Índia pede à Pepsi a redução do açúcar nos refrigerantes

O consumo de refrigerantes e fast food aumentou entre a classe média indiana, o que elevou a taxa de obesidade e a diabetes

27/08/2014 08:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
REUTERS/Mike Blake
A empresa americana substituiu parte do açúcar nas bebidas por stevia, uma planta edulcorante muito utilizada na Europa e em partes da Ásia. Mas não fez o mesmo na Índia porque a substância não foi aprovada para o consumo (foto: REUTERS/Mike Blake)
O governo da Índia pediu à empresa americana PepsiCo que reduza o teor de açúcar nos refrigerantes, como parte da luta contra a obesidade e a diabetes. A presidente executiva da PepsiCo, Indra Nooyi, se reuniu com o ministro da Indústria de Processamento de Alimentos, Harsimrat Kaur Badal, na terça-feira.


"Solicitamos à PepsiCo a redução do conteúdo de açúcar nos refrigerantes por motivos de saúde", afirma um comunicado do ministério. O consumo de refrigerantes e fast food aumentou entre a classe média com o aumento do nível de vida, o que elevou a taxa de obesidade e a diabetes.

A empresa americana substituiu parte do açúcar nas bebidas por stevia, uma planta edulcorante muito utilizada na Europa e em partes da Ásia. Mas não fez o mesmo na Índia porque a substância não foi aprovada para o consumo.

 

Brasil

As crianças e os adolescentes brasileiros estão trocando o consumo de água e leite por bebidas açucaradas, como refrigerantes e sucos industrializados ou em pó - o que têm aumentado consideravelmente os casos de obesidade infantil, além dos riscos para o desenvolvimento de doenças antes observadas em adultos, como diabete tipo 2 e hipertensão.

A constatação - que reforça a necessidade de mudanças de hábitos alimentares - está no primeiro estudo epidemiológico brasileiro que avaliou o consumo de bebidas entre crianças e adolescentes de 3 a 17 anos em cinco capitais: São Paulo, Rio, Porto Alegre, Belo Horizonte e Recife. A pesquisa foi desenvolvida em 2013 por pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública da USP, da Faculdade de Medicina do ABC e do Instituto da Criança do HC.

 

O Ministério da Saúde considera a obesidade infantil uma epidemia e os resultados do levantamento são alarmantes. Além de o leite e a água praticamente desaparecerem da dieta dos jovens, na média geral, as crianças e os adolescentes consomem cerca de 21 quilos de açúcar por ano, só considerando as bebidas.

A pesquisa indica, por exemplo, que um adolescente de 11 a 17 anos ingere cerca de 26 quilos de açúcar por ano com as bebidas - quase 45% a mais do que ele poderia consumir no período (18 quilos), considerando o açúcar presente em todo tipo de alimento, não apenas nas bebidas.

 

Com informações da AFP

VÍDEOS RECOMENDADOS