Growlerias se multiplicam pela 'capital dos bares', que se rende ao chope

Fabricação artesanal de cervejas impulsiona o consumo e a abertura de 'growler stations' em BH

por Pedro Galvão 27/07/2018 07:00

JAIR AMARAL/EM/D.A.PRESS
Gustavo Brenck abriu a Growleria Chopp no litro, na Avenida do Contorno. 'Minha ideia era um estabelecimento com chope artesanal barato', diz ele (foto: JAIR AMARAL/EM/D.A.PRESS )

Apesar das nomenclaturas distintas, cerveja e chope são a mesma bebida. A diferença básica é que a versão enlatada ou engarrafada é pasteurizada, tendo um prazo de validade maior e, portanto, sendo de mais fácil comercialização por grandes marcas. Até por isso, as cervejas sempre foram mais populares nas mesas da chamada “capital dos bares”, que mais recentemente se tornou também a capital das cervejarias artesanais.

A proliferação de fábricas na região gerou uma boa oferta do formato mais “fresco”, em variados estilos, armazenado em barris, e o chope virou a moda do momento em BH, com diferentes sabores e volumes.

A cerveja em sua forma mais natural e servida das torneiras ganhou esse nome no Brasil pela influência alemã. Em alemão, esse termo é usado como unidade de medida, equivalente a 500ml. Na ressignificação à brasileira, ele foi também redimensionado. Um dos pioneiros dessa nova onda cervejeira da capital é a Growleria Chopp no Litro, inaugurada no fim de 2016. Com duas unidades na Savassi, a proposta da casa é oferecer a qualidade artesanal a preços mais baixos.

''Minha ideia era um estabelecimento com chope artesanal barato, ou seja, cervejas mais frescas, produzidas aqui na região de BH. Como temos uma operação mais simples, conseguimos oferecer o melhor preço da cidade'', assegura o proprietário Gustavo Brenck. Nas duas lojas, nenhum outro item é comercializado além da bebida. Apenas um ou dois funcionários recebem os pedidos e servem o chope, no growler de um litro ou no copo descartável de 500ml.

Embora a proposta fosse de um serviço 'pegue e leve', muita gente fica na porta, degustando uma das 10 opções servidas nas torneiras da loja, que não tem cardápio fixo. ''Temos sempre um pilsen mais em conta, a R$ 15 o litro, e outros estilos, de diferentes marcas, que variam. O preço do litro pode chegar até a R$ 68, mas a maioria está entre R$ 15 e R$ 40'', diz Brenck, que se prepara para inaugurar mais uma unidade nas próximas semanas, ainda sem data definida, na Rua Grão Mogol.

VARIEDADE Até mesmo o Mamãe Bebidas, no Floresta, que ostenta uma das maiores variedades no comércio cervejeiro da cidade, abriu espaço entre suas centenas de garrafas para instalar 31 torneiras de chope, em 2016. Caminho parecido tomou o S.O.S Goró, que começou como delivery e distribuidora de latas e garrafas no bairro Funcionários e hoje tem suas nove biqueiras à disposição de quem deseje levar ou pedir alguns litros em casa, ou mesmo consumir no local – que conta com algumas mesas na porta. O preço do litro varia entre R$ 15,90 (pilsen, da Krug Bier) e R$ 41,90 (Double IPA, da Capa Preta) a inclui o recipiente descartável.

Além das chamadas ''growler stations'', o chope também entrou na vida boêmia da cidade, como carro-chefe de alguns dos bares mais badalados do momento. É o caso do Juramento 202, inaugurado em 2017 no Pompeia, e também do Querida Jacinta, no Santa Efigênia, aberto em janeiro. A Growleria de Arte, outra novidade recente da noite belo-horizontina, mistura a oferta de produtos locais com programação cultural, que inclui shows e discotecagens. O Skovhugger Pub, mais escondido em uma galeria comercial na Rua Alagoas, na Savassi, é outro que aposta nessa tendência. Não há freezer, mas sim várias torneiras para saciar a sede dos clientes.

''Queríamos abrir um pub em BH no estilo que encontramos na Inglaterra, na Irlanda e nos EUA, mais intimista, com balcão e totalmente focado no ‘on tap’ (veja glossário) e tocando rock’n’roll. Sentíamos que havia uma carência disso em BH'', afirma Adriano Ribeiro, um dos responsáveis pelo empreendimento.

 

No pequeno espaço ele dispõe de oito biqueiras, que variam estilos e marcas também fabricadas na região metropolitana. Os valores seguem a tendência de um pilsen mais em conta, vendido por R$ 8 (o copo de 300ml) e outros estilos, como IPA ou stout, saindo de R$ 15 a R$ 25 (o copo de 500ml). A venda por litro, para quem prefere levar o growler cheio para casa, é outra opção. Para acompanhar, há um cardápio de petiscos, que inclui em porções veganas, entre R$ 16 e R$ 26.

PREFERÊNCIA
 Quem trabalha com as duas versões da cerveja – engarrafada e ''na pressão'' – garante a preferência atual do público pelo chope. É o caso da Craft Station, na Savassi. ''A pasteurização tira alguns aromas e propriedades da cerveja, por isso o chope é mais fresco, mais saboroso e tem tido mais saída'', comenta Peter Bresser, dono da pequena loja, que conta com 11 torneiras e mais de 100 rótulos na versão engarrafada. Por lá, os fregueses podem encher o growler e levá-lo para casa ou beber nas mesas locais. A faixa de preço do chope é parecida com a dos outros estabelecimentos.

Enquanto algumas casas apostam em variar o cardápio, alternando marcas, algumas cervejarias também investiram em seus próprios bares, nos quais a bebida principal também vem da torneira. É o caso das mineiras Wäls, Backer, Uaimií e também da alemã Hofbräu, que tem sua franquia no bairro Cidade Jardim, todas inauguradas nos últimos anos.

 
Confira alguns endereços para encher o copo ou o growler em BH


Ateliê Wäls 
Rua Gabriela de Melo, 566, Bairro Olhos D’Água.
Terça a sexta-feira, das 17h à 0h; sábado, das 12h à 1h; domingo, das 12h às 19h.
(31) 3197-2450

Craft Station
Rua Sergipe, 1.233, Savassi
Segunda a quinta-feira, das 12h às 23h; sexta-feira, das 12h à 0h; sábado, das 10h à 0h; domingo, das 10h às 16h.
(31) 3566-3608
https://www.facebook.com/craftstationcervejas

Évora Craft Beer 
R. Carlos Frederico 
Campos, 170, Ouro Preto
Segunda a sexta-feira, das 10h às 18h; sábado, das 12h às 20h
(31) 2528-0087

https://www.facebook.com/cervejariaevora/

 

Growleria  Chopp no Litro
Av. do Contorno 6.422, Savassi
Segunda e terça-feira, das 11h30 à 1h; quarta e quinta-feira, das 11h30 às 4h; sexta, das 11h30  à 1h de segunda (24 horas sábado e domingo)

Rua Pernambuco, 1.070, Savassi
Segunda e terça-feira, das 11h55 às 23h; quarta-feira, das 11h55 às 23h55; quinta a sábado, das 11h55 à 1h.
www.facebook.com/choppnolitro

Growleria de Arte 

Rua Sergipe, 629, Funcionários
Quarta a sexta, das 18h à 0h; sábado, das 16h à 0h
https://www.facebook.com/growleriadearte/
(31) 3261-2683.

Hofbräuhaus 
Av. do Contorno, 7613, Lourdes
Terça a sexta-feira, 
das 12h às 14h30 e das 18h à 0h; sábado, das 12h à 0h; domingo, das 12h às 17h
(31) 3021-9165
https://www.facebook.com/HB.Belo.Horizonte/

Juramento 202 – Cervejaria Viela  
Rua Juramento, 202, Pompeia.
Quarta a sexta-feira, das 18h à 0h; sábado, das 14h à 0h; e domingo, das 13h às 20h
www.facebook.com/Juramento202/

Mamãe Bebidas

Av. do Contorno, 1.955, Floresta
Segunda-feira a sábado, das 8h às 22h; domingo, das 9h às 20h.
(31) 3213-9494
www.mamaebebidas.com.br/plus/

Skovhugger Pub
Rua Alagoas, 601, Funcionários
Quarta-feira a sábado, das 18h à 0h
https://www.facebook.com/pg/The-Skovhugger-Authentic-Pub
(31) 3261-3564

Querida Jacinta
Rua Grão Pará, 185, 
Santa Efigênia,
Quarta e quinta-feira, das 18h à 0h; sexta-feira, das 18h à 1h; sábado, das 12h à 1h; domingo, das 12h às 17h.
www.facebook.com/queridajacintabh
(31) 99889-0077.

S.O.S Goró

R. Rio Grande do Norte, 1.077, Savassi
Segunda a quinta-feira, 
das 9h às 16h30; sexta 
e sábado, das 9h às 3h30; domingo, das 9h às 23h30
(31) 3567-8810
www.facebook.com/sosgorobh

Templo 

Cervejeiro Backer  
R. Santa Rita, 220, Olhos D’Água
Terça-feira, das 11h30 às 15h; quarta e quinta, das 11h30 às 15h30 e das 18h à 0h; sexta-feira, das 11h30 à 1h; sábado, das 10h à 1h; domingo, das 10h às 16h
(31) 3228-8888
www.facebook.com/CervejariaBacker 

Uaimií
Rua Grão Mogol, 1.176, Sion.
Terça-feira a sábado, das 17h à 0h
www.facebook.com/Uaimii/
(31) 3285-3435

BEBA ESSAS PALAVRAS


Se antes bastava escolher entre claro ou escuro e com ou sem “colarinho”, a nova onda do chope pede um vocabulário aprimorado. Confira termos da gramática cervejeira.

>> ABV
 – A sigla significa “alcohol by volume”, em inglês. Na prática, é o popular “teor alcoólico”. Chopes mais suaves costumam ter 4,5% a 5%, mas, nas torneiras belo-horizontinas, é possível encontrar alguns que chegam até a 9%.

>> Growler –  Vasilhame usado para guardar ou transportar o chope. Pode ser de cerâmica, vidro ou de plástico, com capacidade para um, três ou cinco litros. O importante é sua mecânica que veda a pressão.

>> Growleria ou Growler Station
  –  Local onde é possível comprar chope no litro, ou seja, encher seu growler e levar para casa.

>> IBU – Índice que mede o amargor das cervejas. Nos locais que vendem chope, é comum encontrá-los no cardápio. Em cervejas do tipo pilsen, ele é mais baixo; nas receitas que levam mais lúpulo, como as IPA (india pale ale), é mais alto.

>> On tap  – Cerveja ‘on tap’ é aquela armazenada em barris e servida na pressão. Por aqui, sempre se chamou chope.

>> Pint – Copo que corresponde à unidade de medida de 567ml.

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE GASTRONOMIA