O benefício dos exercícios físicos após os 60 anos

Nível de atividade física costuma diminuir com o avanço da idade e a consequência disso é o ganho de peso e a perda de massa muscular

 Daniel Reche/Pixabay
(foto: Daniel Reche/Pixabay)

Praticar exercícios físicos traz benefícios para a saúde em qualquer momento de nossa vida. É claro que quando mantemos essa prática como um hábito ao longo da vida, chegamos às idades mais avançadas com uma reserva de saúde melhor. Mas se você tem mais de 60 anos, não faz exercícios há muito tempo e quer saber se deve começar e qual modalidade escolher, continue a ler esse texto e te contarei.



É muito frequente a falta de atividade física entre as pessoas mais velhas e existem vários
motivos para isso. A sociedade contemporânea caminha cada vez mais em direção a gastar menos energia. Enquanto nossos antepassados passavam boa parte do seu dia caçando, nós passamos a maior parte dos nossos dias trabalhando sentados, dirigindo, parados na frente da TV ou com os olhos fixados em computadores, tablets ou celulares.

Com o avançar da idade, o nível de atividade física das pessoas costuma diminuir e as consequências disso são muitas. Quando as pessoas vão envelhecendo e reduzindo suas atividades, mas continuam comendo da mesma forma, a tendência é ganhar peso, apesar de perder massa muscular por causa da falta de estímulo dos músculos. Na verdade, ganha-se apenas gordura. Quando além de reduzir suas atividades, as pessoas também perdem apetite, a perda de massa muscular vem acompanhada de perda também de gordura e pode se instalar uma desnutrição.

Outras consequência do sedentarismo após os 60 anos são as doenças crônicas, as dores
nos corpo, a piora do sono, maior tendência a depressão e ansiedade e o isolamento social.
Mas será que vale a pena começar a se exercitar aos 60, 70 ou 80 anos? Sempre vale!
Com poucas semanas de atividade física é possível observar redução de dores crônicas, melhora do sono e da disposição. Com poucos meses a saúde muscular também melhora e pode-se observar redução de gordura no corpo e melhor controle das doenças crônicas como diabete, hipertensão e colesterol alto.

Em algumas situações, a atividade física não é indicada ou deverá ser feita de forma monitorada. Existem clínicas especializadas nesse acompanhamento. Doenças do coração, dos pulmões, lesões ortopédicas recentes e outras doenças que exigem repouso são os principais pontos de atenção. Se você se encaixa em alguma dessas situações, você deve conversar com seu médico antes de iniciar um programa de exercícios.

Em relação a qual modalidade escolher, o que você mais deve pensar é no seu prazer. Qual atividade mais combina com você? Se você gosta de sair e ver pessoas, talvez caminhar seja a melhor escolha e não se matricular numa academia. Talvez também seja a hora de realizar aquele sonho antigo e começar a dançar. Mas, do ponto de vista do envelhecimento, é sempre bom estimularmos os músculos e, para isso, recomendamos, principalmente, a musculação ou o pilates. Exercícios que melhoram o equilíbrio e geram bem-estar geral como a ioga, o tai chi chuan e o lian gong também são boas escolhas. Mas se você gosta de água, que tal uma natação ou hidroginástica

Você ainda não sabe se começa agora porque acha que está tarde? A Norte Americana Harriette Thompson concluiu sua primeira maratona aos 76 anos e, em 2015, aos 92 anos, entrou para o Guinness book como a mulher mais velha do mundo a correr 42km. Você não precisa fazer tanto, basta começar e usufruir do bem-estar que essa prática irá lhe trazer.
 

Você tem dúvidas e perguntas sobre envelhecimento? Mande pra mim: julianacicluz@gmail.com 

Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: