Ronco, apneia e os distúrbios do sono; saiba como cuidar para ter uma vida saudável

Medicina do Sono ajuda pessoas a evitar doenças como hipertensão, arritmia, insuficiência coronariana e infarto e agravar diabetes e obesidade

Wikipedia
(foto: Wikipedia)

O que perturba seu sono?

Você é uma pessoa que dorme demais? Dorme de menos? Dorme e não descansa?

Tem dificuldade para pegar no sono? Perde o sono e não consegue voltar a dormir?
Ronca? Acorda sufocando ou engasgado?

Já te disseram que está parando de respirar durante o sono?

A Medicina do Sono pode ser considerada uma criança entre outras especialidades médicas
mas, mesmo assim, já fez descobertas importantíssimas e tem ajudado cada vez mais pessoas a
tratarem seus distúrbios do sono.

Somos governados por um ciclo biológico que dura cerca de 24 horas e que, por isso, é chamado de
ritmo circadiano. Além disso, substâncias químicas se acumulam em nossos neurônios enquanto estamos acordados, aumentando a pressão e necessidade de dormir.

O sono não é uma fase inativa em nossas vidas, pelo contrário, existe muita atividade cerebral
acontecendo. Fatos importantes e aprendizados são retidos através da consolidação da
memória
e aqueles irrelevantes são descartados.

Em função dessa atividade, alguns distúrbios do sono podem ocorrer.

O principal grupo em termos de prevalência são os distúrbios respiratórios do sono como os
roncos e as apneias, que são pausas intermitentes na respiração enquanto dormimos.

As apneias podem ser do tipo obstrutivo, por oclusão das vias aéreas superiores ou centrais,
por falta de comando cerebral para se iniciar uma respiração.

As apneias obstrutivas do sono ocorrem em função de características anatômicas herdadas de
nossos familiares antepassados mas acentuadas pela obesidade, avanço da idade, menopausa
e doenças associadas como por exemplo o hipotireoidismo (não tratado) e a síndrome dos
ovários policísticos
.

Quando ultrapassa 30 eventos por hora de sono, a apneia do sono é classificada como grave e,
se não tratada, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares como
hipertensão arterial, arritmias cardíacas, insuficiência coronariana e acidente vascular cerebral, além de agravar o diabetes, a obesidade e hipertensão pulmonar.

O típico portador de apneia do sono ronca, acorda cansado, levanta à noite para urinar e passa
o dia fadigado, sem energia e sonolento.

Memória, atenção e concentração podem estar comprometidas, aumentando o risco de
acidentes automobilísticos e ocupacionais.

Se você se identificou com alguma dessas características, procure seu médico, peça para realizar uma polissonografia, exame definitivo para o diagnóstico.


Caso o resultado seja positivo, o tratamento mostra resultados excelentes. Sua vida será outra!!

Eu sou o Dr.Silvio Musman, médico especialista em pneumologia, medicina do sono e do
exercício.

 

Se você tem dúvidas, mande pra mim pelo silviomusman@yahoo.com.br

Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: