UAI

Raul Gazolla afirma que série da HBO 'matou' Guilherme de Pádua

Meses depois da série Pacto Brutal, da HBO Max, ir ao ar, o assassino de Daniella Perez teve um infarto fulminante

Raul Gazolla conta que série da HBO 'matou' Guilherme de Pádua Reprodução/HBO Max
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 03/02/2023 08:24
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

Raul Gazolla, de 67 anos de idade, em entrevista ao podcast Cara a Tapa, de Rica Perrone, voltou a falar sobre sobre o assassinato de sua esposa Daniella Perez por Guilherme de Pádua e Paula Thomaz, em 1992. O ator elogiou a série Pacto Brutal, da HBO Max, e afirmou que a produção documental "matou" o pastor.

Leia Mais

"Para mim, a coisa mais importante que teve na série foi a pressão que ela deu nos assassinos. Isso foi maravilhoso. Porque aquele assassino psicopata, egocentrado da p*rra, começou a gritar para os quatro cantos: 'não me entrevistaram...' Meu irmão, você teve 29 anos para contar todas as mentiras que você quis contar, ainda queria falar na série?", explicou Raul.

 

"O cara era pastor numa igreja que acreditava que ele se arrependeu, então Deus perdoa... Aí os fiéis viram a série e falaram: 'espera aí, não é bem assim!' E a série matou esse filho da p*ta!", acrescentou.

 

Guilherme morreu em novembro de 2022, vítima de infarto, em Belo Horizonte, pouco após o lançamento do seriado. Depois de liberto, o ex-ator chegou a liderar o Ministério Recomeço, que atua dentro e fora dos presídios da capital mineira e região metropolitana. Ele servia como voluntário, evangelizando criminosos de Minas Gerais.

 

Após a morte de Pádua, Gazolla foi questionado se de fato chegou a perdoar o assassino da filha da autora Glória Perez. "Algumas pessoas mais evoluídas espiritualmente do que eu falavam assim: 'Gazolla, você tem que perdoar. Se você perdoar, você vai ficar melhor'. Eu perdoo qualquer coisa em qualquer pessoa que tenha se arrependido. Mas em todas as entrevistas que esse assassino deu, ele disse sempre de nariz em pé: 'aconteceu o que tinha acontecer'. A verdade é que ele não se arrependeu, nunca mostrou arrependimento". destacou.

 

Por fim, o artista ainda aproveitou para criticar o vídeo em que Guilherme de Pádua pede perdão pelo assassinato. "Os fiéis botaram pressão nele e ele fez um vídeo. Não vi o vídeo, mas as pessoas que viram [contaram que Guilherme] estava dizendo assim: 'os fiéis da minha igreja disseram que eu tinha que fazer um vídeo'. Tá de sacanagem, irmão?! Até o vídeo de pedir desculpas não foi por livre e espontânea vontade! Foi por pressão dos fiéis!", disparou.

 

Confira, abaixo, um trecho da entrevista:

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp