Doença pulmonar obstrutiva crônica não tem cura, mas tem tratamento

Terapias existentes são eficientes para controlar os sintomas

por Flávia Duarte 28/10/2014 15:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
O ar não alcança os pulmões. A debilidade limita a vida e torna pequenas atividades cotidianas um verdadeiro martírio. Respirar é algo que já não acontece com a naturalidade de quem inspira e expira sem sentir. Essa é apenas uma das sequelas de quem sofre com a chamada doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), um mal que bloqueia, de maneira irreversível, o fluxo respiratório. Em todo o mundo, 210 milhões de pessoas sofrem com a DPOC. Só no Brasil são mais de 7 milhões de pacientes que convivem com esse mal, um dos que mais mata no mundo.

Há remédios que amenizam o comprometimento dos brônquios. Mudanças de estilo de vida também freiam a progressão do problema. “O mais importante é o diagnóstico precoce. Assim, a medicação e os hábitos podem amenizar os sintomas”, explica Lícia Zanol, pneumologista do Hospital Santa Luzia.

Valdo Virgo/CB/D.A Press
Clique na imagem para ampliá-la e saiba mais (foto: Valdo Virgo/CB/D.A Press)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA