'Gravidade' e '12 anos de escravidão' são favoritos no Oscar

Em ano equilibrado, Gravidade e 12 anos de escravidão chegam com melhor cartel de prêmios.

por Carolina Braga 02/03/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Buena Vista/Divulgação
Drama que traz à tona o passado escravocrata e a violência da sociedade americana, '12 anos de escravidão' concorre a nove estatuetas (foto: Buena Vista/Divulgação)
Pode até ser comum, mas não é regra que o vencedor do Oscar de melhor filme garanta a estatueta para seu diretor. Nas vitórias de Quem quer ser um milionário (2009), Guerra ao terror (2010), O discurso do Rei (2011) e O artista (2012), deu repeteco. Já no ano passado, Ben Affleck faturou o homem dourado com seu Argo, mas perdeu como diretor para Ang Lee e seu As aventuras de Pi. Hoje, independentemente do que a Academia decidir sobre a melhor produção, o mexicano Alfonso Cuarón tem tudo para levar o troféu de melhor diretor para casa.

É mérito dele fazer de Gravidade um marco no momento de transição pelo qual o cinema tem passado. É uma questão de avanço de linguagem. O modo como escolheu contar a história de uma astronauta perdida no espaço é original: a câmera sem gravidade transmitindo sensações ao espectador sem perder a mensagem que quer passar.

Por outro lado, Steve McQueen, diretor de 12 anos de escravidão, é forte concorrente. Filme após filme, o cinesta britânico tem deixado cada vez mais claro seu estilo. É econômico nas palavras e partidário da sutileza. Já foi assim em Shame (2011), sobre um homem viciado em sexo, e faz o mesmo – com intensidade maior – no filme que concorre este ano. Se o longa consegue ser um relato frio de um momento histórico de tamanha relevância, tal distanciamento é obra do diretor.

Cuarón e McQueen polarizam a disputa, mas os azarões rondam a categoria. A fama repentina e a supervalorização de David O. Russell (Trapaça) sempre podem surpreender. Além dele, há veteranos do peso de Martin Scorsese (O Lobo de Wall Street) e Alexander Payne (Nebraska) no páreo. Quem, lamentavelmente, ficou de fora foi Spike Jonze (Ela). Coisas do Oscar.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA