Quais os cuidados com os pés para os pacientes com Diabetes?

Não adianta tomar qualquer medida preventiva local nos pés se os níveis de glicose não estiverem controlados, esse é o primeiro e mais importante passo

Pixabay
(foto: Pixabay)


Se você é um dos 13 milhões de Brasileiros que têm diabetes, essa coluna foi feita especialmente para te ajudar a prevenir complicações dessa doença. O "Pé Diabético" é um conjunto de alterações que podem ocorrer nos pés dos indivíduos com diabetes ao longo do desenvolvimento da doença devido a progressão da perda de sensibilidade nos pés.

Primeiro, é importante entender por que os pés dos diabéticos perdem sensibilidade. Isso ocorre devido a neuropatia diabética que é a alteração dos nervos periféricos secundária aos altos níveis crônicos de glicose no sangue.

Com o passar do tempo, as sensações de dor e tato vão desaparecendo, o que comumente chamamos de sensibilidade protetora. A "proteção" conferida pela dor é o que nos faz identificar pequenos ferimentos e evitar com que os mesmo avancem, por exemplo.

Pela falta dessa proteção, pequenas feridas nos pés em pacientes com diabetes podem rapidamente progredir para grandes feridas e até mesmo comprometer a viabilidade do membro, culminando em uma amputação.

Mas calma, existem várias atitudes do dia a dia que visam antecipar essa evolução catastrófica. Entenda que, acima de tudo, o paciente com diabetes precisa de acompanhamento multidisciplinar, envolvendo um endocrinologista, ortopedista especialista em pés, cirurgião vascular, enfermeiros especialistas em feridas, psicólogos, entre outros profissionais.

Não adianta tomar qualquer medida preventiva local nos pés se os níveis de glicose não estiverem controlados, esse é o primeiro e mais importante passo.

Em relação aos cuidados locais com os pés veja algumas medidas interessantes:

- Todos os pacientes diabéticos devem examinar os pés diariamente. Se necessário, pedir ajuda a familiar ou usar espelho, lembrando sempre de observar os espaços entre os dedos

- Avisar o médico se tiver calos, rachaduras, alterações de cor ou úlceras. A abordagem precoce no aparecimento de qualquer uma dessas alterações é essencial para o sucesso do tratamento

- Vestir sempre meias limpas, preferencialmente de lã, algodão, sem elástico, a fim de evitar pontos de pressão e favorecer o controle da umidade local
 - Calçar sapatos que não apertem, de couro macio ou tecido. Não usar sapatos sem meias

- Sapatos novos devem ser usados aos poucos. Usar inicialmente, em casa, por algumas horas por dia. Qualquer ponto de pressão deve motivar a adaptação ou troca imediata do calçado

- Nunca andar descalço, mesmo em casa. Uma ferida por um acidente perfurocortante pode não terminar bem

- Lavar os pés diariamente, com água morna e sabão neutro. Evitar água quente. Secar bem os pés, especialmente entre os dedos

- Após lavar os pés, usar um creme hidratante à base de lanolina, vaselina líquida ou glicerina. Não usar entre os dedos para evitar acúmulo de umidade local 

- Cortar as unhas de forma reta, horizontalmente. Nunca "cutucar" as bases das unhas, essa pode ser uma porta de entrada significativa para infecções

- Nunca remover calos ou unhas encravadas em casa

Na dúvida, procurar atendimento especializado de forma precoce é sempre o melhor caminho para evitar complicações mais sérias.

Cuidem dos seus pés, são eles que te levam cada vez mais longe!

tiago.baumfeld@gmail.com
Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: