Boa alimentação melhora a habilidade de leitura

Foram acompanhados 61 meninos e meninas com idade entre 6 e 8 anos

por Estado de Minas 20/09/2016 15:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
SXC.hu
(foto: SXC.hu)
Nos três primeiros anos da escola, a qualidade da dieta oferecida às crianças pode interferir na forma como elas leem e entendem o que está escrito. É o que indica um estudo da Universidade do Leste da Finlândia e da Universidade de Jyväskylä, também finlandesa, divulgado na última edição do European Journal of Nutrition. Ao acompanhar 161 meninos e meninas com idade entre 6 e 8 anos, os cientistas concluíram que a alimentação rica em vegetais, frutas, grãos integrais, peixes e gorduras insaturadas, além de pobre em produtos açucarados e carne vermelha, melhora essa habilidade que tem grande impacto cognitivo.

"Outra observação importante é que as associações de qualidade da dieta com o nível de leitura também foram independentes de muitos fatores de confusão, como o status socioeconômico, a prática de atividade física, a adiposidade corporal e a aptidão física", ressaltou, em comunicado, Eero Haapala, participante do estudo. Os voluntários foram acompanhados do primeiro ao terceiro anos na escola. Os cientistas observaram a qualidade do que os pequenos ingeriam diariamente e recorreram a testes para avaliar as competências acadêmicas deles.

Escolheu-se como referência a dieta nórdica, comum nos países do norte da Europa. Quanto mais rica a alimentação nesse padrão - em vegetais, frutas, peixes, grãos inteiros e gorduras insaturadas - melhor foi o desempenho em leitura detectado, como avanço na fluência (aumento da pontuação em torno de 10% a 20%) e na compreensão textual (aumento da pontuação de 14% a 38%). O estudo também detectou que as associações positivas da qualidade da alimentação interferiram nos níveis mais complexos de leitura.

"Uma dieta saudável parece ser um fator importante no apoio à aprendizagem e no desempenho acadêmico em crianças. Ao fazer escolhas saudáveis em cada refeição, pode-se promover uma dieta saudável e melhorar a qualidade da aprendizagem", ressaltaram os autores. O artigo também ressaltou a importância de os adultos se preocuparem com as implicações desse processo. "Os pais e as escolas são importantes na tomada de alimentos saudáveis disponíveis para as crianças. Além disso, os governos e as empresas desempenham um papel fundamental na promoção da disponibilidade e da produção de alimentos saudáveis."


10% a 20%
Aumento da pontuação da fluência na leitura entre
crianças que seguem a dieta nórdica


14% a 38%
Aumento da pontuação na compreensão textual entre crianças que seguem a
dieta nórdica

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA