Entenda por que é melhor comer a laranja do que tomar o suco da fruta

A vitamina C não é produzida pelo organismo, e, em apenas uma laranja por dia, obtemos 100% do que o organismo necessita

por Revista do CB 26/08/2015 09:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
CB/D.A Press
O suco de laranja é uma bebida com alto valor calórico e muita glicose e tem gente que ainda adoça a bebida (foto: CB/D.A Press)
Aliado ou vilão? O suco de laranja esconde alguns segredos. Por trás da cor viva e da aparência saudável, a bebida tem um alto valor calórico e muita glicose — e olha que tem gente que ainda adoça. “É um erro, pois a fruta já tem a quantidade de açúcares necessários. Na preparação de todos os alimentos, não recomendamos a adição de sal nem a de açúcar”, explica o nutricionista Clayton Camargos, PhD pela Universidade de Barcelona.

A fruta em si tem um valor nutricional muito importante, com grandes quantidades de vitamina C e alto índice de energia. Além disso, auxilia na imunidade, protege o coração e contribui para a formação da hemoglobina. “A laranja é antioxidante, faz bem para a saúde dental, a gengiva e ajuda nos quadros de hemorragia”, acrescenta Clayton Camargos. Ainda segundo o profissional, não existe alimento bom ou ruim. Depende da quantidade que se consome.

Vale ressaltar que a vitamina C não é produzida pelo organismo, e, em apenas uma laranja por dia, obtemos 100% do que o organismo necessita. Durante o preparo na forma de suco perdemos boa parte das fibras e dos nutrientes da fruta. Um simples corte feito a faca já compromete a oferta de nutrientes. O ato de espremer e coar, então, nem se fala.

Se ainda assim você preferir fazer um suco, beba-o sem demora. Depois de 30 minutos, a bebida começa a oxidar, perdendo o valor nutricional. Guardar na geladeira nem sempre é a solução. “A temperatura pode conservar sabor e aroma, mas não se preserva as vitaminas”, afirma Camargos. Portanto, coma a fruta. E uma só por dia. “Para fazer 240ml de suco, precisamos de 3 a 6 laranjas, é muito para uma pessoa só”, alerta o nutrólogo Allan Ferreira.

CB/D.A Press
O suco de laranja é uma boa pedida antes de praticar exercícios (foto: CB/D.A Press)
Os industrializados não são saudáveis. “Em sucos de caixinha, não tem somente laranja. Há açúcar, corantes e várias outras substâncias não naturais”, detalha Allan Ferreira. Nem os conservados em polpa escapam. “Desde que é produzido, até ir para o mercado e chegar no prato do consumidor é uma perda nutricional muito grande. O processo de degelo inúmeras vezes pode prejudicar”, alerta Clayton Camargos.

Apesar dessas ressalvas, saiba que suco de laranja é uma boa pedida antes de praticar exercícios. A quantidade de energia funciona como um pré-treino. Mas, quando a bebida é consumida à noite, por exemplo, acumulamos uma energia que não vamos gastar.

Comparação com refrigerante
Existe uma velha história de que suco de laranja e refrigerante têm a mesma quantidade calórica. O número pode até ser parecido. Porém, as bebidas causam reações muito diferentes no corpo. O refrigerante não oferece nenhum tipo de vitamina ou nutriente, contém sódio e muitos conservantes. “A caloria em si não significa muita coisa. Tudo depende do que estamos buscando por meio de um alimento e na forma como é consumido”, afirma Clayton Camargos.

Pessoas com gastrite, em geral, devem evitar alimentos ácidos, mas não necessariamente precisam descartar o suco de laranja. “Quem sofre disso pode fazer um suco de laranja-lima. A fruta é menos ácida”, aconselha Clayton Camargos, nutricionista.

Muitos acreditam em dietas à base de frutas ou de apenas um alimento. A fruta serve como fonte de hidratação e energia, mas a monotonia nutricional e o açúcar diminuem a sensação de saciedade. “O apetite fica menos controlado. Nenhuma dieta deve ser temática”, alerta o nutrólogo Allan Ferreira. Uma alimentação rica deve conter todas as vitaminas e nutrientes necessários. “Podemos comer de tudo, mas temos que ter um controle. Nada é proibido, mas depende da situação e da quantidade”, enfatiza.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA