Leandro Karnal fala sobre '1917', favorito ao Oscar

Historiador explica o custo humano de uma guerra. Filme do diretor Sam Mendes concorre em 10 categorias

Estado de Minas 27/01/2020 14:38
Universal/Divulgação
1917 foi rodado como se tivesse um único plano (foto: Universal/Divulgação)
O professor e historiador Leandro Karnal participa de uma série de vídeos sobre o filme 1917, um dos favoritos ao Oscar

No vídeo, Karnal aborda o custo humano de uma guerra e explica como o filme do britânico Sam Mendes serve de alerta para a violência, uma vez que a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) foi responsável por mais de 20 milhões de jovens vidas perdidas.

Indicado a 10 Oscars, 1917, em cartaz nos cinemas, acompanha a jornada de dois jovens soldados britânicos, Schofield (George MacKay) e Blake (Dean-Charles Chapman). Dean-Charles Chapman tornou-se conhecido como Tommen na série Game of thrones. George MacKay foi um dos filhos de Viggo Mortensen em Capitão Fantástico

Os dois têm poucas horas para fazer o impossível: atravessar o território inimigo e avisar a um grupo de 1,6 mil soldados que eles devem recuar e não atacar o inimigo alemão. A Alemanha teria feito uma armadilha – caso entrem na linha de combate, os britânicos serão destroçados. 

O filme tem chamado a atenção na temporada de prêmios por sua parte técnica. 1917 foi rodado como se fosse um grande plano-sequência - ou seja, não há cortes. Isto é apenas ilusório, algo já feito pelos diretores Alejandro González Iñárritu em Birdman (2014) e por Alfred Hitchcock em Festim diabólico (1948).

O longa conta com a participação de grandes atores britânicos como Colin Firth, Benedict Cumberbatch e Mark Strong.
 
Veja o vídeo de Karnal
 

Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: 

MAIS SOBRE CINEMA