Terça de folia: com casamento e protestos, blocos são palco de emoções; veja fotos

O carnaval de BH 2019 deve bater todos os recordes; confira os desfiles de hoje e saiba por que a festa da capital mineira, que segue até o sábado, vem ganhando tanta fama

por Flávia Ayer , Gustavo Werneck , Juliana Cipriani , Laura Valente Márcia Maria Cruz 05/03/2019 18:57
Gladyston Rodrigues/E.M/D.A Press
(foto: Gladyston Rodrigues/E.M/D.A Press)

Para começo de conversa, o carnaval de BH já nasceu político. Um dos primeiros focos da folia ocorreu a partir da insistência de grupos pela ocupação da Praça da Estação - que virou “praia da estação, em atitude de protesto contra o então prefeito Márcio Lacerda, lá em 2009/10.

Desde então, a festa popular na capital mineira só ganha mais e mais proporção e fama como um encontro popular, democrático e politizado, e deve encerrar a edição 2019 com público recorde: mais de 4,6 milhões de foliões, segundo expectativas da Belotour.
Não por acaso, a alegria se mistura com protestos e os blocos se transformam também em palco de reivindicações e anseios, dando voz aos que lutam contra retrocessos como machismo e discriminação, e se revolta com mortes e tragédias ainda sem resposta: o assassinato da vereadora Marielle Franco e o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, da Vale, foram alvos de homenagem e de protesto em praticamente todos os grandes blocos.

Hoje, ainda há desfiles das escolas de samba na Avenida Afonso Pena, mas a folia começou bem cedo e já com dois blocos gigantescos: o Juventude Bronzeada, no Bairro Floresta, e o Monobloco, que também marca presença no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Casório no trio

Ver galeria . 48 Fotos Com pedido de casamento na concentração do bloco, Juventude Bronzeada movimenta Avenida Assis Chateaubriand, na Floresta, região Centro-Sul. PauloFigueiras/EM/DAPress
Com pedido de casamento na concentração do bloco, Juventude Bronzeada movimenta Avenida Assis Chateaubriand, na Floresta, região Centro-Sul. (foto: PauloFigueiras/EM/DAPress )

No Juventude Bronzeada, bloco que se concetrou a partir das 9h na Avenida Assis Chateaubriand, na Floresta, os foliões testemunharam um casamento de verdade: noivos desde a folia do ano passado, o professor de Educação Física Daniel Torres Pacheco, de 38 anos e a gestora de vendas Isabelle Cristine Costa Fraga, de 34, trocaram alianças no bloco que prega todas as formas de amor e onde se conheceram, no carnaval de 2015.

Na sequência, a organizadora do Juve, Mariana Persi, fez discurso contra os “tempos sombrios”, falou das mortes da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro, e do jovem negro Pedro Henrique, de 19 anos, pelo segurança do supermercado Extra e sobre episódios de intolerância “que vem crescendo neste último ano”. O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) também recebeu críticas.


Abre alas para elas

Ver galeria . 58 Fotos Pela terceira vez no carnaval de Belo Horizonte, do samba ao funk, o Monobloco, do Rio de Janeiro, agita a região da Pampulha. Cerca de 80 ritmistas conduzem os foliões. A expectativa é de repetir o público do ano passado, de 300 mil pessoas Gladyston Rodrigues/EM/DAPress
Pela terceira vez no carnaval de Belo Horizonte, do samba ao funk, o Monobloco, do Rio de Janeiro, agita a região da Pampulha. Cerca de 80 ritmistas conduzem os foliões. A expectativa é de repetir o público do ano passado, de 300 mil pessoas (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DAPress )

Na Pampulha, o vocalista no Monobloco, Pedro Luís, destacou a peculiaridade da folia belo-horizontina. "A diferença é que o carnaval de BH é muito mais politizado. E, este ano, nosso tema é justamente sobre a voz das mulheres", diz ele, ao falar da temática "Abram alas para elas — Homenagem às mulheres da música brasileira".

Nas caixas, clássicos da MPB e homenagem especial a Chiquinha Gonzaga, autora de Ô abre alas, uma das primeiras batalhadoras a se firmar na música popular brasileira, além de hits mais recentes de Anitta (que vive polêmica em relação a encontro com Neymar em camarote da Sapucaí, no Rio), Ludmilla e Iza.


Jazz atrai 15 mil foliões

Ver galeria . 30 Fotos Foliões se divertem na passagem do bloco Magnólia pela Avenida Américo Vespúcio, no CaiçaraGladyston Rodrigues/EM/DAPress
Foliões se divertem na passagem do bloco Magnólia pela Avenida Américo Vespúcio, no Caiçara (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DAPress )

Bloco já tradicional na cidade por eleger o jazz e desfilar em cortejo com percussionistas e outros músicos nas ruas e bem próximos ao público, o Magnólia deixou a rua de mesmo nome, no Caiçara, para tomar a principal avenida do bairro, a Américo Vespúcio. Isso por que desde que foi fundado, o público do bloco que é formado por 30 instrumentistas (sopro, percussão e uma versão menor de bateria) passou de 300 pessoas para 15 mil.

No sexto ano em que o bloco desfila, os foliões repetiram o feito nos desfiles do Tchanzinho Zona Norte e Então Brilha, entre outros, entoando xingamentos contra o presidente Jair Bolsonaro.

Mix em ritmo de marchinhas e axé

Ver galeria . 89 Fotos Bateria do Peixoto encantou o público do bairro Santa Efigênia com músicas de Michael Jackson e Alceu Valença em ritmo de marchinhaTúlio Santos/EM/DAPress
Bateria do Peixoto encantou o público do bairro Santa Efigênia com músicas de Michael Jackson e Alceu Valença em ritmo de marchinha (foto: Túlio Santos/EM/DAPress )

No Bairro Santa Efigênia, o Peixoto trouxe repertório mixado e eclético, de Alceu Valença a Michael Jackson, tudo no ritmo do carnaval. Guto Borges, regente da bateria, participou do movimento do carnaval político de Belo Horizonte.

Já o Baianeiros, na Região da Savassi, fez uma festa metade baiana, metade mineira. Durante o cortejo foi gravado um DVD, que teve a primeira parte filmada no Bairro Castelo, no domingo. Antes de começar o desfile, os organizadores disseram que o objetivo era fazer uma apresentação com tranquilidade, já que no desfile anterior uma pessoa morreu durante a apresentação.
 
Ver galeria . 30 Fotos Desfile do Baianeiros na Savassi teve gravação de dvd, muito axé e uma multidão animada Marcos Vieira/EM/DAPress
Desfile do Baianeiros na Savassi teve gravação de dvd, muito axé e uma multidão animada (foto: Marcos Vieira/EM/DAPress )

Não acabou!

Jair Amaral/E.M/D.A Press
(foto: Jair Amaral/E.M/D.A Press)
 
E mesmo na Quarta-Feira de Cinzas a folia continua na capital. Ao todo, sete blocos desfilam, com destaque para o Majericão, que se concentra para ver o sol nascer, a partir das 4h20, em local ainda não divulgado. Quer saber mais? Confira a cobertura da equipe do Estado de Minas aqui, a partir das 7h, e veja o mapa dos blocos para se programar. Afinal, a folia ainda não acabou!

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE CARNAVAL