Acne afeta mais da metade da população brasileira; conheça os tipos

Espinha no rosto não é exclusividade apenas dos adolescentes

por Estado de Minas 15/09/2015 11:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
EM/D.A Press
Acne é o problema dermatológico mais comum na população brasileira (foto: EM/D.A Press)
Apesar de ser comum na adolescência, a acne pode aparecer também na fase adulta, tanto nos homens quanto nas mulheres, provocando manchas na pele. Segundo dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a acne é o problema dermatológico mais comum na população brasileira, afetando 56,4% das pessoas, além de ser o motivo que mais leva pacientes aos dermatologistas. A consultora da D’pil Brasil Camila Torlai explica os tipos de acne:

» Acne adolescente:
Nesse período, a principal causa da acne é o excesso de hormônios produzidos pelo corpo. A principal região afetada por cravos e espinhas é a chamada zona T do rosto (nariz, testa e queixo). Em alguns casos, elas podem aparecer também nas costas. Com o passar dos anos, o problema acaba diminuindo ou é resolvido por completo.

» Acne genética:
A predisposição genética é um dos fatores que influenciam no surgimento de um tipo de acne mais grave. Quando os pais têm espinhas ou cravos, as chances de os filhos também terem são muito maiores. O tratamento deve ser iniciado o quanto antes, para evitar marcas no rosto.

» Acne adulta:
Apesar de ser mais difícil o aparecimento de cravos e espinhas, algumas costumam surgir na zona V do rosto (queixo e bochechas). Geralmente, as mulheres são as que mais sofrem com a acne nesse período por alguns fatores. Além da pele oleosa, problemas hormonais também podem agravar o problema. Portanto, é importante consultar um dermatologista para saber o real motivo da acne.

Antibiótico natural
A cranberry, ou oxicoco, como também é conhecida, além de ajudar na prevenção da infecção urinária, pode ser um grande antibiótico natural. Segundo o urologista André Costa, ela oferece outros benefícios ao organismo e estudos mostram que a fruta originária dos Estados Unidos é rica em substâncias antioxidantes. Por isso, pode retardar o envelhecimento e diminuir a incidência de doenças cardiovasculares e até mesmo o câncer.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA