La Traviata reformula seu cardápio

Uma das mais tradicionais casas italianas de BH, restaurante na Savassi não abandona os clássicos que o tornaram famoso

por Cecília Emiliana 02/12/2016 10:05
Debora Gabrich/divulgação
Saltimbocca alla romana com polenta mole (foto: Debora Gabrich/divulgação)
Homônimo da mais famosa ópera do compositor italiano Giuseppe Verdi, o restaurante La Traviata acaba de reescrever as partituras de sua cozinha. Sob a batuta dos irmãos Rafael e Gustavo Biagioni – que há um ano e meio assumiram a administração do empreendimento do pai, Renato Savassi –, panelas, temperos e conceitos da casa foram recombinados para formar um novo cardápio.

A sinfonia promete agradar aos paladares afinados com os mais diversos tons da escala gastronômica. Visando cativar os habitués da cantina italiana, os pratos tradicionais da casa foram mantidos, caso do filé à parmegiana (R$ 50), fetuccine com paillard (R$ 42), mexido chic (R$ 32) e lasanha de camarão (R$ 82). “Atendendo a pedidos dos clientes mais antigos, voltamos a oferecer essas opções em duas variantes: porções individuais e para duas pessoas”, explica Rafael Biagioni.

O conhecimento da boa mesa internacional, por parte de Biagioni, e a expertise do chef Gabriel Abreu, novo contratado do La Traviata, deram o tom das novidades. Até o menu foi modernizado, com design inspirado nos livretos de ópera. Dividido em quatro atos e três capítulos, apresenta delícias como gnocchi de mandioquinha com iscas de filé (R$ 40); fusilli de ragu de linguiça artesanal e cogumelos (R$ 35); saltimbocca alla romana com polenta mole (R$ 48); e risoto de camarão, manga, manjericão e pimenta dedo-de- moça (R$ 55).

Notas de peso do repertório de iguarias da Itália, as pizzas também foram reformuladas. Carpaccio e burrata, por exemplo (ambas a partir de R$ 35, tamanho pequeno), estão entre os sabores oferecidos.
O último ato do cardápio, Gran finale, quer agradar aos amantes de doces. Entre as sobremesas se destaca o creme brulée de doce de leite (R$ 18).

O momento de pagar a conta, que normalmente se dá depois do café expresso (R$ 4,80) ou do cappuccino (R$ 5,40), foi outro episódio a que os Biagioni dizem estar atentos. Rafael garante: todas as mudanças se deram sem que o batido da caixa registradora destoe do ritmo de crise econômica. “Sempre fomos uma casa de preço justo e assim queremos permanecer. A ideia é oferecer comida boa a preço honesto. Exemplo disso é que fixamos o preço de todas as massas em R$ 35”, diz. O valor se refere a pratos individuais.

Há algum tempo, o La Traviata reestruturou suas dependências, incluindo espaço para eventos. Quem quiser fechar a casa para recepções conta com um novo salão, equipado com telões. O aluguel do espaço físico não é cobrado, desde que o contratante feche o menu com o restaurante.

LA TRAVIATA

Av. Cristóvão Colombo, 282, Funcionários, (31) 3261-6044. Aberto segunda-feira, das 11h30 às 14h30; de terça a quinta-feira, das 11h30 às 14h30 e das 18h às 23h30; sexta-feira, das 11h30 às 14h30 e das 18h à 0h; sábado e domingo, das 11h30 à 0h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA