'Guerra' contra o Ebola pode levar seis meses, diz ONU

Suspensão das rotas de várias companhias aéreas aos países afetados torna a missão da ONU 'muito mais difícil', até 'impossível', diz coordenador da Organização

por AFP - Agence France-Presse 25/08/2014 14:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
REUTERS/James Giahyue
Equipamento médico doado pelos Estados Unidos chega à capital da Libéria; ONU criticou decisão de companhias aéreas (foto: REUTERS/James Giahyue )
O coordenador da ONU no combate ao vírus Ebola, Dr. David Nabarro, alertou nesta segunda-feira que a luta contra a epidemia é uma "guerra que ainda não foi vencida" e que pode levar até seis meses, durante uma coletiva de imprensa em Serra Leoa.

Durante a entrevista em Freetown, capital do país, Nabarro também lamentou a suspensão das rotas de várias companhias aéreas às naçõea afetadas, o que, segundo ele, torna a missão da ONU "muito mais difícil", até "impossível". "Nós trabalhamos com medidas excepcionais em seis meses para controlar rapidamente a doença", disse o epidemiologista britânico, ressaltando que "a epidemia de Ebola avança em muitas áreas do país".

De acordo com o último registro da Organização Mundial de Saúde (OMS), de 20 de agosto, o vírus Ebola deixou 1.427 mortos de 2.615 casos registrados no oeste da África.

"A luta para vencer o Ebola não é uma batalha, é uma guerra, que exige que todos trabalhem juntos, de forma dura e eficaz. Espero que esta guerra termine em seis meses, mas devemos continuar até que chegue ao fim", declarou o Dr. Nabarro, acrescentando: "Nós ainda não vencemos".

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA