globo. Ele é empresário, já trabalhou como modelo e morou fora do país em cidades como  Xangai, Nova Iorque e Los Angeles. 

Hoje o brother mora com os pais. Ele começou a carreira com 18 anos depois que um olheiro o encontrou numa praia do Ceará e sofreu "preconceito" do próprio pai. "A geração dele ainda é muito fechada. O modelo é taxado como gente que não tem pudor”.

Lucas namora a mineira Ana Lúcia há cinco anos. Eles se conheceram na China, em 2010. Na época ela morava na Coreia do Norte e ele em Nova York. O relacionamento só foi para frente em 2012, quando o modelo largou tudo e foi atrás da amada no outro continente.
 
Ele já recebeu famosos como Wesley Safadão, Lyoto Machida, Fabricio Werdum, Mc Gui, Falcão do Futsal, Xandy, do Aviões do Forró, Solange Almeida e Braulio Bessa na sua casa de carne.

O novo brother está "inventando coisas" para passar o tempo no confinamento do quarto de hotel. Para cair a ficha que está no BBB18, ele disse que vai "correr e entrar na piscina" no seu primeiro momento dentro da casa. Não quer pensar nos medos e diz que está muito feliz de participar. Sobre a estratégia de jogo, ele quer ser ele mesmo: "Tudo que é muito bolado, cai".  
 
 
o sexólogo Mahmoud, de 27 anos, é de Rondônia e também está no BBB 18. Nascido em Manaus, ele estudou em escola bilíngue e sempre se destacou nas turmas. É filho de libaneses que vieram para o Brasil fugindo da guerra. Aos seis anos, foi viver em Beirute, onde foi criado pelas tias e avós. Lá, ele sofreu preconceito por causa da sua voz, o que quase impediu que ele fosse o orador de sua turma na formatura. “Eu tinha a maior nota da escola, mas a turma não queria que eu fosse o orador. Minha professora me defendeu e consegui ser”, relembra.

Mahmoud voltou para o Brasil aos 19 anos e cursou faculdade de psicologia em Rondônia. Ele se considera multidisciplinar e conta que sempre se interessou pelo tema da sexualidade. “Gosto de colecionar experiências e ter sempre coisas novas, pois enjoo de tudo muito rápido. Quero viver de forma singular e ter histórias para contar”, afirma. Quando questionado sobre o motivo de participar do BBB é categórico. “Quero entrar para causar. De nada adianta ter um milhão e meio se não for para causar”. 
 
Ele também fala vários idiomas - inglês, árabe, francês e espanhol - e, curiosamente, não tem TV em casa. No hotel, abriu a porta, puxou Vivian pela mão e a levou para sentar na cama, com uma música ao fundo. Entusiasmado, disse que "ficaria no quarto a vida inteira", mas quer muito ir logo para a casa mais vigiado do Brasil. A primeira coisa que fará quando chegar na casa será "mandar um beijo para Manaus e Porto Velho". 

Mahmoud deixou de viajar para 30 países, com tudo pago, para entrar no programa. E o seu maior medo é sair na primeira semana. Apesar de não ter traçado nenhuma estratégia, aposta que é um jogo individual, mas tem que se misturar com as pessoas.  
 
 
Mineira de Governador ValadaresMara, de 53 anos, é cientista política. Faz a vibe "louca dos signos" e, apesar de ser ariana, diz que tem um pouco do signo de gêmeos na personalidade. "Um lado clean e outro colorido", fala.

A sister é graduada em história, com mestrado e doutorado em Ciências Políticas. Já morou na Espanha e em outros estados brasileiros e atualmente mora em Belo Horizonte, onde vive com a filha de 20 anos e um cachorro. Gosta de ouvir músicas e frequantar bares e quer representar as mulheres no BBB, debatendo o universo feminino. Sobre o prêmio ela diz: “Quero ter um futuro financeiro mais seguro e ajudá-la a investir em uma ONG contra a intolerância”.  
 
"É verdade? Eu tô no BBB?", foi a reação de Mara ao receber Vivian em seu quarto. Sobre o tempo na descomprensão, ela revelou que está "aprendendo a dançar até funk". Centrada, sua única preocupação é acontecer algo com a filha durante o programa: "Medo corrói a alma, não tenho medo de nada"

Primeiramente, ela pretende conhecer e analisar os outros brothers para traçar uma estratégia no jogo. No entanto, também quer se divertir: "É um jogo, mas pode ser uma diversão. É como uma viagem para a Disney. Uma brincadeira que vai arriscar, jogar, mas com ética". 
 
 
Nayara, de 33 anos, é a 12ª participante a ser divulgada. Paulista, é jornalista e trabalha no setor financeiro em uma multinacional francesa, além de ser hostess de um restaurante e revisora de textos. Articulada, ela aposta que seus pontos fortes serão o carisma e a alegria: "Não adianta gente, eu tenho carisma. E se alguém não gostar de mim, é porque quer ser como eu". 

Dentro do quarto de hotel está se jogando nas palavras cruzadas. Ela pretende conversar e socializar com todos assim que chegar na casa e está ansiosa pela experiência. Quer levar o jogo com seu jeito "muito honesta e sincera" e pretende criar "alianças boas": "Quero estar junto com quem precisa, gente que é gente". 
 
 
Patrícia, de 32 anos, é funcionária pública. Do interior do Ceará, atualmente mora em Fortaleza e chamou atenção na sua chamada pelo carisma: "Se eu contar minha vida amorosa pro carroceiro, o burro vai chorar", disse. Ela tem um filho de 11 anos e trabalha ajudando jovens dependentes a se reintegrarem na sociedade.
 
Por outro lado, é cantora de forró: "Sempre tive aptidão para arte", conta. A sister também já foi radialista e é viciada em rádio. A cearense é feminista, não esconde o amor próprio e é conhecida como "a menina que faz o que quer": "Eu sou totalmente a favor da mulher ser o que ela quiser ser"

Patrícia realmente queria entrar no Big Brother Brasil: ela entrou na sua formatura ao som de Vida Real, música tema do programa. 
 
Surpreendida pela Vivian no quarto de hotel, ela estava trocando de roupa no momento. Devidamente vestida e bem humorada, disse que está muito pensativa durante o confinamento. Ao entrar na casa, a primeira coisa que ela fará é olhar cada participante no olho: "O olho é a janela da alma". 

No entanto, Patrícia tem seus receios: "Tenho medo do público porque meu temperamento não é dos mais fáceis", confessou. Sobre o jogo, ela diz que "não tem como ter estratégia", mas que com certeza fará alianças: "Grupinho é uma coisa que já faço naturalmente na vida", falou.
 
 
Paula, de 29 anos, é a segunda mineira da 18ª edição do Big Brother Brasil. A empresária é de Belo Horizonte e é dona do seu próprio negócio: uma distribuidora de doces. Logo na sua chamada, chamou atenção: "Eu sou o caos".
 
Bem-humorada, se diz uma pessoa aberta: “Acho que sou uma pessoa bem liberal. Não tenho preconceito com nada. Minha mãe até diz que eu tenho que ser mais criteriosa”. Solteira há dois anos, o último namoro da sister foi com o jogador do Corinthians, Rodriguinho, que também já atuou na Seleção Brasileira. 

Paula se diz ansiosa para entrar na casa e que não está conseguindo nem dormir direito e, por isso, estabeleceu uma rotina para passar o tempo no quarto de hotel. Ela não faz ideia de como vai ser quando entrar na casa, mas tem certeza de alguma coisa: "Estou pensando apenas em me divertir". 

Ex-atleta de vôlei profissional, pretende usar a força física nas provas de resistência. Além disso, pretende criar alianças no jogo, já que acredita ter facilidade de fazer amizades e conviver em grupo.  
 
  
Viegas, de 33 anos, é paulistano e músico. Tem uma filha de 5 anos e conta que há 17 não corta o cabelo. Ele trabalha com música independente, canta em shows e também atua como DJ. Ele canta rap e acredita que o maior presente que ganhou da vida foi viver na periferia e, com isso, aprender a improvisar. 
 
Antes de entrar no BBB, lançou seu novo clipe. Fã de Bob Marley, se considera criativo, guerreiro e capaz de se virar em qualquer ambiente ou situação, além de ser estourado e sangue quente.
 
Em conversa no quarto em que está confinado, demonstrou confiança ao conversar com Vivian Amorim. Primeiro, contou que estava passando o tempo entre "dobrar roupa, desdobrar roupa", mas também anda fazendo "exercício de canto" e comentou: "Minha professora vai ficar feliz". Contou que evita pensar demais, mas admitiu ter "receio de a galera que estiver assistindo não conseguir interpretar". E fez uma análise: "Estamos num momento muito louco em que todo mundo quer falar, todo mundo tem voz e ninguém tem ouvido". 

Afirmou que tem "todas as etratégias" e um "arsenal de ideias" para vencer o jogo. Não quis revelá-las, mas contou que pretende fazer aliados na casa. "Na vida e no jogo. não dá pra ir muito longe sozinho. Se unir é algo bem importante." 
 
 
Wagner, artista visual curitibano de 35 anos, é formado em fotografia e pedagogia. Passou a se dedicar à arte depois de ter trabalhado como agente penitenciário. É pai de dois filhos e diz ser bom na cozinha. 

Ele tem um ateliê com dois amigos e o seu forte é colagem e gravura. Além disso, é tatuador e grafiteiro. Inclusive, possui 43 tatuagens e 1 piercing no mamilo direito. 
 
“Acho um desafio instigante, uma oportunidade de expor ideias, testar limites e conhecer pessoas incríveis”, disse ele sobre estar encarando o desafio de entrar no programa. O último participante a ser divulgado foi surpreendido por Vivian Amorim enquanto jantava. Sobre os dias de confinamento, contou: "Tenho malhado muito, lido bastante, organizado as minhas roupas, me preparando psicologicamente, dando uma meditada".

Imagina que o dia a dia da casa será assim: "Vou ouvir as histórias de vida, vou contar as minhas e aproveitar da melhor maneira possível". Confessou ter "medo de ser manipulado para fazer parte de um esquema a que eu não pertenço, ser instrumento de um jogo de outra pessoa". E disse que pretende "mover as peças devagar, me articular com quem tiver mais afinidade".  
 
 

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE SERIES-E-TV